Exemplo para os Sul-Americanos

Publicado em

Sempre invejamos os europeus em quase tudo. Até no futebol eles dão exemplo de desenvolvimento, organização e transparência. A novidade desta vez é o Fair Play Financeiro, criado pela Uefa para que os clubes do Velho Continente tenham o balanço econômico equilibrado. Eles não podem gastar mais do que ganham, nem desperdiçar dinheiro com contratações, salários milionários ou aquisições de propriedade.

Por isso, a Uefa excluiu o espanhol Málaga das próximas quatro edições da Liga dos Campeões e da Liga Europa, mesmo que a equipe tenha êxito dentro dos gramados e conquiste a vaga. Motivo: atrasos de salários dos jogadores e dos impostos fiscais. Além disso, o clube levou multa de R$ 820 mil e está proibido de contratar novos atletas até que o caos seja resolvido. Estima-se que a dívida do representante das Astúrias gira em torno de R$ 50 milhões.

Após receber o investimento do xeque Abdullah bin Nasser bin Abdullah Al Ahmed Al Thani, o Málaga se tornou um dos novos milionários clubes do continente Europeu e trouxe atletas como o holandês Van Nistelrooy, o paraguaio Santa Cruz e o espanhol Joaquin. A intenção era se transformar na terceira força do futebol espanhol. Mas a crise financeira jogou tudo para baixo.

Além do Málaga, outras equipes também foram excluídas das competições européias: os croatas Hadjuk Split e Osijek, os romenos Dínamo Bucareste e Rapid Bucareste e o sérvio Partizan Belgrado. Já o Vojvodina, também da Sérvia, e o Arsenal de Kiev, da Ucrânia, foram apenas multados.

Agora, trazemos a situação para o nosso lado. Se a Confederação Sul-Americana de Futebol ou a CBF implantassem o modelo europeu, um punhado de clubes por aí seria chutado para escanteio e não poderia disputar competições internacionais por 10 a 15 anos…  Flamengo, Vasco, Botafogo, Portuguesa, Ponte Preta, Sport, Palmeiras… E por ai vai…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *