Trio premiado se envolve com Os Pequenos Vestígios

É uma máxima entre investigadores criminais que a resolução dos crimes está nos pequenos detalhes. Ou, ao menos, é essa teoria que Os Pequenos Vestígios (The Little Things, 2020) pretende vender. Onde isso aparece no filme, de maneira prática, não sabemos. Baseado em um roteiro escrito nos anos 90, o longa já nasce datado, com a cara de mais uma atração daqueles canais que repetiam sempre os mesmos filmes. E desperdiça um ótimo elenco.

Com três vencedores do Oscar nos papéis principais, parecia que a vida do diretor e roteirista John Lee Hancock seria fácil. Era só deixá-los trabalhar e ter um grande sucesso. Como foi Um Mundo Perfeito (A Perfect World), bem sucedido drama policial escrito por Hancock e lançado em 1993. Logo na sequência, ele escreveu outra história policial, que acabou na gaveta por diversos motivos. Agora, com nomes de peso no elenco, ele conseguiu tirar a ideia do papel. O problema é que, nesse meio tempo, várias obras parecidas foram lançadas.

O primeiro personagem que conhecemos é Joe “Deke” Deacon, um policial veterano numa cidadezinha tranquila que precisa ir buscar provas de um crime na grande Los Angeles. Chegando lá, ele descobre que um caso atual de serial killer pode ter ligação com um antigo caso que investigava e nunca conseguiu concluir. Deke é uma oportunidade para Denzel Washington brilhar – como de costume. Tendo na bagagem um Oscar vivendo um soldado (coadjuvante por Tempo de Glória, 1989) e outro vivendo um detetive (principal por Dia de Treinamento, 2001), isso é o tipo de coisa que o ator faz dormindo.

Os outros dois nomes fortes são os de Jared Leto (de Clube de Compras Dallas, 2013) e de Rami Malek (de Bohemian Rhapsody, 2018), os dois muito competentes dentro das necessidades. Leto se destaca como o suspeito número um, despido de qualquer vaidade e mostrando como ele realmente se preocupa com os detalhes na composição do sujeito. Malek, um tanto quanto afetado, vai ganhando a afeição do público quando entendemos que seu detetive realmente se esforça na investigação, apesar da antipatia inicial.

Uma vez estipulados os pontos positivos de Os Pequenos Vestígios, é preciso apontar os negativos. A cara de anos 90, em parte proposital, deixa o filme com jeito daquela sessão da tarde que já passou mil vezes. E o lugar comum do roteiro reforça isso. O desenrolar da história também não ajuda muito e a conclusão não se sustenta. É daquelas que, quanto mais se pensa a respeito, pior fica. Pior do que pensar “eu já vi isso antes” é concluir que não é bom.

Na direção de atores Hancock não tem muito trabalho

Sobre Marcelo Seabra

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM | Instagram - @opipoqueiroseabra
Esta entrada foi publicada em Estréias, Filmes, Homevideo e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *