Transtorno mental na família como conviver?

Homem transtornado
Foto: Pixabay – Procure conhecer mais sobre a doença

A pandemia e seus transtornos  

A pandemia trouxe muitos transtornos na vida das pessoas. Isolamento, perda de emprego e de poder aquisitivo, medo de se contaminar, de morrer ou de perder alguém querido sem ter a possibilidade de se despedir. 

Procure conhecer mais sobre a doença.

Diante desse cenário, viu-se um aumento significativo de transtornos mentais na população, conforme as pesquisas têm mostrado.  

O que acontece? 

Para uns, mal o dia começa , e já é possível sentir alguma carga como tristeza, angústia, ansiedade ou qualquer outra emoção que possa estar atrapalhando a rotina.  

Se você ou alguém que conheça está passando por isso, é porque chegou a hora de começar a cuidar mais do bem-estar mental. Pedir ajuda é um ato corajoso e não deve ser motivo nenhum de vergonha, pelo contrário.  

 Por vezes, conviver com alguém que tenha transtorno mental passa a ser desafiador. A dor e o sofrimento de ver um ente querido ou uma pessoa amiga com estados de depressão ou esquizofrenia,  pode causar sensações de desamparo, impotência e perda.  

Como equilibrar? 

Uma forma de equilibrar os problemas psicológicos de uma pessoa e o bem-estar de quem convive é entender quais são os sintomas que a aflige. Procure conhecer mais sobre a doença, sintomas e tratamento.  

 É comum encontrar casos em que parentes e amigos que limitam as suas próprias vidas e acabam alterando radicalmente seu modo de viver, entregando-se totalmente aos cuidados com o paciente.  

 Há casos em que as pessoas também podem ficar doentes e entrar em depressão ou estresse, em razão da grande carga emocional e física de ser um cuidador.  

 Com o passar do tempo, sem o devido equilíbrio, o cansaço e a rotina vão causar sentimentos de culpa e limitações. 

⠀O que fazer ? 

É preciso verificar se as pessoas próximas a você estão bem. Mande uma mensagem ou faça uma ligação ou videochamada. Não sinta medo de oferecer um ombro amigo, ou de pedir um. Se moram com você, bata na porta do quarto e se assegure de que eles estão bem. 

 Às vezes, as doenças mentais são sorrateiras e silenciosas. Esteja atento aos sinais em você e nos outros. Se necessário,  informe e busque  uma ajuda profissional.  

 Se você cuida de alguém com transtorno mental, busque dividir essas tarefas com outras pessoas, assim, a rotina fica mais leve. Deixe claro para seus familiares ou amigos quando estiver se sentindo sobrecarregado e cansado para que todos possam fazer sua parte. E lembre- se procure conhecer mais sobre a doença. 

 E lembre-se de procurar um profissional quando sentir necessidade. 

 Antonio Sena, Psicólogo, com Mestrado pela UFMG, Especialização em Gestão de Pessoas pela Fundação João Pinheiro, perfil no Instagram : @sermaispositivo https://www.instagram.com/sermaispositivo/?hl=pt-br

Leia também: https://blogs.uai.com.br/projetometamorfose/consciencia-negra/

Izabela Cardoso

Sou Izabela Cardoso Praça, tenho 25 anos, cristã, jornalista, produtora de conteúdo e blogueira. Amo ajudar e inspirar pessoas com a minha história, onde busco superar a depressão e a ansiedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *