Em alta

Publicado em

Glyn Kirk/AFP

Mano Menezes não é bem visto pela maioria dos torcedores brasileiros, mas mantém seu prestígio junto à CBF, apesar dos fiascos desde que assumiu o comando da Seleção Brasileira. No ano passado, ele fracassou na tentativa de conquistar a Copa América, sendo eliminada ainda nas quartas de final pelo Paraguai. Além disso, houve o desempenho ruim na Olimpíada de Londres, em que perdemos o ouro na decisão contra o México.

Na realidade, o presidente José Maria Marin teme que uma troca de comando agora abale a preparação brasileira para a Copa do Mundo de 2014, em casa. Existem boas opções no mercado, como Muricy Ramalho, Luiz Felipe Scolari e Tite, mas o prestígio de Mano deve prevalecer.

Recentemente, Muricy renovou contrato com o Santos até o fim de 2013, mas sem multa rescisória em caso de proposta da CBF. Sério, dedicado e profundo conhecedor de tática de futebol, ele é o nome ideal para ocupar o cargo caso Mano perca o emprego. O fato é que a Seleção é uma incógnita faltando menos de um ano para a Copa das Confederações.

O time de aposta para 2014 deve ser parecido com o que foi em Londres, além do goleiro Jefferson, o lateral-direito Daniel Alves e o volante Ramires. Temos bons jogadores, mas não há uma base sólida e formada. Seria horrível para nós se não chegássemos pelo menos às semifinais em 2014, o que não ocorre desde 2002, quando conquistamos o pentacampeonato. Mano sabe disso e conviverá com a pressão de levar o Brasil ao hexa. Vai ser um desastre se o planejamento não der certo e sermos obrigados a ver a festa dos outros em nossa própria casa.

Só para lembrar: Mano teve o destino de Dunga e Zagallo, que ganharam nova chance depois de fracassar na Olimpíada. Em 2008, o capitão do Tetra levou o bronze na China após perder nas semifinais para a Argentina. Em 1996, o Velho Lobo também ficou em terceiro, derrotado de virada pela emergente Nigéria. Já Vanderlei Luxemburgo não sobreviveu ao cargo em 2000, quando foi eliminado por Camarões nas quartas de final.

MANO NA SELEÇÃO BRASILEIRA

32 JOGOS

20 VITÓRIAS

5 EMPATES

7 DERROTAS

67% DE APROVEITAMENTO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *