PEDRA SOBRE PEDRA…

Publicado em Sem categoria

A vitória de um menino que, na véspera, completou 20 anos e disputava pela primeira vez a prova que é um verdadeiro monumento do automobilismo mundial já seria assunto suficiente para badalar a edição 2011 das 500 Milhas de Daytona. Mesmo nos EUA poucos haviam ouvido falar de Trevor Bayne até hoje. Mais impressionante ainda é o fato de ele correr por uma equipe tradicionalíssima (a Wood Brothers Racing), mas que não sabia o que era vencer há exata uma década – lá está o Ford Fusion de nº 21 no alto do pódio, depois de uma corrida que justificou a tradição, com acidentes cinematográficos, 16 bandeiras amarelas e 69 mudanças na liderança.

Só que existem outras curiosidades que cercam o evento, um daqueles que deveriam fazer parte do calendário de qualquer fã da velocidade. Ocorre que, depois da vergonha da edição do ano passado, que teve de ser interrompida depois que pedaços de asfalto começaram a se soltar, os donos do oval foram obrigados a refazer o piso. Aí, estamos falando dos EUA, da meca do capitalismo e do marketing, em que tudo pode ser uma bela oportunidade de negócio.

Pois o que é que a família France decidiu fazer? Você já deve ter imaginado: vender pedaços de asfalto como suvenir. Tem de vários tipos e tamanhos. Alguns reproduzem números que se tornaram lendários no local – e não é surpresa descobrir que o 3, do falecido Dale Earnhardt, é o mais procurado. E também tem blocos tirados das quatro curvas e da reta principal, além de chaveiro, medalha, e miniatura de carro sobre… um pedacinho de asfalto. Os preços vão de acessíveis R$ 41,50 a mais salgados R$ 330. Não deixa de ser curioso, e tem um detalhe que não dá para ignorar. Ocupa um belo espaço na bagagem, além de não ser coisa das mais leves. Enfim…

Nascar/divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *