Robert Redford convoca um ótimo elenco

por Marcelo Seabra

The Company You Keep

Ser um artista da magnitude de Robert Redford tem suas vantagens. Além de poder trabalhar no material que quiser, trabalhar com quem escolher. Ou nem precisar escolher muito e colocar logo todo mundo. O elenco de Sem Proteção (The Company You Keep, 2012), encabeçado pelo próprio ator, diretor e produtor, traz diversos nomes que já valem o ingresso. E isso é ótimo para o longa, porque se a venda de ingressos fosse depender do roteiro, não se chegaria muito longe.

The Company You Keep SarandonO inofensivo Shia LaBeouf (de Os Infratores, 2012) vive um jornalista levado a investigar a prisão de uma dona de casa pacata (Susan Sarandon, de O Acordo, 2013 – ao lado) identificada como uma terrorista que, há 30 anos, se envolveu num assalto e deixou uma vítima fatal. A turma dela vem sendo procurada, mas as identidades trocadas deixaram tudo mais difícil para o FBI, equipe que parece meio burrinha e está sempre atrás do protagonista. Muito facilmente, Ben chega ao advogado Jim Grant (Redford), que de cara sabemos esconder alguma coisa. Grant provavelmente vinha prevendo esse momento, já que tinha todo um plano de fuga traçado. Nesse momento, a trama sai correndo junto e passamos a ter três núcleos: Grant e todas as pessoas que ele procura; Ben e as outras peças do quebra-cabeça; e os agentes do FBI resumidos em Anna Kendrick (de Marcados para Morrer, 2012) e Terrence Howard (de Na Estrada, 2012).

Baseado no livro de Neil Gordon, o roteiro de Lem Dobbs (de A Toda Prova, 2011) não tem surpresas e não torna as coisas interessantes, apenas vai envolvendo mais personagens até chegar a um final anticlimático, aborrecido e convencional. Por melhor que sejam os atores, nada salva uma conclusão que joga tudo o que vimos antes por terra. Redford parece se contentar com pouco e desperdiça a oportunidade de atingir algo grandioso, não saindo do mediano – para não dizer abaixo da média.

La Beouf já mostrou não dar conta de segurar um filme sozinho, e parece sempre estar tentando ser algo que não é. Para compensar, Redford chama companhia como Brendan Gleeson, Richard Jenkins, Chris Cooper, Stanley Tucci, Julie Christie, Nick Nolte, Sam Elliot e Stephen Root. Com tanta gente na tela, não dá para desenvolver muita coisa, e eles se resumem a citar algo importante em um diálogo expositivo para que o público possa acompanhar. Seja em um campo aberto ou em uma casinha numa vizinhança como outra qualquer, Grant parece estar sempre desprotegido, a um passo da captura, como o título nacional indica. E nenhum desses grandes nomes pode ajudá-lo a salvar o filme da mesmice.

O FBI tenta segurar o jornalista, que parece bem mais competente

O FBI tenta segurar o jornalista, que descobre muito mais que eles

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Adaptação, Estréias, Filmes e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.