O que é disfunção comportamental coletiva?

 

Foto por Hamed Mehrnik – Pixabay

 

Por : Jaqueline Bifano Psiquiatra

 

O que é disfunção comportamental coletiva?

 

A Disfunção comportamental coletiva é um comportamento moderadamente espontâneo não estruturado gerado em um grande número de pessoas, por situações e notícias relacionadas a determinado evento, ou problema, e que acaba mexendo com o emocional de todos.

 

Já o comportamento coletivo se torna alterado, entre outros motivos, devido à ansiedade generalizada sobre uma suposta ameaça à ordem, quando um grande número de pessoas acredita que há um grande mal ameaçando o bem-estar da sociedade, temor que costuma ter natureza exagerada, com as pessoas reagindo de forma desproporcional a algum perigo ou problema.

 

Qual a sua semelhança com o coranavírus?

 

Com a pandemia do coronavírus tem gerado um clima de terror entre as pessoas e isso tem consequências emocionais também. Estão todos apavorados com as notícias que chegam de todo o mundo falando sobre número de pessoas infectadas, internadas e mortas.

 

É muito importante deixar claro que o objetivo não é minimizar a gravidade da situação real de uma pandemia, pois estamos vivendo uma crise mundial sim, porém, alertar que a ansiedade generalizada tem consequências perigosas para a saúde mental coletiva.

 

Como medidas preventivas, ter cautela ao disseminar comentários e notícias sensacionalistas que alimentam a sensação de terror, informar-se sobre as medidas que podemos tomar, sobre como fazer a nossa parte e convencer, de maneira civilizada, aqueles que ainda não entenderam a real situação. Mas tudo sem provocar ainda mais pânico ou desespero nas pessoas.

 

11 atitudes para gerenciar o estresse durante uma disfunção comportamental coletiva

 

A Organização Mundial de Saúde elaborou uma lista com dicas sobre como gerenciar o estresse em tempos de coronavírus.

Entre eles:

 

1 – Controlar o acesso a informações – A quantidade e qualidade da informação que acessamos sobre o coronavírus deve ser foco de atenção. Segundo a OMS, é importante controlar a quantidade de tempo que passamos assistindo, lendo ou ouvindo notícias que trazem angústia, e também sabermos separar horários específicos do dia para fazer isso.

 

     2 – Tomar cuidado com as fake news – É importante estarmos atentos a veículos confiáveis e fontes oficiais e não nos atermos às informações compartilhadas por Whatsapp. Além disso, é fundamental não passar para frente informações que possam ser falsas. Para saber se elas são falsas ou verdadeiras, é importante ler todo o texto, a autoria do mesmo, e buscar no Google para saber se a matéria foi veiculada ou não e se outros sites confiáveis também estão dando a mesma informação. O mesmo deve acontecer com imagens e áudios.

 

   3 – Fazer uso de redes sociais para interagir com amigos e familiares – Nesse período é muito importante. Assim, ninguém se sente sozinho. Devemos evitar também informações falsas e pessoas que nos deixem para baixo;

 

4 – Procurar ser solidário e prestar auxílio para aqueles que necessitam de ajuda – É essencial ajudar pessoas de grupos de risco, como idosos, pessoas hipertensas ou doentes crônicos;

 

 5 – Reservar um tempo para cuidar de si – Seja relaxando, fazendo atividades físicas, leituras agradáveis e lembrando da importância de uma boa noite de sono e de uma alimentação equilibrada;

 

6 – Ter conhecimento e reconhecer que profissionais da área da saúde estão trabalhando muito para conter o vírus – Eles não estão medindo esforços para atender os pacientes infectados com o novo vírus e trazer soluções para essa crise;

 

7 – Apegar-se aos pontos positivos – É de conhecimento de todos que o coronavírus é uma pandemia, mas sabemos que, ficando dentro de nossas casas, fazendo a higienização correta das mãos e alimentos, realizando todas as recomendações dos órgãos de saúde competentes, sendo empáticos com os grupos de risco e entendendo a seriedade da situação, temos chances reais e vamos vencer essa batalha.

 

Além das dicas da OMS, a psiquiatra Jaqueline passa algumas outras atitudes que podem ajudar a manter o equilíbrio mental, como por exemplo:

 

8 – Estabelecer rotina – Colocar horários certos para dormir, acordar, tomar café, trabalhar (caso esteja de home office), praticar atividades físicas, alimentar-se e descansar;

 

9 – Praticar meditação e ioga – As duas atividades ajudam a diminuir os níveis de ansiedade e estresse. Se a mente vai bem, o corpo também fica bem e vice-versa;

 

10 – Fazer terapia online;

 

11 – Entender que você não está sozinho – Além do prejuízo com relação à saúde, os impactos financeiros estão desesperando muita gente. É importante manter a calma e entender que as pessoas estão passando por situações semelhantes.  “O quanto antes todos entenderem o que é preciso fazer para que o vírus não se espalhe mais rápido as coisas voltam ao normal para todos” complementa a profissional.

Veja também: Como fazer yoga e meditação em casa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *