Skip to main content
 -
Psicólogo graduado pela Universidade FUMEC, Pós-graduado em Psicologia Médica pelo departamento de Psiquiatria e Neurologia da Faculdade de Medicina da UFMG e Mestre em Educação, Cultura e Sociedade pela UEMG, tendo desenvolvido dissertação na área de Violência Contra a Mulher.

Pergunta de leitora – Meu marido só me maltrata e quer sexo toda hora

homem maltrata mulher“Olá, Dr. Douglas Amorim. Sou casada há vinte e seis anos, fui traída muitas vezes e acabei perdoando meu marido. Ele quer fazer sexo comigo o tempo todo. Não dá a menor importância pra mim, não quer saber se estou bem, não sai comigo e não me faz nenhum agrado. Pra conseguir ter paz dentro de casa, tenho que ficar transando com ele, mesmo sem ter vontade. Além disso, põe defeito no meu corpo, nas minhas roupas, no meu modo de falar e em mais uma série de coisas. Tento conversar, mas nada muda. Diz que eu fico inventando coisas, que vivo reclamando e não ouve nada. Na realidade, acho que ele não me respeita. Não me dá valor, fica zombando de mim e é debochado. Afirma que eu gosto tanto dele, que ele faz o que quer e eu ainda o trato bem. Sinto-me reprimida por não poder falar nada e, às vezes, dá vontade de ficar com outra pessoa só pra ver se tenho mais carinho, se sou tratada com mais atenção e respeito. Às vezes penso que não devo ser atraente, de tanto que fico pra baixo. Estou angustiada”.

 

Envie sua dúvida para perguntaUAI@gmail.com  Não identificamos os autores das perguntas

 

Resposta:

Querida leitora, ao longo destes vinte anos de Psicologia, cheguei a uma conclusão inquestionável, na minha humilde opinião: a de que, a maioria dos casamentos que não deram certo, sequer deveriam ter passado do namoro. Por isso, eu sempre friso que a época do namoro é um período fundamental e que, casamentos que acontecem da noite para o dia, devem ser vistos com reserva. Durante o período em que estamos namorando, conseguimos observar muitos detalhes da personalidade do outro. É possível perceber se ele é companheiro, se é afetuoso, se demonstra fidelidade, se é cuidadoso, se tem ambições profissionais, se é organizado com dinheiro etc. Além disso, constatamos se é uma pessoa mais calma ou agitada, se é honesta, se é egoísta ou altruísta, entre outras coisas. Portanto, além do amor que sentimos pelo outro, é no namoro que observamos comportamentos e características de personalidade, como os citados acima.

Observar tais pontos é muito importante porque, casar com alguém, dizendo que sabe de características ruins que ele tem, mas que, com o amor, tudo é superado, e que depois do casamento as coisas mudam pra melhor, é muita ingenuidade e/ou falta de inteligência emocional. Claro que após o matrimônio, ocorrem algumas mudanças, porém, não acredito que a pessoa mude da água para o vinho. Portanto, se você se casou com alguém, sabendo de coisas como infidelidade, desonestidade, desrespeito etc., casou sabendo.

E o que me impressiona, é o número imenso de mulheres que se prestam a levar relações simplesmente inviáveis. São constatações diárias nas quais, desrespeito e violência, perpassam a relação. Não é a toa que o Brasil é um país com índice tão elevado de violência contra a mulher. E, engana-se quem pensa que violência contra a mulher se resume a socos e pontapés. A violência pode ser física, mas também pode ser psicológica, sexual e patrimonial. O que você está se permitindo, ao longo destes vinte e seis anos, é ser violentada diariamente em sua auto-estima, em sua dignidade, em seus princípios e valores. Você disse que “na realidade, acha que ele não te respeita”. Diante de todas as ofensas mencionadas, querida leitora, não ache. Tenha certeza disso.

Dica pra você: são vinte e seis anos sofrendo humilhações, que vão desde o deboche do seu corpo, roupas e modo de falar, até transar sem ter vontade para ter paz em casa. Você já se perguntou que tipo de relação é essa e o que faz você continuar aturando todas essas coisas? Se a resposta for “é porque eu gosto dele”, acho bom você repensar se vale a pena permanecer nesta situação. Se tudo estivesse bem, você não me enviaria uma mensagem como esta, certo?  Não se esqueça que seu relato termina com a palavra angustiada.

Sendo assim, você tem três a caminhos a seguir. O primeiro é deixar tudo exatamente como está. Ou seja, se submeter aos mandos e desmandos dele para o resto da vida. Obviamente, nada de mudanças. A segunda possibilidade seria você pensar em continuar casada, porém, adotando uma nova postura. Não fazer sexo forçada, não tolerar insultos e exigir que ele tenha um comportamento minimante compatível com o de um homem casado. A partir da sua mudança, algo irá acontecer. Ele passará a te respeitar ou a relação irá ficar insustentável e terminará. A terceira e última hipótese é simplesmente partir para a separação, caso você não veja possibilidades de melhora por parte dele.

Sair com outras pessoas, na minha opinião, não é solução pra nada. Ficar com outro homem, pra ver se você seria tratada com mais carinho e atenção, faria de você uma pessoa que se igualaria a ele no quesito infidelidade, percebe? Fora que, se você fosse descoberta, a reação de um sujeito com as características que você descreveu seria imprevisível. Por fim, todos nós temos qualidades e defeitos. E, seguramente, suas qualidades podem te ajudar a ser feliz afetivamente, ora! Você construiu uma espécie de masmorra e está aprisionada nela. Não importa se uma relação durou um ano, cinco ou trinta. Se ela não atende minimante aos seus anseios, precisa, sim, ser questionada. Hora de mudar de atitude porque, essa que você tem adotado ao longo de tantos anos, não funcionou. Ou melhor, funcionou pra ele, que tem tudo a tempo e a hora, do jeitinho que deseja. Boa sorte e se cuide!

Um abraço do

Douglas Amorim

Psicólogo clínico, pós-graduado em Psicologia Médica, mestre em Educação, Cultura e Sociedade

www.douglasamorim.com.br

Instagram: @douglasamorimpsicologo

 

 

 

 

 

6 comentários em “Pergunta de leitora – Meu marido só me maltrata e quer sexo toda hora

  1. Perfeita colocação, Dr. Passo a mesma situação, só não largo agora porque estou desempregada. Há meses não me toca , porque não me respeita. Só agrada quando quer satisfazer suas necessidades. Eu já disse a ele que isto não é AMOR. E vamos acabar com isto, estou dormindo em outro quarto. Ontem , responde mais leve com ele, ele sem me dizer nada , levou as crianças para minha sogra, e eu estava no dias do meu ciclo e atarefadíssima . Perguntei espantada, “mas como você toma uma atitude desta?” Ele crê que sexo é carinho, que os problemas se resolvem assim, que durante um dia , uma semana de maus tratos se elequer tem que ceder. E fora , que se ele não tem o que quer , até as crianças ele maltrata. Não conversamos, porque ele só tem críticas. Para que ficar casada? Fomos criada com conceitos impostos e eles que nos regem , não a nossa vontade. Temos que reeaprender . CASAMENTO NÃO É ISTO. Mas nos amar. Obrigada, Dr Douglas . Isto é ser homem.

  2. O dr Douglas disse tudo , outro dia vir um rapaz apontando o dedo em plena esquina na cara da noiva , depois de tudo os 2 saíram em beijos e abraços…acredito que a pessoa se prende a uma relação abusiva de infinitos motivos mas muito vai da falta de maturidade emocional que cega pra que ela perceba que é merecedora de um amor maior .

  3. Aparecem umas histórias aqui que são difíceis de acreditar que são reais. Como alguém se submete a isso? Só pode ser a criação machista que teve. Não é possível.

  4. Querida, já ouviu aquela expressão “enquanto tiver cavalo São Jorge não anda à pé”? Você mesma está permitindo a humilhação e isto só vai parar se você exigir ser respeitada. Todos temos direito à dignidade e bem-estar, mas o atendimento ao direito nem sempre vem gratuitamente, você deverá lutar para esta conquista. Seja pró-ativa e faça as coisas boas acontecerem pelas suas próprias mãos. Mas você também pode buscar apoio com algum familiar ou amiga, ou ainda com órgãos ligados à prefeitura que defendem os direitos da mulher.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.