OLHANDO O PRÓPRIO UMBIGO

Publicado em Sem categoria

    Então tá. Qual é a desse maluco para colocar no blog uma foto de um Palio desmontado em cima de um elevador hidráulico? Antes que o leitor pense que eu endoidei, ou está faltando assunto, vou explicar: dizem que não é elegante falar de si próprio, que uma boa dose de modéstia é fundamental mas, já que me propus a uma jornada dupla, acho que vale o registro. No meu histórico como jornalista já constava uma participação (com direito a vitória) como navegador, na etapa mineira do Brasileiro de Rali de 2000, em São Joaquim de Bicas. Tudo muito legal, mas ficou a sensação de que sentar do lado direito é como andar de moto na garupa. Com um agravante: uma cantada errada e a culpa pelo acidente ou pela esbarrada em um barranco é sempre sua.      Muito tempo se passou até que finalmente eu conseguisse me render ao bichinho do rali e tivesse a chance de sentar do lado esquerdo. Foi em setembro do ano passado, logo numa etapa do Brasileiro, e logo em Ouro Branco. Que eu não seria rápido como os adversários logo de cara eu já sabia muito antes. Que seria tão gostoso eu imaginava. Que daria tanta vontade de continuar eu não fazia ideia. Duas provas, dois abandonos por problemas no motor e surgiu a chance de acelerar esse Palio da foto. E de fazer parte da equipe de alguém que merece dezenas de posts pelo tanto de histórias que acumulou nas pistas brasileiras: Giuseppe Marinelli.       Pois é com o Palio, aí flagrado durante a montagem, que eu espero começar sábado, em Bragança Paulista, na primeira etapa do campeonato daquele estado, a aventura de 2010. Acima de tudo ter a certeza gostosa de transformar a paixão de menino em algo tão especial. Com a humildade de saber que o aprendizado é longo e o objetivo de ver o automobilismo com outros olhos; não só a teoria, mas também a prática. E se possível postar muitas fotos, vídeos, áudios, não só meus, mas de todas as feras do esporte para que você, caro leitor, sinta mais de perto essa emoção quase indescritível. E, quem sabe, siga meu exemplo, arranje um carro bem montado (pode ser bem mais barato do que parece) e também resolva se divertir nas pistas ou estradas de terra – como piloto, navegador, mecânico, comissário, engenheiro, não faltam possibilidades. E então, vamos nessa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *