2 Coelhos chega à TV a cabo

por Marcelo Seabra

Uma campanha de marketing equivocada pode mais prejudicar um filme que ajudar. Por exemplo, temos 2 Coelhos (2012), que foi vendido como uma produção nacional com cara de americana – como se isso fosse necessariamente bom. De fato, o longa usa artifícios muito comuns no cinema americano, como Tarantino, ou inglês, como Guy Ritchie. Mas o diretor Afonso Poyart também tem seus méritos e não merece ficar à sombra de outros.

Apesar de em alguns momentos enganar o espectador e, em outros, depender de coincidências, o roteiro do estreante Poyart (tratado por Izaías Almada) é bem amarrado o suficiente para fazer sentido e trazer reviravoltas interessantes. A necessidade dos efeitos especiais é questionável, mas eles não chegam a atrapalhar o ótimo trabalho do elenco ou o desenvolvimento da história. E servem como atrativo para aqueles que escolhem o que assistirão pelos estímulos visuais.

Fugindo do esquema pobreza e drogas que é comum no cinema nacional, o grande tema de 2 Coelhos é a corrupção. O protagonista, Edgar (Fernando Alves Pinto), bola um plano para matar dois coelhos com uma cajadada só: derrubar um político escroque e um criminoso, dois lados de um mesmo problema. Isso é o suficiente para não estragar nada. No caminho de Edgar, cruzam personagens vividos por gente competente como Caco Ciocler, Alessandra Negrini, Marat Descartes, Thaíde e Roberto Marchese.

Alves Pinto, revelado em Terra Estrangeira (1996), ainda não é um nome muito conhecido do público. Pouco aproveitado em trabalhos como O Signo da Cidade (2007), Nosso Lar (2010) e Onde Está a Felicidade? (2011), ele merece um destaque maior, e é o que acontece aqui. Seu personagem é antipático e foge bastante do que seria um herói tradicional, mas em momento algum ele se torna odioso ou inverossímil. Alessandra Negrini também chama bastante atenção, misturando doçura e bravura na dose certa com sua Júlia, espécie de ímã que atrai todos os homens que a conhecem.

A obra de Poyart chamou tanto a atenção do mercado que os direitos de refilmagem de 2 Coelhos já foram vendidos a uma produtora ianque, a Tango Pictures. Ti West, autor de alguns roteiros de terror baratos (como House of the Devil e Cabana do Inferno 2, ambos de 2009), foi contratado, o que não exatamente cria uma boa expectativa. Na dúvida, melhor ficar com o original. Para quem bobeou ou deixou passar de propósito, a TV a cabo oferece agora uma oportunidade para conferir.

A estética de videogame ajuda a compor 2 Coelhos

Sobre Marcelo Seabra

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM | Instagram - @opipoqueiroseabra
Esta entrada foi publicada em Estréias, Filmes, Homevideo, Indicações e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *