O que fazer para corrigir o sorriso gengival?

Publicado em saúde bucal

Algumas pessoas têm o lábio superior mais elevado ou um excesso de osso ou gengiva na arcada superior e, ao sorrirem, mostram grande parte da gengiva, provocando desconforto e constrangimentos. Muitos sofrem bullying por essa condição, principalmente durante a adolescência, e chegam até a deixar de sorrir ou escondem a boca com as mãos. Esse é o chamado sorriso gengival, exposição da gengiva maior que quatro milímetros, e é mais comum em mulheres, como as atrizes Glória Pires e Beth Goulart e a cantora Wanessa Camargo, por exemplo. A condição é provocada por um desequilíbrio entre os dentes, gengiva e os lábios, sendo influenciada pelo sexo e pela idade. As causas podem ser hereditárias, como o excesso de crescimento do osso da maxila, desvios na erupção dentária – quando os dentes ficam escondidos –, e contração aumentada dos músculos que contraem o lábio superior.

Exposição da gengiva incomoda muitas pessoas, que deixam de sorrir e buscam cirurgias para corrigir o problema, como a atriz Glória Pires e a cantora Wanessa Camargo

 

A cantora Wanessa Camargo tinha sorriso gengival de grau leve e tratou com uma plástica na gengiva, chamada gengivoplastia, considerada simples e rápida. Glória Pires também se submeteu à cirurgia. Uma vez que tinha um grau mais elevado, a atriz passou por dois procedimentos para corrigir o sorriso gengival, aos 21 e aos 30 anos, ficando satisfeita com o resultado.

 

Tratamentos

Alguns tratamentos são utilizados para corrigir esse problema estético, proporcionando harmonia ao sorriso. “A gengivoplastia, por exemplo, remove o excesso do tecido da gengiva, expondo mais os dentes. Ela está indicada quando há um crescimento excessivo da gengiva, deixando os dentes curtos. Para casos de sorriso gengival graves associados à ausência de selamento dos lábios em repouso, é indicada a cirurgia ortognática, a qual remove e reposiciona o osso que está em excesso”, explica Sílvia Reis, doutora em ortodontia. Existem ainda outras técnicas, como a de aplicação de toxina botulínica, indicada nos casos de acentuada contração do lábio superior. O Botox limita a contração do lábio e, por conseguinte, da exposição da gengiva, sendo necessária reaplicação a cada quatro meses, em média.

 

Segundo Sílvia, os tratamentos devem ser indicados de acordo com a causa do sorriso gengival. Há algumas contraindicações para os tratamentos. “O paciente precisa ter boa higienização bucal e não deve ter placas bacterianas para realizar qualquer uma das cirurgias, com o objetivo de prevenir doenças bucais. Fumantes, gestantes, diabéticos, hipertensos ou pessoas que apresentam algum tipo de distúrbio na coagulação sanguínea também não podem fazer os procedimentos”, acrescenta a doutora. Já nas crianças, o sorriso gengival deve ser diagnosticado e tratado precocemente a fim de evitar procedimentos mais invasivos na vida adulta.

2 comentários para “O que fazer para corrigir o sorriso gengival?

    1. Olá! Infelizmente, a especialista não faz mais parte do nosso grupo de colaboradores. Não conseguimos responder sua pergunta.
      Boa semana!
      Att, adm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *