Skip to main content
 -
Sou jornalista e meu gosto por aventuras já me levou a lugares extremos! Com vontade e estratégia superei desafios artificiais e selvagens que se interpunham às histórias que buscava, acumulando experiência e técnicas. No Rotas do Explorador mostro expedições e dicas outdoor.

Como se preparar para uma aventura? Dicas outdoor do Coronel Leite e do dr. Sílvio Musman

Coronel Leite e dr. Sílvio Musman: como se preparar para a aventura? (Foto: Missão Carcará)

Saudações, aqui é o Rotas do Explorador!

Começo o blog com dicas de desempenho outdoor e sobrevivência com o coronel Leite, do “Desafio em Dose Dupla”, e o médico do esporte, dr. Sílvio Musman. Aspectos importantes para superar trilhas, expedições, aventuras e sobreviver. Mais sobre o assunto no meu canal do YouTube: Missão Carcará. Espero que curtam esse espaço de divulgação de técnicas e discussão de temas de aventuras, sobrevivência, bushcraft e sobrevivencialismo.

 

Coronel Leite e Isabeli Fontana no Desafio Celebridades (Foto: Divulgação Discovery Channel)

Coronel Leite – especialista militar que liderou as operações de resgate do acidente com o Boeing 737 da Gol, em 2006. É protagonista das séries de sobrevivência Desafio em Dose Dupla Brasil e Desafio Celebridades.

“Aventura não é pegar uma mochila com biscoito recheado e sair por aí. Não façam isso! Busquem sites de sobrevivencialistas e de pessoas experientes. Entre em grupos de pessoas que já praticam (atividades outdoor). Pesquise o ambiente em que você vai. Use guias locais para evitar acidentes”

 

Roupas: Camuflado é muito bacana, mas tem de levar pelo menos um bonezinho colorido para ser encontrado (destaca na mata e serve de sinalização)

Tamanho do grupo: Não vá sozinho jamais! Aventura sozinho já começa errada. Duas pessoas já é difícil. O mínimo – ideal – é de três pessoas. Se um se machucar, dois carregam (o ferido). Fazer de dupla já dá se puderem ligar, pedir apoio.

Comunicação: Levar um celular é muito importante. Mas não tire mil fotos, pois você pode precisar da bateria!

Avisar outras pessoas: avise que está saindo e quando vai voltar. Isso ajuda demais num resgate para encontrar você vivo. Avisar que horas que sai, que horas que volta, para onde vai. Com quem está indo.

Assista à entrevista completa: Sobrevivência e como não desistir da aventura:

 

Dr. Sílvio Musman fala sobre melhora do rendimento em trilhas (Foto: Missão Carcará)

Dr. Sílvio Musman – presidente da Associação Mineira de Medicina do Exercício e do Esporte

“A gente costuma pensar primeiro na aventura, no prazer e no lazer, mas tudo começa com um bom planejamento. Saber qual a atividade que vai fazer e qual terreno vai encontrar, qual o clima que vai trabalhar? Você tem condições (físicas) de fazer isso?”

Carga da mochila: nunca deve ultrapassar 15% do seu peso corporal. Deve ser bem distribuída pelo corpo para não sobrecarregar nem um lado nem o outro. Uma dica é carregar a mochila e dar uma volta no quarteirão para ver se é preciso tirar algo

Carga x duração: se vai percorrer uma trilha por mais dias, lembre-se que o peso deve ser menor por causa do desgaste após o primeiro dia. Isso pode aumentar os riscos para as articulações, o joelho, o tendão de aquiles e até te levar a uma torção de tornozelo

Subidas e descidas: Num aclive a inclinação máxima para evitar um desgaste é de 25°. No declive, em torno de -10°. Passou muito disso você passa a ter uma desvantagem biomecânica

Preparo físico: Para quem é sedentário não adianta muito fazer um treino intenso de uma semana. Tem de ter um planejamento mais antecipado voltado para as exigências da atividade

Sinais de desgaste: O principal sinal que nosso corpo dá é a fadiga, o cansaço e deve ser respeitado com descanso. Outro indicador é a sede, que também precisa ser respeitada, ter tempo para se hidratar. E beba água até a sede acabar.

Cajados, bengalas e bastões: Por um lado ampliam o seu gasto calórico, pois você passa a fazer esforço grande com os membros superiores. Por outro lado te ajudam no equilíbrio, na distribuição da carga. Estudos mostram que no fim das contas quem usa esses “pods” tem um desgaste menor.

Clima: O nosso esforço produz calor e água. E esse calor tem de ser dissipado pelo organismo e o principal mecanismo para isso é a transpiração. Se vai fazer uma atividade num local muito quente e muito úmido, isso dificulta essa perda de calor interno e pode levar a uma hipertermia. Num ambiente muito frio, isso acelera demais a perda de calor e pode levar a uma hipotermia. O importante é sempre ter uma excelente hidratação. Usar roupas adequadas para se proteger do frio e para permitir uma boa troca de calor num ambiente quente.

Assista á entrevista completa: Como carregar a mochila e ter melhor desempenho numa trilha ou expedição?

10 comentários em “Como se preparar para uma aventura? Dicas outdoor do Coronel Leite e do dr. Sílvio Musman

  1. Boa, Mateus!

    Estávamos precisando de colunas voltadas para aqueles que curtem se divertir em contato com formas mais preservadas da natureza. Espero as próximas. Parabéns!

    1. Que legal, Fred! Depois manda aí algumas dicas, sugestões e fotos para a galera que pode querer explorar essas rotas! Um grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *