Skip to main content
 -
Denyse Lage Fonseca é formada em Letras e especialista em educação a distância. É autora de artigos enciclopédicos (InfoEscola.com) e de materiais didáticos (Portal Acessaber) que tratam de diversificados conteúdos relativos à Língua Portuguesa, da qual gosta desde criança. Como professora, atuou em diferentes níveis de ensino.

“Deu três horas” ou “Deram três horas”?

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

No singular ou no plural? Como fica o verbo “dar” na indicação de horas? Vamos tirar essa dúvida? Para tal, responda à questão a seguir:

 

Questão – Observe estas orações:

 

O relógio ________ três horas.

_________ três horas no relógio.

 

As orações acima devem ser preenchidas com os verbos:

a) “deram” e “Deu”

b) “deu” e “Deu”

c) “deram” e “Deram”

d) “deu” e “Deram”

E aí? Qual alternativa você assinalou? O primeiro passo para responder à questão, é identificar o sujeito da oração. Na primeira, quem deu as horas? “O relógio”. Por isso, o verbo fica no singular para concordar com o referido sujeito: O relógio deu três horas. Já na segunda oração, não aparece o sujeito “relógio”. Nesse caso, o sujeito é o número que indica as horas. Portanto: Deram três horas no relógio. Alternativa correta: letra “d”.

 

Vale acrescentar que os verbos “bater” e “soar”, na indicação de horas, seguem a regra do verbo “dar”. Veja:

O sino da capela bateu dez horas.

Bateram dez horas no sino da capela.

 

O relógio da igreja soou cinco horas.

Soaram cinco horas no relógio da igreja.

 

Para concluir:

Os verbos “dar”, “bater” e “soar” concordam com o sujeito a que se referem!

 

Confira outros artigos:

Pronúncia da palavra “ruim”

“Mais informações” ou “Maiores informações”?

“Uma dó” ou “Um dó”?

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

8 thoughts to ““Deu três horas” ou “Deram três horas”?”

  1. Prezada Denyse,
    acertei a grafia dos verbos!!
    Contudo,em certas situações,gera dúvidas.
    A sua explicação foi ótima!!
    Obrigado!
    Ricardo D.Nassif

  2. Olá Denyse!
    Você andou sumida??!! Que bom que você voltou!
    O seu blog é importantíssimo para nos aperfeiçoarmos em relação à essa nossa língua tão fascinante!
    Principalmente nesses tempos em que experienciamos um certo genocídio cultural!
    Gostaria de lhe pedir que abordasse o assunto ‘ pronomes oblíquos’.
    Um grande abraço!

    1. Olá, Mário!

      Andei um pouco sumida mesmo… Alegra-me demais saber que você gostou do meu retorno! Muito gratificante!

      Sinto-me imensamente lisonjeada com as suas palavras, que tanto valorizam o meu trabalho com a fascinante Língua Portuguesa!

      Muito obrigada por partilhar a sua reflexiva opinião conosco!

      Eu já abordei a colocação de um pronome oblíquo em determinado contexto, no post:

      http://blogs.uai.com.br/paraentenderoportugues/2016/12/23/que-me-faca-companhia-ou-que-faca-me-companhia/

      Mas, com certeza, abordarei o uso de pronomes oblíquos e outros casos de colocação pronominal! Agradeço-lhe a sugestão!

      Volte sempre!

      Um grande abraço!

      Denyse

  3. Olá, Denyse!!
    Realmente, sumida do blog! Fiquei muito feliz com o seu retorno.
    Estamos sempre ávidos por esclarecimentos e por relembrar as regrinhas aprendidas na escola, algumas esquecidas não é mesmo?
    Um grande abraço!

    1. Olá, Fernando!

      Eu também fico imensamente feliz com as suas palavras que tanto valorizam os meus esclarecimentos!

      Agradeço-lhe a presença frequente em meu blog!

      Volte sempre!

      Um grande abraço!

      Denyse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *