E agora, Fernando? (Coluna Sexta Marcha)

Publicado em Sem categoria

*** Aí está a íntegra da coluna publicada na edição de hoje do Estado de Minas, para quem não leu, sobre um GP do Japão que pode não ter sido dos mais emocionantes na pista, mas acabou sendo marcante pelo fim do jejum de Felipe Massa (já não era sem tempo) e pelo terceiro posto de Kamui Kobayashi saudado em delírio pelos compatriotas. E o Mundial volta a ficar aberto, com boa chance de mudar de lado…

E agora, Fernando?

“Algumas vezes as corridas se decidem na primeira curva. Em outras, na última”. A frase famosa foi dita por ninguém menos que Ayrton Senna depois do toque que levou o rival Alain Prost para a mesma área de escape em que Fernando Alonso estacionou sua Ferrari no GP de ontem, em Suzuka – isso foi em 1990 e o brasileiro se referia à batida de 1989, na chicane antes da reta principal, quando conseguiu retornar à pista e ultrapassar Alessandro Nannini para manter as chances de ser campeão (ainda havia uma prova na Austrália), até que o então presidente da FIA, Jean-Marie Balestre resolvesse “ajudar” o compatriota.

Pois a corrida do domingo nada teve de polêmico, ou quase, considerando que Romain Grosjean deveria ser obrigado a largar sempre dos boxes, 20 segundos depois de todos os outros, para aprender a se comportar em meio aos rivais. Mas o GP do Japão de Alonso terminou na primeira curva, como já havia sido o caso na Bélgica, e o Mundial parece ter retomado a normalidade. Mesmo o espanhol sabia que a liderança, que chegou a ser de 40 pontos, era enganosa, considerando-se a inferioridade técnica do F2012 em comparação com Red Bull e McLaren. O patinho feio teve seus momentos de cisne durante a temporada, mas devia a vantagem principalmente ao talento do asturiano e às trapalhadas e problemas da concorrência.

Agora o cenário voltou a ser desfavorável – basta nova vitória de Vettel na Coreia com um segundo posto de Alonso e a ponta da tabela muda de mãos. Engraçado é que, em matéria publicada quarta-feira, este que vos escreve lembrava que ninguém havia vencido duas corridas seguidas, o que favorecia o espanhol. Pois o alemão mais novo acabou com o tabu e ainda viu de presente o adversário fora da briga nos primeiros metros; diga-se de passagem, por um incidente de corrida, já que Kimi Raikkonen é osso duro, mas joga limpo,

Dito isso, melhor para a reta final da temporada, já que é complicado prever o que ocorrerá na Coreia, Índia, Emirados Árabes, Estados Unidos (aí então é loteria pura) e em Interlagos. Alonso gastou sua cota de azar e terá de fazer um fim de campeonato no melhor estilo… Fernando Alonso. Com a frieza de quem sabe do que é capaz e não se deixa abalar. Vettel, por sua vez, já mostrou que pode se dar bem contra tudo e todos. E o mais interessante é que caminhamos para, de um jeito ou de outro, coroar o mais novo tricampeão do circo. Bonita e emocionante a reação do público japonês extasiado, gritando o nome de Kobayashi-san, talvez o piloto mais subestimado da categoria, e que fez uma festa merecida.

Massa

O desempenho de Felipe foi tão cristalino, convincente, que é o caso de se questionar: por que raios ele não conseguiu andar assim entre o GP da Coreia de 2010 e o de ontem. Claro que se ele tivesse a resposta, o jejum não teria durado tanto. O que dá para dizer, mesmo de tão longe, é que toneladas de dúvidas e pressão saíram das costas. Não há nada pior para um piloto do que saber que é capaz de andar na frente e, pelos motivos mais variados, não concretizar o potencial. Reafirmo que o contrato para 2013 já estava renovado, mas é lógico que desempenhos como o de Suzuka apenas reforçam a cotação do brasileiro e justificam pelo menos o ano a mais na F-1.

Domingo tem

Sim, domingo tem GP da Coreia, na insossa Yeongam (não a pista, a região), mas também a segunda etapa do Mineiro de Marcas e Pilotos, no Mega Space. Quem viu a primeira prova no novo traçado sabe que o espetáculo é de primeira. Quem não viu não sabe o que está perdendo. A competição já começa a atrair pilotos até do Rio Grande do Sul, e o grid vai estar repleto. Corrida boa também se faz por estas bandas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *