A dúvida mais frequente em 2014

Publicado em Sem categoria
Em uma retrospectiva sobre as dúvidas mais frequentes do ano de 2014, pude perceber que a pergunta mais comum foi relacionada ao uso do citrato de clomifeno, seja aqui no blog ou na clínica Origen. Para facilitar a vida de vocês, farei uma breve explicação a respeito dessa medicação.
O citrato de clomifeno (CC) é utilizado há décadas, foi sintetizado em 1956 e aprovado para uso medicinal em 1967. Trata-se de um medicamento de uso oral, não-hormonal, com fraco efeito estrogênico. Por ter a estrutura similar ao estrogênio, compete com ele pela ocupação dos receptores no hipotálamo e na hipófise. Assim, ele “confunde” o eixo hipotalâmico – hipofisário, que entende que a concentração estrogênica na circulação está baixa. Isso porque a percepção encontra-se obscurecida e, como consequência, há aumento da liberação do hormônio folículo estimulante. Assim, há o crescimento induzido do folículo que, posteriormente, irá romper para liberar o óvulo (ovulação).
Sabendo, agora, como funciona o CC, fica fácil entender quais são as situações em que o seu uso será benéfico para as mulheres que desejam a gravidez. Sua principal indicação é para as mulheres que não ovulam, a taxa de sucesso do tratamento é extremamente positiva. Considerando que todos os exames estejam normais e o único fator da infertilidade seja a anovulação, o retorno a ciclos ovulatórios ocorre em cerca de 80 a 90% dos casos e, aproximadamente 10 a 15% das pacientes apresentam gravidez dentro de um mês.
Como a chance é limitada, é recomendado que o tratamento com CC seja feito por até 3 meses, se a gravidez não acontecer nesse período, deve-se pensar em outra alternativa. Pelo mesmo motivo, mulheres com mais de 35 anos devem ser submetidas a tratamentos com chances maiores de gravidez. 
A grande vantagem do tratamento é sua facilidade, pois os comprimidos devem ser utilizados por apenas 5 dias. Depois, realizado um controle com ultrassonografia para confirmar que houve crescimento do folículo ou folículos e se houve a ruptura (ovulação), que habitualmente ocorre aproximadamente 10 dias depois do ultimo comprimido.
Por outro lado, a desvantagem desse tratamento – e que explica à chance de gravidez ser tão limitada (10%) quando comparada com o sucesso da resposta ovulatória (85%) – é o efeito negativo do CC no muco cervical e no endométrio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *