Better Call Saul volta para sua 5ª e penúltima temporada

por Kael Ladislau

A espera foi longa, mas recompensadora. Depois de um ano e meio do encerramento da quarta temporada, Better Call Saul voltou, aqui no Brasil, pela Netflix. E para os fãs, ansiosos pelo retorno, têm uma grata surpresa: foram liberados de cara os dois primeiros episódios desse novo ano.

A série segue firme na premissa de mostrar a transformação de Jimmy McGill no trambiqueiro Saul Goodman (Bob Odenkirk), apresentado em Breaking Bad como o advogado de Walter White e Jesse Pinkman. Mais que isso, ela segue dando pistas do futuro de Saul após os eventos da série-mãe. São pequenos flashforwards, mas muito bons, no início da temporada, como de costume. Eles mostram Jimmy como um gerente de uma loja de rocamboles, então chamado Gene Takovic, e seu receio em sofrer as consequências de um passado que ele quer esconder.

Esconder o passado, aliás, é o que Jimmy pretende fazer ao encarnar de vez o nome que viemos a conhecer em Breaking Bad. A ideia é se livrar da sombra do irmão mais velho, Chuck (Michael McKean). A nova temporada dá sequência direta ao final da anterior, mostrando o embate que o personagem principal tem com a parceira, Kim Wexler (Rhea Seehorn, acima). É um conflito completamente antagônico e, ao mesmo tempo, amoroso. São muitas escolhas duvidosas que ela faz em sua vida.

Mas Better Call Saul não é apenas sobre o advogado, é sobre Mike Ehrmantraut (Jonathan Banks). O ex-policial durão é outro a lidar com consequências de seus atos na última temporada e, agora, se vê cada vez mais envolvido com as atividades de Gus Fring (Giancarlo Esposito), o vilão das duas séries. Tanto pelo lado de Mike quanto de Saul, acompanhamos o desenvolvimento de histórias que não se relacionam, o que pode incomodar alguns expectadores. Afinal, a série é sobre Jimmy/Saul e Kim ou Mike e Gus? Aqueles que confiam nos showrunners Vince Gilligan e Peter Gould sabem que nenhuma aresta fica solta em suas obras e, uma hora ou outra, essas histórias se chocarão.

Os dois primeiros episódios liberados nesta semana dão sinais de como isso acontecerá. E o mais gostoso disso é já saber que as consequências desse choque acarretarão no que se sabe de Breaking Bad e até mesmo de El Camino (2019), filme lançado no ano passado sobre o futuro de Jesse Pinkman. Resta saber como isso vai acontecer e qual será o final de alguns personagens só existentes em Better Call Saul. E até mesmo o pós-Breaking Bad de Jimmy/Saul/Gene. Agora, é aguardar os próximos 8 episódios, liberados semanalmente, e as surpresas – algumas já reveladas no trailer – que a temporada vai nos trazer!

O elenco se prepara para se despedir da série

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Estréias, Homevideo, Indicações, Séries e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *