Vikings desembarcam no History Channel

por Rodrigo “Piolho” Monteiro

Vikings posterFundado em 1995, o History Channel tinha inicialmente o objetivo de, como seu nome diz, explorar programas e shows com foco em eventos históricos. Basicamente, o canal era especializado em documentários e estudos envolvendo fatos e previsões históricas. Com o tempo, no entanto, o foco foi mudando e a programação do canal se tornou mais variada e menos documental. Hoje, além de séries intermináveis sobre assuntos que vão de previsões astrológicas à suposta comprovação da existência/influência de vida alienígena, o canal se rendeu à praga dos reality shows, a maioria com pouquíssima relação com a História.

Se essa diversificação, por um lado tira o foco do canal, por outro lhe traz dividendos em termos de verba publicitária e faz com que o History comece a investir em séries dramáticas de boa qualidade. O primeiro exemplo dessa seara foi Hatfields & McCoys, minissérie em três partes que conta a história de rivalidade entre duas famílias na fronteira entre os estados da Virgínia e do Kentucky nos anos que se seguiram à Guerra Civil americana (1861-1865). Estrelada por Kevin Costner e Bill Paxton – e já transmitida no Brasil no canal a cabo Space – a série rendeu um Globo de Ouro a Costner.

Com base nos bons resultados de Hatfields & McCoys, o History resolveu investir em uma nova série de ficção histórica, dessa vez viajando um pouco mais para o norte e no passado para mostrar as primeiras incursões dos grupos vikings à Inglaterra, que marcariam o período da história conhecida como “Era Viking”. Ela foi iniciada por volta de 790 D.C. e teve seu ápice na conquista da Inglaterra em 1066 D.C. Nos séculos seguintes, uma série de fatores históricos e políticos – dentre eles a cristianização da Europa – acabaram por minimizar a influência dos povos escandinavos na cultura européia como um todo. O renascimento do interesse pela cultura viking teve um primeiro momento no fim do século XIX e sofreu um grande impulso recentemente graças aos avanços nos processos arqueológicos que a cada dia descobrem mais e mais artefatos e evidências da contribuição dos vikings não só para a cultura, mas em aspectos como a navegação.

Vikings Fimmel & WinnickCriada por Michael Hirst (roteirista dos dois Elizabeth e da série The Tudors) e produzida em conjunto com a MGM, ela conta a história de Ragnar Lothbrok (Travis Fimmel, de Os Fora da Lei, 2012 – ao lado), um guerreiro e fazendeiro viking que objetiva explorar os oceanos e saquear as terras ao oeste. Ele desafia a autoridade do chefe local, Earl Haraldson (Gabriel Byrne, da série In Treatment), que insiste em pilhar apenas as terras ao leste – já empobrecidas pelas constantes invasões vikings que ocorrem todos os verões na mesma região. Para conquistar seus objetivos, Ragnar vai contar com a ajuda do construtor de navios Floki (Gustaf Skarsgård, de Expedição Kon Tiki, 2012), seu irmão Rollo (Clive Standen, da minissérie Camelot) e sua esposa Lagertha (Katheryn Winnick, da série Bones – acima), além de uma série de personagens menores.

Vikings, no entanto, não se foca apenas nas invasões. Também joga luz no que seria o dia a dia daquela sociedade e o choque de culturas que ocorre a partir da iniciativa de Ragnar de viajar para o oeste e entrar em contato com o cristianismo, quando sua tripulação saqueia um mosteiro em Lindisfarne – fato que muitos historiadores consideram como marco primordial do início da “Era Viking” e um de seus espólios é tomar para si o padre Athelstan (George Blagden, de Os Miseráveis, 2012) como seu escravo. O protagonista é baseado na figura real de Ragnar Lodbrok, renomado herói viking que, por um breve período, chegou a ocupar o trono da Dinamarca e conquistar parte da Suécia.

A série é escrita por Hirst, que usa os consultores do History para adicionar um caráter mais histórico e acurado a suas tramas, mas não dispensa personagens no mínimo excêntricos, como o deformado leitor de runas que diz prever o futuro. Tem tudo para agradar não só aqueles interessados por esse período da História, mas também os fãs de séries de ação no estilo Spartacus ou Game of Thrones, devido à precisa reconstrução de cenários e cenas de lutas. Ainda que, obviamente, o tom aqui seja menos explícito. Com uma primeira temporada inicialmente prevista para nove episódios – quatro deles já transmitidos nos EUA –, Vikings ainda não tem data de lançamento no Brasil.

Cenas épicas não vão faltar

Cenas épicas não vão faltar

Sobre Marcelo Seabra

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM | Instagram - @opipoqueiroseabra
Esta entrada foi publicada em Estréias, Indicações, Notícia, Séries e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *