Skip to main content
 -
Sou jornalista e meu gosto por aventuras já me levou a lugares extremos! Com vontade e estratégia superei desafios artificiais e selvagens que se interpunham às histórias que buscava, acumulando experiência e técnicas. No Rotas do Explorador mostro expedições e dicas outdoor.

Cinco perigos que ameaçam as trilhas da Serra do Curral

A Serra do Curral e o Pico Belo Horizonte com uma cava de mineração aos pés. O vale pode levar a caminhadas longas e extenuantes (Foto: Mateus Parreiras)

A Serra do Curral é um dos atrativos naturais que mais intrigam e instigam os belo-horizontinos e também quem visita BH. Não tem jeito de não se pegar mirando a formação que pode ser vista praticamente de qualquer ponto da capital mineira. Um marco ainda verde e imponente, que me lembra muito a visão que se tem dos Andes, a partir de Santiago, no Chile. Tirando os cumes gelados, claro! Mas há perigos que trazem riscos à segurança de quem resolve pôr o pé na trilha e conhecer esse cartão-posta de Belo Horizonte e locais como o Pico BH e os mirantes. Infelizmente, as partes abrangidas por parques estão fechadas desde o ano passado, pelo menos.

Veja abaixo o vídeo que fiz subindo uma das trilhas até o Pico BH para o meu canal do YouTube, o Missão Carcará. Se curtir, se inscreva lá!

Por esse motivo, resolvi destacar cinco perigos que você poderá encontrar nas subidas, para que vá sempre prevenido. Boas aventuras!

  • Insegurança: Não há patrulhamento e dificilmente se encontra alguma autoridade pelas trilhas fora das demarcações de parques. Como a Serra do Curral acaba servindo de passagem para várias comunidades, não recomendo fazer a subida pela Vila Marçola, nem deixar para ir ou regressar muito tarde – além de ter o problema da iluminação, por razões óbvias.
  • Não vá com chuva! Por ser o lugar mais alto da capital é onde despencam saraivadas de raios que podem te fritar. Melhor esperar que a chuva passe.
  • As trilhas são mal demarcadas e há muitos caminhos de água que confundem as pessoas. Já vi muita gente subido ou descendo por esses caminhos e indo parar em ribanceiras e locais extremamente perigosos. Tenha consigo um mapa, GPS, aplicativo de trilha ou tudo isso junto!
  • Cuidado com a vida selvagem. Não deixe as trilhas e entre em matagais, pois a Serra do Curral abriga cobras como as jararacas, abelhas, marimbondos, aranhas marrons e outros animais que podem até te matar se os cuidados mínimos não forem observados. Ficando dentro das trilhas esses perigos são eliminados em 99% ou mais das vezes. Algumas áreas de invasão são usadas como pastos e os cavalos acabam entrando na serra, por isso, nos meses de estiagem você ainda encontra problemas com carrapatos
  • Leve sempre muita água, pois não há qualquer fonte consumível na Serra do Curral. As caminhadas muitas vezes extenuantes, dependendo dos trajetos, a falta de cobertura vegetal nos campos rupestres e o sol forte podem te desidratar facilmente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *