Vikings desembarcam no History Channel

por Rodrigo “Piolho” Monteiro

Vikings posterFundado em 1995, o History Channel tinha inicialmente o objetivo de, como seu nome diz, explorar programas e shows com foco em eventos históricos. Basicamente, o canal era especializado em documentários e estudos envolvendo fatos e previsões históricas. Com o tempo, no entanto, o foco foi mudando e a programação do canal se tornou mais variada e menos documental. Hoje, além de séries intermináveis sobre assuntos que vão de previsões astrológicas à suposta comprovação da existência/influência de vida alienígena, o canal se rendeu à praga dos reality shows, a maioria com pouquíssima relação com a História.

Se essa diversificação, por um lado tira o foco do canal, por outro lhe traz dividendos em termos de verba publicitária e faz com que o History comece a investir em séries dramáticas de boa qualidade. O primeiro exemplo dessa seara foi Hatfields & McCoys, minissérie em três partes que conta a história de rivalidade entre duas famílias na fronteira entre os estados da Virgínia e do Kentucky nos anos que se seguiram à Guerra Civil americana (1861-1865). Estrelada por Kevin Costner e Bill Paxton – e já transmitida no Brasil no canal a cabo Space – a série rendeu um Globo de Ouro a Costner.

Com base nos bons resultados de Hatfields & McCoys, o History resolveu investir em uma nova série de ficção histórica, dessa vez viajando um pouco mais para o norte e no passado para mostrar as primeiras incursões dos grupos vikings à Inglaterra, que marcariam o período da história conhecida como “Era Viking”. Ela foi iniciada por volta de 790 D.C. e teve seu ápice na conquista da Inglaterra em 1066 D.C. Nos séculos seguintes, uma série de fatores históricos e políticos – dentre eles a cristianização da Europa – acabaram por minimizar a influência dos povos escandinavos na cultura européia como um todo. O renascimento do interesse pela cultura viking teve um primeiro momento no fim do século XIX e sofreu um grande impulso recentemente graças aos avanços nos processos arqueológicos que a cada dia descobrem mais e mais artefatos e evidências da contribuição dos vikings não só para a cultura, mas em aspectos como a navegação.

Vikings Fimmel & WinnickCriada por Michael Hirst (roteirista dos dois Elizabeth e da série The Tudors) e produzida em conjunto com a MGM, ela conta a história de Ragnar Lothbrok (Travis Fimmel, de Os Fora da Lei, 2012 – ao lado), um guerreiro e fazendeiro viking que objetiva explorar os oceanos e saquear as terras ao oeste. Ele desafia a autoridade do chefe local, Earl Haraldson (Gabriel Byrne, da série In Treatment), que insiste em pilhar apenas as terras ao leste – já empobrecidas pelas constantes invasões vikings que ocorrem todos os verões na mesma região. Para conquistar seus objetivos, Ragnar vai contar com a ajuda do construtor de navios Floki (Gustaf Skarsgård, de Expedição Kon Tiki, 2012), seu irmão Rollo (Clive Standen, da minissérie Camelot) e sua esposa Lagertha (Katheryn Winnick, da série Bones – acima), além de uma série de personagens menores.

Vikings, no entanto, não se foca apenas nas invasões. Também joga luz no que seria o dia a dia daquela sociedade e o choque de culturas que ocorre a partir da iniciativa de Ragnar de viajar para o oeste e entrar em contato com o cristianismo, quando sua tripulação saqueia um mosteiro em Lindisfarne – fato que muitos historiadores consideram como marco primordial do início da “Era Viking” e um de seus espólios é tomar para si o padre Athelstan (George Blagden, de Os Miseráveis, 2012) como seu escravo. O protagonista é baseado na figura real de Ragnar Lodbrok, renomado herói viking que, por um breve período, chegou a ocupar o trono da Dinamarca e conquistar parte da Suécia.

A série é escrita por Hirst, que usa os consultores do History para adicionar um caráter mais histórico e acurado a suas tramas, mas não dispensa personagens no mínimo excêntricos, como o deformado leitor de runas que diz prever o futuro. Tem tudo para agradar não só aqueles interessados por esse período da História, mas também os fãs de séries de ação no estilo Spartacus ou Game of Thrones, devido à precisa reconstrução de cenários e cenas de lutas. Ainda que, obviamente, o tom aqui seja menos explícito. Com uma primeira temporada inicialmente prevista para nove episódios – quatro deles já transmitidos nos EUA –, Vikings ainda não tem data de lançamento no Brasil.

Cenas épicas não vão faltar

Cenas épicas não vão faltar

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Estréias, Indicações, Notícia, Séries e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para Vikings desembarcam no History Channel

  1. Pingback: Os destaques do ano, na TV e no Cinema | opipoqueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *