Vigiados é uma boa estreia de Dave Franco

Fazendo sua estreia como diretor, Dave Franco (ator em Nerve, 2016) mostra que está no caminho certo com Vigiados (The Rental, 2020), terror já disponível na Amazon Prime Video. Construindo bem uma atmosfera de tensão, Franco dá uma chacoalhada nos clichês habituais do gênero, fazendo questão de quebrá-los e de oferecer algumas surpresas para o público.

A velha história do fim de semana numa casa afastada sofreu uma boa atualização: dessa vez, temos dois casais alugando uma mansão isolada, com uma praia abaixo e um penhasco no meio. Se o título original só menciona a casa alugada, o nacional deixa claro que há alguém à espreita. Os jogos sexuais também se transformam: não são adolescentes cheios de hormônios, mas um jovem empresário com a esposa e a sócia dele com o namorado, e os dois homens são irmãos com alguns conflitos entre eles.

Logo no início, já entendemos que há uma extrema admiração e carinho entre os sócios. Um vislumbre de xenofobia é percebido e rapidamente se torna uma questão a ser resolvida. E o irmão mais novo e menos responsável desrespeita as regras da casa levando um cachorro. Estes são os elementos que colocarão os acontecimentos em andamento.

A belíssima casa e o cenário paradisíaco em volta são muito bem explorados pela fotografia de Christian Sprenger (das séries Glow e Atlanta). Os cômodos, inclusive, ajudam no suspense e a perverter os clichês. Dos personagens, sabemos apenas o necessário para nos situarmos, e o roteiro brinca com a nossa percepção. Com tantos filmes com uma premissa similar, já chegamos com certas expectativas, e os roteiristas Franco e Joe Swanberg (de Easy) são espertos e jogam com isso.

Do elenco, o destaque é Alison Brie, de séries como Mad Men e Community e esposa do diretor. Ela faz uma personagem aparentemente antipática, mas dá para entender o lado dela e atriz evita estereótipos. O marido é vivido por Dan Stevens, que ainda tenta se encontrar depois de deixar o drama da TV Downton Abbey e a recém-finalizada Legião. No outro casal, temos Sheila Vand (de Operação Fronteira, 2019) e Jeremy Allen White (de Shameless), ambos muito bem em seus papéis.

Personagens inteligentes são sempre bem-vindos, e é interessante acompanhar as reações deles às situações que vão se sucedendo. O final é mais do que satisfatório, deixando o filme acima da média. São 90 minutos divertidos e que fazem pensar, começando pelas dificuldades que quem não é branco, padrão, enfrenta para conseguir contratar serviços. O risco que se corre ao negociar com desconhecidos também é considerável.

Franco e Brie aproveitaram a oportunidade para trabalharem juntos novamente

Sobre Marcelo Seabra

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM | Instagram - @opipoqueiroseabra
Esta entrada foi publicada em Estréias, Filmes, Homevideo, Indicações e marcada com a tag , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *