Skip to main content
 -
Sou jornalista e meu gosto por aventuras já me levou a lugares extremos! Com vontade e estratégia superei desafios artificiais e selvagens que se interpunham às histórias que buscava, acumulando experiência e técnicas. No Rotas do Explorador mostro expedições e dicas outdoor.

Fogo primitivo, entalhes e tecnologia ancestral são ensinados em feira

O bushcrafter João Carmo, de Portugal, expôs itens e ensinou técnicas de entalhe de utensílios (Foto: Mateus Parreiras)

Não há dúvidas que o artesanato brasileiro é muito rico. Mas um aspecto da produção artesanal nacional que tinha ficado restrita aos livros de tradições vem ganhando adeptos e sendo difundido por meio dos praticantes de bushcraft, as artes do mato. E essa recuperação de formas tradicionais de construção de objetos e ferramentas com recursos naturais foi um dos pontos alto do 2º Hupur Bushcraft, festival que ocorreu entre 19 e 21 de julho, em Franca (SP).

Veja nos vídeos abaixo que fiz para o meu canal do YouTube como foi o 2º Hupur e se inscreva se curtir 😉

Quem acampa sabe a importância de se fazer uma fogueira. Por esse motivo, a oficina de fogo primitivo do bushcrafter de Blumenau (SC), Humberto Costa, do canal do YouTube Costa Bushcraft and Survival, chamou tanto a atenção do público. “Trouxe bastante material para se demonstrar e ensinar a fazer handrill (produção de fogo girando uma broca de madeira com as mãos) e bowdrill (criar brasa por atrito por meio de uma broca de madeira e um arco). Trouxe materiais da nossa região e de outras, justamente para fazer experimentações. Nem sempre o que se encontra numa região do Brasil se terá em outra. por isso é importante essa troca de experiências, usando material do pantanal, da caatinga, da mata atlântica, do cerrado entre outros”, disse. 

Humberto Costa e os instrumentos para ensinar ao público técnicas primitivas para obtenção de fogo (Foto: Mateus Parreiras)

Um dos percussores do evento, o instrutor de sobrevivência e bushcraft da Escola Metre do Mato, Giuliano Toniolo, também trouxe objetos fabricados pelo homem em diversas fases da evolução da humanidade. De lâminas de pedras lascadas a mão a utensílios de couro. Quem foi ao Hupur pode entender como ele fabricou uma mochila de armação de madeira primitiva e ainda participou de uma oficina que ensinou a fabricar lamparinas e outros objetos pré-históricos.

Instrumentos primitivos produzidos pelo mineiro Giuliano Toniolo (Foto: Mateus Parreiras)

O bushcrafter português João Carmo mostrou uma de suas especialidades que é o entalhe de utensílios em madeira, como colheres, garfos, recipientes e outros mais, que por meio do desbaste de suas lâminas ganham formas e belas e requintadas. Nas demonstrações, o interesse também foi muito grande. O mais importante, contudo, é que de todas as oficinas se levou o interesse por se aprimorar essas técnicas, uma vez que quase todos que estiveram no Hupur em alguma medida aprenderam ou se aperfeiçoaram sozinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *