Skip to main content
 -
Sou jornalista e meu gosto por aventuras já me levou a lugares extremos! Com vontade e estratégia superei desafios artificiais e selvagens que se interpunham às histórias que buscava, acumulando experiência e técnicas. No Rotas do Explorador mostro expedições e dicas outdoor.

Serpente na trilha, o que fazer? Dicas e procedimentos de segurança!

Pela segunda vez em menos de uma semana uma serpente peçonhenta cruzou meu caminho. A primeira foi uma jararaquinha com quem me deparei numa curva da trilha em Ouro Preto, no Pico do Itacolomi. A segunda, em São Joaquim de Bicas, na Grande BH, era uma jararaca pintada. Não corri o menor perigo nesses dois encontros, até porque a segunda, quando cheguei, já tinha sido abatida. Se lá estivesse, a história teria sido diferente.

A jarararaca pintada morta em São Joaquim – crime e desnecessário

Mas antes de trocar essa ideia sobre o que fazer quando se depara com uma serpente no meio natural, gostaria só de reforçar o quão importante é estar sempre preparado para as incursões no mato. Botas grossas e de canos mais altos, perneiras se for se embrenhar, procure ter um cajado e uma lâmina caso precise providenciar um.

A regra de ouro é manter sempre a atenção. Apesar da camuflagem, consegui ver a jararaca com antecipação, completamente enrolada dentro de um dos sulcos de uma pedra grande no meio da trilha por onde passava. Só isso já me conferiu a vantagem de não precisar de contar com minha proteção ou com contra medidas.

Outra coisa de grande importância é ter em mente que a serpente está no lugar dela. Era para ela estar lá mesmo. Portanto, nada de matar o animal. Isso, aliás, é crime ambiental e uma grande escrotisse também.

Jararaca que encontrei em Ouro Preto, tendo atenção e cuidados não há perigo

Muitas vezes você pode simplesmente contornar a serpente e seguir seu caminho. Lembre-se que a maioria das cobras só consegue dar botes numa distância máxima de um terço do seu comprimento. Dando uma boa margem, você vai estar seguro.

Não dá para contornar? Uma solução pode ser ir embora, já que esperar o réptil decidir ir deixar onde está é algo que geralmente demora bastante. Sobretudo se o animal estiver se aquecendo ou se alimentando. Uma ação mais invasiva e não recomendada para quem não tem esse tipo de habilidade pode ser cortar uma vara com extremidade em forquilha e afastar a serpente. Mas é uma manobra que requer muito cuidado para não ferir o animal, nem deixar que ele te pique.

Veja mais dicas de cuidados em trilhas e aventuras nessa playlist de vídeos do meu canal no YouTube, o Missão Carcará (clique aqui para conhecer e se inscreva se curtir).

Em áreas urbanas, o correto é chamar o Corpo de Bombeiros ou a Polícia Militar, já que a segurança do animal pode estar ameaçada devido ao grande número de pessoas que podem interpretar o réptil como uma ameaça e tentar matá-lo.

É sempre muito importante manter a calma e avaliar bem a situação. Se itver qualquer dúvida o melhor é não agir e simplesmente ir embora. Nunca ouvi uma pessoa contar que uma serpente a perseguiu, são sempre histórias de se ouvir dizer que aconteceu com outros. Ou seja, algo improvável ou folclórico.

2 comentários em “Serpente na trilha, o que fazer? Dicas e procedimentos de segurança!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *