Parâmetro da segunda fase da Euro

Publicado em

QUARTAS DE FINAL

República Tcheca x Portugal
Depois de começar perdendo com goleada para a Rússia, a República Tcheca recuperou as boas atuações e certamente não facilitará as ações para os portugueses, que têm um time mais coeso e preparado e é o grande favorito no duelo. Também possuem um craque em condições de decidir: o atacante Cristiano Ronaldo. Em sua melhor participação na competição, os tchecos conseguiram o vice-campeonato em 1996. No papel da extinta Tchecoslováquia, a seleção venceu em 1976. A melhor campanha lusitana também foi o segundo lugar, em 2004, em casa.

Alemanha x Grécia
Se conseguirem levar vantagem sobre a forte retranca dos gregos, os alemães têm tudo para passar bem de fase, sobretudo com uma goleada. O time de Jachim Löw é o mais habilidoso da Eurocopa, favorito ao título ao lado dos espanhóis. Resta saber se a qualidade dos seus astros persistirá nas fases seguintes. A Grécia, segunda no Grupo A depois de ganhar a disputa com a Rússia, é responsável pela maior zebra da Euro nos últimos anos: o título de 2004 sobre Portugal. Na história, a Alemanha venceu três vezes (1972, 1980 e 1996).

Espanha x França
É o duelo mais equilibrado das quartas de final da Eurocopa. As seleções se enfrentaram nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2006 e a França venceu por 3 a 1, com grande atuação de Zinedine Zidane. Agora, a história é diferente, pois os espanhóis lideram o ranking da Fifa e carregam o status de atual campeões mundiais e continentais (eles também chegaram à conquista em 1964). No papel, isso representa muito, pois transmite confiança à excelente e bem-formada seleção de Vicente del Bosque, cuja esperança está nos talentos do Barcelona Iniesta e Xavi. Mas a França, bicampeã da Eurocopa (em 1984 e 2000), também tem condições de surpreender e confia nos gols de Benzema para passar de fase.

Inglaterra x Itália
O duelo revive a disputa do terceiro lugar da Copa do Mundo de 1990, quando a Azurra derrotou o rival por 2 a 1. Agora, a Inglaterra teria ligeira vantagem por estar melhor no momento. A força italiana jamais deve ser descartada, mas a seleção de Cesare Prandelli vive um processo de renovação ainda lento e carecendo de jogadores de nome para decidir. Seu maior talento, o atacante Mário Balotelli, vive flagrado entre problemas de indisciplina e pode prejudicar sua equipe na hora H. Já a Inglaterra passa por momento de afirmação e é uma das seleções mais organizadas taticamente da Europa. Depois que Fábio Capelo deixou o comando da equipe, Roy Hodgson manteve os jogadores, mas deu sua cara: um time bem postado na defesa, com elementos de referência como Ashley Cole, Gerrard e Rooney. Os ingleses buscam sua primeira conquista da competição, tendo ficado em terceiro lugar em 1968 e 1996. Já os italianos ficaram em primeiro justamente em 1968.

TÍTULOS

Alemanha – 3 (1972,1980 e 1996)

Espanha – 2 (1964 e 2008)

França – 2 (1984 e 2000)

Rússia – 1 (1960)

República Tcheca – 1 (1976)

Itália – 1 (1968)

Holanda – 1 (1988)

Dinamarca – 1 (1992)

Grécia – 1 (2004)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *