Desistência de atletas nas Olimpíadas

Desistência de atletas nas Olimpíadas
Desistência de atletas nas Olimpíadas

 

 

Desistência de atletas nas Olimpíadas de Tóquio 2021 destaca a importância de se discutir sobre habilidades socioemocionais

Atletas renomados na competição reclamam da pressão e do estresse em razão do alto desempenho nas provas. 

Dois grandes nomes das Olimpíadas de Tóquio 2021 tiveram coragem de expor questões delicadas sobre saúde mental em esportes de alta performance. A ginasta americana Simone Biles e a tenista japonesa Naomi Osaka decidiram por não continuar a competir para cuidar da saúde mental.

Níveis muito elevados de expectativa e cobrança, como é o que ocorre em competições de nível internacional, são um terreno fértil para o aparecimento de ansiedade, depressão e outros transtornos mentais. Por isso que momentos como esse aumentam as discussões sobre as chamadas habilidades socioemocionais, capazes de ajudar o ser humano a identificar e controlar suas emoções.

“A pressão por ter sempre um excelente desempenho pode provocar alterações na saúde mental e, por isso, muitas vezes acaba sendo difícil para os profissionais esportivos”, avalia o psiquiatra e um dos fundadores do Programa Semente, Celso Lopes de Souza.

Ele também chama a atenção para o debate que precisa ser feito nas escolas para o desenvolvimento das habilidades socioemocionais como regulação das emoções, autocontrole e autoconhecimento, que são poderosos instrumentos de transformação para uma vida mais saudável.

Leia também: A partir de um sonho que tive

Fernando Oliveira
Nathalia Di Oliveira
(11) 95331.2614

Izabela Cardoso

Sou Izabela Cardoso Praça, tenho 25 anos, cristã, jornalista, produtora de conteúdo e blogueira. Amo ajudar e inspirar pessoas com a minha história, onde busco superar a depressão e a ansiedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *