PERDEMOS…

Publicado em Sem categoria

Difícil a sina do automobilismo brasileiro. Se há o lado que enche de orgulho com F-1, Stock Car, F-Truck e, mais recentemente, o Racing Festival (sem contar o GT Brasil, Porsche Cup, etc…), também há com que se preocupar. A Eurosport, rede de canais de TV esportivos que organiza, desde 2006, o Intercontinental Rally Challenge (IRC), o Mundial para os carros Super 2000 (máquinas com tração 4×4 e motores aspirados até 2.000cc – Peugeot 207, Fiat Punto Abarth, Skoda Fabia e Proton Satria, só para exemplificar). A novidade, triste (e nem tão nova assim, já que a informação circulava pelos bastidores), é a saída do Rali da Graciosa, em Curitiba, depois de dois anos. O esforço dos organizadores é louvável, quem teve o privilégio de assistir ou participar foi só elogios, houve até quem comparasse as estradas de terra em torno da capital paranaense às encontradas em países como a Finlândia.

Mas, não foi o suficiente. Faltou vontade política. Andamos com o prestígio internacional em baixa. Houve muita preocupação com quem veio de fora e os brasileiros, mesmo, foram deixados em segundo plano. Com isso, o número de inscritos só foi razoável graças à participação das duplas da Copa Peugeot. A logística da prova, mesmo disputada conjuntamente com o Mundial de Turismo (WTCC), pelo visto é pesada demais para o que os organizadores conseguem suportar. E olha que estamos falando de uma cidade que praticamente respira rali, que é governada por um prefeito que adora automobilismo e de uma prova que é disputada há três décadas. Se não deu certo em Curitiba, onde mais vai dar? Triste saber, como aprendiz de piloto, que perdi a chance de acelerar num evento de tanto prestígio, com direito a transmissão ao vivo para boa parte do mundo e a condição de evoluir mais do que em três, quatro ralis menores. Mas, mais triste ainda, do ponto de vista do jornalista e do amante do esporte é saber que, para ver de perto essas máquinas maravilhosas e seus pilotos e navegadores impressionantes, na melhor das hipóteses, só na Argentina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *