Messi era o anfitrião. Mas Hart foi o protagonista

Publicado em

LLUIS GENE/AFP

Ótimo posicionamento e reflexo, regularidade e sorte. Essas são as características fundamentais de um grande goleiro. Aos 27 anos, o inglês Joe Hart provou que um jogador da posição pode ser o protagonista de uma partida de expressão da Liga dos Campeões, mesmo com tantos craques em campo, como Neymar, Messi, Suárez e Aguero. Ele fechou o gol do Manchester City, mas não conseguiu evitar a eliminação para o Barcelona na competição europeia.

Hart esteve na Copa do Mundo no Brasil, no ano passado, e não causou boa impressão, já que a Seleção Inglesa foi eliminada ainda na primeira fase, num grupo que tinha Itália, Costa Rica e Uruguai (as duas últimas se classificaram às oitavas de final). Mesmo assim, o camisa 1, de 1,96m de altura, vem se destacando no Campeonato Inglês, ajudando o Citizens a se manter na segunda posição, atrás do Chelsea.

O camisa 1 passou por outros clubes da terra da Rainha antes de se consolidar no Manchester: Birminghan e Blackpool. Seu crescimento rendeu elogios do técnico italiano Fábio Capello, que o deu a primeira chance na Seleção e o levou para uma Copa do Mundo (a de 2010, na África do Sul)

No Camp Nou, ele fez ao menos oito grandes defesas, cara a cara com os atacantes do Barça. Curiosamente, o goleiro catalão Ter Stergan também se tornou o heroi, ao defender pênalti cobrado por Agüero. Apesar da eliminação, o Manchester City tem um time bem treinador pelo chileno Manuel Pellegrini. Não fez bom jogo na Inglaterra e perdeu por 2 a 1, o que contribuiu para a queda nas oitavas de final.

No outro jogo, a Juventus contou com show do argentino Tevez para golear o Borussia Dortmund e se classificar às quartas de final. O ex-corintiano marcou dois gols e deu assistência para Morata fazer o outro. Tevez brilhou também na vitória italiana em Turim, por 2 a 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *