Skip to main content
 -
PCAlmeida é Cruzeirense, publicitário fanático, jornalista teimoso.

O que significa a invencibilidade do Cruzeiro?

Fred deixou o seu na vitória em Juiz de Fora

O Cruzeiro é o único time da séries A e B que não sabe o que é perder em 2019.

Aliás, a última derrota celeste foi no dia 25 de novembro de 2018 para o Flamengo, no Mineirão. Uma partida que, para o Cruzeiro, valia muito pouco.

São quase 4 meses de invencibilidade. Neste ínterim, (contando com o empate com o Bahia na última rodada do Brasileirão de 2018) foram 12 jogos, 7 vitórias, 5 empates, 20 gols marcados e 5 sofridos.

Mas o que há por trás desta invencibilidade?

Sem dúvidas que os números são excelentes. Mas futebol não são apenas números.

O Cruzeiro, ao melhor estilo Mano Menezes, segue o seu estilo pragmático. Faz poucos gols, mas toma muito menos ainda.

Noves fora a fragilidade dos adversários do Estadual, o Cruzeiro tem nesse computo uma vitória gigante sobre o Huracan, na Argentina.

Após a partida contra o Tupi, onde o adversário estava literalmente entregue em campo, ouvi algumas críticas de que o time poderia forçar para fazer um placar dilatado, uma goleada histórica.

A meu ver, o time até criou bastante. Fred teve dois gols anulados e Marquinhos Gabriel entrou muito bem, causando um salseiro na defesa adversária.

A verdade é que o Cruzeiro não quis pisar na tábua. Tem os seus motivos. O jogo não valia nada, o sol estava muito quente, havia a possibilidade de alguém se machucar numa partida inútil, adversário abatido, tudo isso contribuiu para que o time não forçasse demais a barra.

O estilo do Mano é assim. E vem colhendo frutos saborosos. Em grandes jogos, que realmente valem alguma coisa, o Cruzeiro já mostrou que se entrega de acordo com o que a peleja manda. Isso é o que importa.

Essa coisa de invencibilidade é legal, mas não me iludo. Sei que, mais cedo ou mais tarde, vamos perder. Faz parte do jogo. O que espero é que nos momentos agudos, o Cruzeiro corresponda e os títulos venham. O resto é perfumaria.

Saudações Celestes!!!

38 comentários em “O que significa a invencibilidade do Cruzeiro?

  1. Acho legal a invencibilidade. O problema é que não fomos testados contra times top 10 do Brasil. Os menos ruins são as Frangas, Mequinha e Huracán. Se tirar Egídio, e Edilson, podemos melhorar muito. Thiago Neves não faz falta. O Marquinhos Gabriel joga tanto quanto ou mais. No mais é aguardar os jogos mais difíceis.

  2. PC, a invencibilidade é importante mas o Cruzeiro deixou escapar pontos preciosos contra URT e BOA, o que nos daria a liderança do campeonato. Ano passado vencemos assim na soma dos dois resultados, e isso conta muito na hora da decisão. Espero que isso não nos atrapalhe, pois não gosto de perder pras frangas qualquer que seja a disputa. Pra cima deles Cruzeirão Cabuloso!!!

  3. Na boa, essa invencibilidade não significa nada!
    Em 2019 foram 3 jogos mais ou menos
    Empates nos clássicos de Minas
    E vitória suada ante o Huracan (que não é nenhum: boca jr, River, Racing…) e que vinha de 5 jogos sem vitórias qdo recebeu o Cruzeiro
    Torço e muito pra um de conquistas, mas é bom nos prepararmos pras decepções viu
    Já começou mal perdendo o 1 lugar pro rival com uma rodada de antecedência

  4. Significa que em campeonatos de pontos corridos não iremos a lugar algum e isto esta mais que provado. Ano passado no mineiro conseguimos levar a vantagem dos empates para o quadrangular o que acabau nos garantindo o caneco. Já no brasileirão um modesto 8º lugar e temos muito o que aprender pois uma vitória vale mais do que três empates já que o saldo de gols é o 2º quizito no critério de desempates. Vamos lá Cruzeirão e vê se solta este freio de mão. Saudações Celestes.

  5. “E assim caminha a humanidade”! Ou no nosso caso, a inofensividade! Sempre há motivos pra não se empenhar, pra não se doar ao máximo! E aí, dos quase 70 jogos do ano, “leva-se a sério”, no máximo 30! Sim, no sábado o time criou muito, até de forma surpreendente, já que após o gol aos 2 minutos, previa o jogo modorrento de sempre! Mas foi diferente. Porém, os velhos problemas persistem. Erros ABSURDOS de passes no meio de campo e no ataque. Aliás, por várias vezes os atacantes não se entenderam na hora de executar as jogadas, expondo claramente a falta de treinamentos específicos! A lentidão na transição defesa ataque é irritante! E os laterais? PQP! 90% de erros de cruzamentos e, mesmo frente a um time fraco e já entregue, apresentaram falhas de marcação. Mas vai ficar na memória, até porque a imprensa nada isenta explora até a “última gota”, a cobrança de falta de Egídio. Mas o que me incomoda é o discurso de que quando o jogo tá valendo é diferente. Veja bem, contra o Athletico mesmo após vitória fora, sofremos em casa! Contra o Santos, idem! Com 2 detalhes: 1) vencemos lá de forma pífia, com muita sorte e desorganização deles, em praticamente 1 finalização! 2) Perdemos em casa, DE VIRADA, e graças à mudança no regulamento, Fábio pôde nos salvar nos pênaltis!
    Na volta contra o Palmeiras conseguimos controlar o jogo, mas faltou o ímpeto, a vocação pra matar o jogo, pra transformar o controle em placar tranquilo! Idem na primeira partida contra o Corinthians! Aí me dirão: “MAS VOCÊ TÁ RECLAMANDO DA CAMPANHA DO TÍTULO”? Não! Estou mostrando que quando precisa, não sabemos fazer o resultado, COMO CONTRA O BOCA! E não venham com o discurso de arbitragem, porque nos 60, 70 minutos antes da expulsão equivocada do Dedé o Cruzeiro não jogou! E na volta, foi passivo demais no primeiro tempo! Falta ímpeto, falta gana pelas vitórias! E Libertadores se ganha assim! Querendo ganhar! Não jogando pra não perder! “O medo de perder tira a vontade de vencer!” E um time com vocação pras vitórias, já se forma nos jogos “sem importância”! Vide 2003, 2013 e 2014!

  6. O problema nosso é ter de esperar que jogadores como T. Neves, Fred e mais uns 3 ou 4 jogadores já veteranos decidam alguma coisas pros nossos lados. Estive no jogo contra o Tombense e ver um jogador como T. Neves em campo, como foi enquanto esteve em campo é de se perguntar pra diretoria, baseado em que prorrogaram o contrato do cara? Desinteressado, cansado, totalmente desmotivado. Pra mim é jogar com um a menos e dinheiro jogado no ralo. E outra, sem um velocista, coisa que há muito não temos, vamos penar em praticamente todos os jogos do ano, pois temos um time pragmático, de toques laterais, sem profundidade e qualquer adversário com um pouco de capacidade neutraliza as poucas jogadas do time. Ah e falando do rural, entregamos pontos bobos para adversários fraquíssimos e isso poderá nos custar a perda do campeonato. Lembremo-nos que ano passado jogamos por dois resultados iguais e faturamos encima das frangas. Agora a vantagem será delas. Será que conseguiremos reverter? Toma jeito Cruzeiro…

  7. De que adianta invencibilidade em campeonato mineiro, ridículo, tecnicamente (já deveria ter sido extinto há anos, só interessa às frangas, que não ganham nada!!!), e, pior, o time não ter conseguido a vantagem para a decisão do campeonato, praticamente entregando mais um às frangas, devido ao equilíbrio em clássicos e os poucos gols que faz o time do paneleiro Mano. A área de MKT e o trabalho nos bastidores por parte do Cruzeiro continuam péssimos: frangas cada dia mais apoiadas e dominando a FMFrangas, globominas (vejam o destaque à frangas e sempre transmissão de jogos delas em detrimento aos do Cruzeiro – nítida perda de espaço), Minas Arena, etc…. Acorda Cruzeiro….

    1. Caro Ricardo, dentro desta linha de pensamento não consigo entender é o pouco de divulgação do volei do Sada Cruzeiro. O time é disparado o maior de todos os tempos aqui no Brasil e um dos maiores do mundo com seus 3 títulos mundiais e. Cara, era para estármos jogando no Mineirinho com preços populares e casa cheia. MKT = mequetrefe. Acorda Cruzeiro! Abçs.

  8. Contra o Tupi ‘lanterna sem pilha’ foram 3 gols ‘UAU’ de bolas ‘paradas’. The question is porque o ‘time’ treina para marcar os adversários, daí ficam todos de costas para o ataque e consequêntemente perdem a gana de partir para cima e liquidar a fatura. O Mano foi ‘beque titular’ lá no São Pedro das Abóboras/RS e mau-mau aprendeu a marcar seus adversários da 5ª divisão do gaúcho e com relação a armação e variações táticas, esquecem. Iremos continuar neste marasmo do cerca daqui, cerca dali e quando fizermos 1 golzinho poderemos acabar cedendo o empate assim como ocorreu em vários jogos deste ano, do outro e do outro também. Temos bons jogadores e em jogadas esporádicas conseguimos alguns resultados que nos garantiu um 3º lugar neste mineiro e um modesto 8º no brasileirão do ano passado. Saudações Celestes. Abçs*****

  9. Pelo visto a insatisfação com o futebol do time é geral, e assim como eu, grande parte da torcida já espera por decepções em 2019
    Lamentável

    1. A meu ver as contratações de Rodriguinho e Marquinhos Gabriel encorparam muito bem a saída do Arascaeta ( gringo do Paraguai sem raça), resta ao Mano colocar esses caras para municiar o Fred, enfim não jogar por uma bola. Mano o lema do Cruzeiro é rápido e rasteiro como a linha do mesmo( vide tostão e Dirceu Lopes) tomaremos 2 mas façamos 5.

      1. Nunca menosprezemos o CarrascaÊTA pois ele é da turma do Suáres e do Cavani. Quando teve oportunidades com o Mano, chegou, chegando e pôs o galin, curintia… na roda. Saudações Celestes.

    1. Alguns gostam do Cruzeiro, outros gostam de futebol, já há aqueles que como eu, e diferentes de você, que gostam do Cruzeiro e de futebol.
      O Cruzeiro é muito maior que o futebol pobre e sofrível do Medíocre Menezes, é só dar uma olhadinha na nossa história, antiga e recente.

  10. P. C. e Companheiros, boa noite!

    Estarmos invictos em 2019 é assunto de mídia mesmo! Representa apenas um fato histórico embora transitório, mas gostoso enquanto dura! Mas é de qualquer modo é um fato e ninguém pode negar. Ai vem a discussão do mérito sobre o fato. Ora, ai o próprio Blogueiro, a par de dar destaque ao fato que a mídia franga “esqueceu” de enfatizar, alertou: é uma conquista mas queremos mais e nisto houve plena coerência.

    Ocorre que o assunto comporta igualmente a manifestação da torcida, o que não é exagero, como questionado pela maioria aqui presente, até então. Nosso time vem obtendo conquistas valiosas, mas sem jogar com vitalidade, entusiasmo e alegria. Ora, quem triunfa assim é como passar de ano na escola em segunda época ou com média baixa. Causa constrangimentos, uma quase vergonha, porque a vitória obtida sem brilho ofusca o triunfo em todas atividades humanas, pois a noção do acerto e do erro é inata no ser humano.

    A nação cruzeirense, como diz seu próprio hino, não está satisfeita com o MANOBOL e a queixa de quem assim se posiciona é legítima, porque a aceitação deste jeito de jogar que o atual treinador vem nos impondo, a par de violentar nosso DNA, configura uma OMISSÃO inqualificável da Diretoria que lhe deu atletas e condições de trabalho para triunfar e agradar a torcida. Acomodar traz passividade, desleixo e dai a bronca da torcida. Será que esta imensa torcida, também responsável muito mais que o treinador por sermos o que somos, não merece um pouco de consideração, de atenção da Diretoria quanto ao modo de jogar do time? Para mim a questão é esta e somente esta!

  11. Mudando de assunto, mas algo que está a me intrigar:
    Será que o Cruzeiro vai mesmo encostar de vez (se desfazer de graça) do Lucas Nonoca e pagar 1 milhão de reais no Ederson????
    Jogadores da mesma posição e das vezes que vi jogar na base ou no time principal achei o Nonoca um pouco melhor, não que o Ederson seja ruim, mas Nonoca já é do Clube e a Ederson irá custar 1 milhão de reais
    Se isso acontecer, explica um pouco i Clube estar quebrado financeiramente

  12. Significa que o Mediocre Menezes continua com seu futebol sofrível, ou seja entra para não perder e se a sorte ou o adversário ajudar dá até para ganhar.
    Assistir a jogos do Cruzeiro deixou de ser um programa prazeroso nas mãos deste sujeito.

  13. Ontem assistindo ao jogo do cruzeiro pela tv globo eu vi o slogan: “o mineirão é nosso”, isso é usado pelas frangas. Até quando PC almeida teremos que aguentar isso, essa provocação da minas arena. Por que a diretoria do Cruzeiro “Maior de Minas” tulera isso. Fico indignado.

  14. Como era de se esperar, as arbitragens do Mineiro neste ano, continuam repetindo o mesmo nível do ano passado. Revendo os lances do jogo do Alt. Mineiro contra o Tupinambás (logicamente não assisti ao vivo), percebe-se uma ajuda benevolente ao time preto e branco, embora o resultado não representasse nada mais em termos de classificação.
    O que venho observando no comportamento dos árbitros nos jogos do Alt. Mineiro é uma generosa ajuda com pênaltes marcados e expulsões dos adversários, principalmente quando a partida está “perigosa” para o time preto/branco.
    Verifica-se que o que é falta com cartão para um time, para o Alt. Mineiro nada é marcado, como acontece também na marcação de penalidades, dificilmente marcadas para os adversários.
    Ontem, o que foi pênalte a favor do Alt. Mineiro (bola na mão), em lance idêntico a favor do Tupinambás, nada foi marcado.

    1. Por essa e por outras o PC Almeida aqui no Blog fez um Post: “A CASINHA ESTÁ ARRUMADA”, LEMBRA OU LEU? E ainda tem companheiros nossos que acha que a FMF FRANGAR descaradamente não tem nada a ver. Nosso time precisa melhorar e o Mano, deixar a PANELA dele de lado.

  15. Vejo muitos criticando o Mano. O Cruzeiro foi campeão duas vezes seguidas da Copa do Brasil. Algo inédito q nenhum outro clube no país conseguiu. Ganhou jogando feio e passando sufoco alguns jogos? Sim! E daí? No final o q importa é o resultado e não a forma da equipe jogar. De q adianta jogar bonito e não ganhar nada. Tem time paulista de camisa pesada aí q tá há 10 anos ou mais sem levantar um caneco grande. Menos críticas ao Mano, galera. Saudações Celestes. Cruzeiro Sempre.

  16. Cadê o blogueiro do cabuloso? Entra jogo, sai jogo e nada… Enquanto isso os abutres do lado de lá vão deitando e rolando, se exaltando e é claro, menosprezando nosso clube e nossa torcida.

  17. Antecipando eventual comentário sobre a partida de sábado (???), ficou claro, pelo menos para mim, que o time sem os protegidos Henrique, cerca Lourenço, e Cabral, devagar quase parando, é outro: leve, jogadas rápidas, sem toquinhos para os lados e recuo de bola, meio com muito mais pegada e qualidade. Uma única restrição: para que Fábio dá chutões para frente, não consigo entender essa lógica: bola sempre é tirada pela zaga adversária…. um absurdo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *