Sonho e pesadelo na Libertadores

Publicado em Sem categoria

O Cruzeiro vem sobrando no Campeonato Mineiro, tendo aberto oito pontos de vantagem sobre o segundo colocado, o América, com oito rodadas disputadas. Isso animou o torcedor celeste, mas é bom lembrar que a equipe de Mano Menezes começará a ser colocada à prova a partir desta terça-feira, quando estreia na Copa Libertadores enfrentando o Rancing-ARG, em Buenos Aires.

Até o momento, a Raposa não foi realmente testada. Com o devido respeito aos times de fora de Belo Horizonte e até mesmo ao Coelho, a grande prova será a partir de hoje, quando entram em campo não só os aspectos técnicos, táticos e físicos, como também a parte psicológica – e isso vai muito além da tradicional catimba de nossos vizinhos, especialmente argentinos, uruguaios e paraguaios.

Há também de se contar com o imponderável. Claro que é mais fácil ser campeão com uma equipe composta por bons jogadores e que estejam “voando” que com atletas limitados e desentrosados. Mas em mata-matas às vezes a sorte conta tanto quanto ter camisa 10 com boa visão de jogo, aquele lateral que bate muito bem na boa ou um zagueiro excelente no jogo aéreo.

Citando casos recentes, o Atlético não teria nem passado das quartas de final em 2013 se Victor não tivesse feito “milagre” – são os próprios alvinegros que dizem isso – na cobrança de pênalti de Riascos, do Tijuana-MEX. Ou o resultado da final, no Mineirão, seria outro se o atacante Ferreyra, do Olímpia-PAR, não tivesse escorregado quando já havia deixa o goleiro atleticano para trás, em lance típico do “Sobrenatural de Almeida”, como escreveria Nelson Rodrigues.

Nas quartas de final de 2012, Diego Souza  ficou cara a cara com Cássio para colocar o Vasco em vantagem diante do Corinthians. Porém, bateu para fora, rente à trave, o jogo terminou 0 a 0 e time paulita avançou, terminando pela primeira vez campeã sul-americana e, posteriormente, mundial.

Como para muitos competência e sorte andam juntos, o time celeste segue como um dos favoritos ao título. Afinal, tem mais que um time bom, tem grupo. Isso certamente fará diferença, principalmente com percalços que toda equipe passa, sejam contusões ou suspensões. Outro ponto favorável aos celestes é o técnico Mano Menezes, que conhece bem os mata-matas. Certamente ele tirou lições da eliminações com Grêmio, em 2007, e Corinthians, em 2010, estando melhor preparado para conduzir a Raposa ao sonhado título.

4 comentários para “Sonho e pesadelo na Libertadores

  1. Aca de Argentina, nosotros solo sabemos que el River va a matar a los cariocas en Rio. Este Flamengo si no puede com Indepiendente, con river vamos a otro Maracanazo

  2. E foi justamente em detalhes como os que vc citou que o Cruzeiro se deu mal no El Cilindro,se a bola do Rafinha entra a história do jogo poderia ser outra.Também levar três gols de bola parada nao é normal.Muito boa leitura,keep rockin`.

  3. QUE LEITURA PERFEITA DO JOGO, QUE BELO COMENTÁRIO. SE OS JOGADORES DO CRUZEIRO TIVESSEM LIDO, TALVEZ O RESULTADO SERIA OUTRO. PARABÉNS PELA ANTECIPAÇÃO DOS FATOS, ISSO MOSTRA O QUANTO O JORNALISTA E CONHECEDOR DE FUTEBOL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *