Os destinos que podem se cruzar

Publicado em

PSG e Real Madrid caíram precocemente na Liga dos Campeões, o que se tornou maior a bomba durante a semana no futebol mundial. A queda dos dois gigantes, em derrotas inesperadas em casa, mudam completamente o planejamento dos times em 2019. A eles, só restarão os campeonatos nacionais.

Pelo segundo ano consecutivo, o Paris Saint-Germain fracassa no sonho de conquistar a Liga dos Campeões. E mais uma vez a equipe não conta com seu principal jogador na hora da eliminação, o brasileiro Neymar. As lições que a bola prega é a de que o dinheiro não é o suficiente para se formar um time vencedor. É preciso também outros fatores, como experiência, bagagem e histórico forte em competições importantes.

Somente com as quedas que o PSG vai se tornar forte e chegar ao topo da Europa. O time não tem ainda a tradição de outros concorrentes. É necessário também um equilíbrio maior no time, sobretudo com reforços para as posições de meio-campo.

E Neymar? Vai ser realmente o jogador decisivo que o torcedor espera? A realidade é a mesma do PSG. O camisa 10 da Seleção Brasileira precisa se levantar dos tombos para finalmente poder se tornar forte. Ele tem brilho, mas ainda falta ser um protagonista.

Já o Real sofreu o baque da perda de Cristiano Ronaldo e do técnico Zidane. O clube se reestrutura dentro das quatro linhas para poder voltar a chegar no grupo de cima. Depois de três anos dominando a Europa e o mundo, o time merengue agora terá de se reinventar em relação ao estilo de jogo para duelar contra outras forças. Precisará também de um jogador decisivo, que brilha e tem potencial para ser o protagonista

Neymar não é o que Real precisa? Hoje, os destinos deles se aproximam, mesmo que os clubes negam qualquer negociação. No melhor dos cenários, Madri seria o terreno ideal para receber o camisa 10, que precisa de um clube com potencial para tentar brilhar.

2 comentários para “Os destinos que podem se cruzar

  1. Na minha modesta opinião, não vejo Neymar como o grande jogador que o Real precisa.
    Neymar ainda não é um grande craque, pois continua agindo como menino mimado, esnobando a sua riqueza, e, agindo como fosse o melhor.
    O grande craque tem que ter maturidade, não só dentro de campos mas também fora, mostrando bom carater e admiração dos outros.
    O Neymar não nos passa estas virtudes, tanto é verdade, que ele é antipatizado pelos seus colegas de profissão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *