Celulite: quais são as causas e como tratar?

Publicado em Autoestima, Bem-estar, Dermatologia, Drenagem linfática, saúde
Celulite: quais são as causas e como tratar?
Celulite: quais são as causas e como tratar? / Divulgação

O nome científico é complicado – lipodistrofia ginoide – mas 95% das mulheres do Brasil têm, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia. A temida celulite, que não é considerada uma doença pela medicina, se caracteriza pelo aspecto de “casca de laranja” na pele, principalmente nos quadris, coxas e nádegas. É mais comum na pele branca, mas acomete todas as etnias. Mais raro, pode ser vista também em alguns homens. 

Um problema estético que leva muitas mulheres a buscarem soluções que prometem ser milagrosas, como chás, cremes e até aparelhos eletrônicos. A fisioterapeuta em drenagem linfática manual, Joana Medrado, explica que, a primeira coisa que a mulher deve fazer é buscar ajuda profissional. “A drenagem linfática, por exemplo, é uma técnica que, feita corretamente, pode apresentar ótimos resultados. Não é invasiva e não coloca a saúde da mulher em risco. Pelo contrário, ajuda o organismo a eliminar toxinas acumuladas e, com isso, pode melhorar a saúde em geral”, diz.

E o que causa a celulite?

Apesar de muito popular, a celulite foi pouco estudada pelas pesquisas médicas. Trata-se de um aspecto dermatológico que pode ser causado por vários fatores, como predisposição genética, etnia, biotipo do corpo e localização da gordura. Ela pode ser causada ainda por problemas de circulação que atrapalham a fluidez do sangue, alterações hormonais, com altos níveis de estrogênio – o hormônio da mulher -, má alimentação e hábitos de vida ruim, como tabagismo e consumo de bebidas alcóolicas.

Como eu faço para saber o meu grau da celulite?

A celulite é encontrada em vários graus de severidade, segundo a SBD. Para definir o tratamento adequado, os médicos devem avaliar as características da celulite em cada pessoa, sendo as principais o número e profundidade de depressões; aspecto de áreas elevadas; presença de lesões elevadas e presença de flacidez, entre outras. Em cada um dos itens é dado um ponto de 0 a 3, e depois esses pontos são somados. Daí, se chega à classificação de leve (1 a 5 pontos), moderada (6 a 10) e grave (11 a 15 pontos).  Fazer essa classificação é importante para determinar o tratamento mais adequado para cada mulher.

Drenagem linfática x celulite

A drenagem linfática é uma grande aliada na melhora do aspecto celulítico, conhecido como “casca de laranja”, em todos os graus. Isso porque estimula uma maior oxigenação dos tecidos, o que favorece a eliminação mais rápida e mais eficiente de toxinas e de líquidos acumulados, além de aumentar a absorção de nutrientes, entre outros benefícios.

Esse conjunto ajuda a diminuir a celulite. Muitos pacientes conseguem ver o resultado já na primeira sessão. “E é muito importante que as pessoas entendam que a drenagem linfática é um tratamento com pressão leve em pontos específicos do corpo, os linfonodos. Então, não pode ser feita pressão ou força nos membros, não pode doer e não pode deixar ‘marcas roxas’”, esclarece Joana Medrado.

Outro ponto fundamental é manter uma rotina com hábitos saudáveis sempre que possível, com alimentação balanceada, exercícios físicos e evitar consumo de álcool e o tabagismo.

 

Sobre Joana Medrado

Mineira, natural de Belo Horizonte, casada e mãe de dois meninos, a Joana Medrado é uma das mais respeitadas profissionais da Drenagem Linfática Manual no Brasil. Formada em Fisioterapia pela Uni-BH em 2006 é pós-graduada em Geriatria e Gerontologia, em Dermatofuncional e em Estética Clínica Avançada, e possui Certificação Internacional em DLM Avançada pelo Método LEDUC.

Um comentário para “Celulite: quais são as causas e como tratar?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *