Skip to main content
 -
Denyse Lage Fonseca é formada em Letras e especialista em educação a distância. É autora de artigos enciclopédicos (InfoEscola.com) e de materiais didáticos (Portal Acessaber) que tratam de diversificados conteúdos relativos à Língua Portuguesa, da qual gosta desde criança. Como professora, atuou em diferentes níveis de ensino.

“Pôde” X “Pode”

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

De acordo com a Nova Ortografia, o acento circunflexo permanece para diferenciarmos “pode” de “pôde”. Observe esta frase, escrita por Desmond Tuti (Prêmio Nobel da Paz, por sua luta contra o apartheid):

Se a paz pôde vir para a África do Sul, certamente ela pode vir para a Terra Santa.

Disponível em: http://www.starquotes.com.br/frases/desmond-tutu

Os verbos “pôde” e “pode” referem-se à mesma pessoa (3ª pessoa do singular – Ele/Ela) e ao mesmo modo (Indicativo – aquele que sinaliza uma certeza). Então, qual a diferença entre essas formas? O tempo! Note que “pôde” aponta para algo que já aconteceu (a vinda da paz para a África do Sul), ao passo que “pode” aponta para o momento presente (a possibilidade da vinda da paz para a Terra Santa).

Vejamos outras ocorrências:

No ano passado, ele pôde rever os amigos da faculdade.

O dentista não pode atendê-la agora.

Note que os contextos acima contêm pistas para a escrita adequada da forma verbal: a expressão No ano passado indica algo “passado” e agora indica algo no “presente”. Portanto, foram empregadas, respectivamente, as formas “pôde” e “pode”. No entanto, quando não há pistas, o acento torna-se ainda mais necessário. Perceba a diferença:

Ela não pode ir ao evento.

Ela não pôde ir ao evento. 

Para concluir, temos:

“pôde” = tempo passado

“pode” = tempo presente

Vamos estudar mais?

“Àquele” ou “Aquele”?

“Prefiro salgado do que doce” ou “Prefiro salgado a doce”?

“Mais informações” ou “Maiores informações”?

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

8 comentários em ““Pôde” X “Pode”

    1. Olá, Reinaldo!

      Fico imensamente feliz quando encontro pessoas que adoram a nossa língua!

      Muito obrigada pelo registro de sua opinião e pela sua visita constante!

      Volte sempre!

      Denyse.

    1. Oi, José Alexandre!

      Sinto-me lisonjeada com o seu comentário, que destaca a importância do meu blog!

      Muito obrigada por interagir comigo!

      Volte sempre!

      Denyse.

    1. Olá, Marcos Vinicio!

      Fico muito feliz quando encontro pessoas que gostam da nossa língua!

      Muito obrigada pelo registro de sua opinião e pelo seu interesse em acompanhar o meu blog!

      Volte sempre!

      Denyse.

    1. Oi, Fabrício!

      Fico muito feliz com o registro de seu comentário, que destaca a importância do meu blog!

      Muito obrigada por interagir comigo!

      Volte sempre!

      Denyse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *