Novo trabalho de Wes Anderson é bem cativante

por Marcelo Seabra

Boas surpresas são sempre bem vindas, e Moonrise Kingdom (2012) é uma delas. Apesar de ser geralmente muito querido pela crítica, Wes Anderson dirige longas estranhos sobre pessoas esquisitas e não posso dizer que eles me agradam. O novo trabalho, no entanto, tem uma história cativante e dois pré-adolescentes, mesmo não sendo muito comuns, adoráveis como protagonistas. Apesar de ser ambientado na costa da Nova Inglaterra em 1965, o tom de fábula se aplica a qualquer lugar e época.

Os novatos Jared Gilman e Kara Hayward são os dois jovens nada populares que empreendem uma fuga juvenil, naquela idade limite entre a infância e a pré-adolescência. Todos os adultos que os cercam se mobilizam para encontrá-los e acompanhamos o casal enquanto eles seguem uma velha trilha indígena, a Moonrise Kingdom do título. Dentre os adultos mais importantes, temos os pais da garota, o chefe do acampamento do garoto, o policial local, a representante do Serviço Social e o chefe dos escoteiros, todos envolvidos na situação como se só vivessem para isso.

As paisagens paradisíacas facilitam o trabalho do diretor de fotografia, Robert D. Yeoman, que usa cores claras que dão a impressão de tranqüilidade, o que acaba se refletindo na personalidade dos moradores. São todos muito pacíficos e a cidade parece não conhecer crimes graves, daí a mobilização que o desaparecimento dos dois gera. Sabemos que a brincadeira não vai durar muito, mas será importante para a formação de ambos. Filmes sobre essa etapa da vida já geraram clássicos queridos por gerações, caso de Conta Comigo (Stand By Me, 1986), por exemplo, e Moonrise Kingdom pode estar indo para o mesmo caminho, a julgar pela boa acolhida que o filme vem recebendo pelo mundo.

Anderson e seu colega roteirista Roman Coppola não pretendiam fazer nada muito realista, e criaram uma cidadezinha como aquelas que só existem no imaginário norte-americano. Natureza de cores vivas cerca os cidadãos, mas eles não parecem tão felizes. O casal de Bill Murray e Frances McDormand mal se olha e se comunica aos gritos pela casa, em meio aos vários filhos. Bruce Willis faz um policial bonzinho, mas solitário e amargurado, enquanto Edward Norton é o enérgico chefe dos escoteiros que não parece ter vida além de suas duas ocupações – ele ainda é professor de matemática, sua segunda profissão. Os dois principais parecem seguir para o mesmo destino, já que carregam a cruz de não serem muito queridos por seus pares aparentemente por serem mais espertos e inteligentes.

O elenco fantástico de Moonrise Kingdom ainda conta com Harvey Keitel, Tilda Swinton e Bob Balaban. Bill Murray está presente nos últimos seis filmes do diretor, tendo faltado apenas no primeiro. Esta é uma parceria longa que ainda deve dar bons frutos. Torço para que Anderson pare de trabalhar com o amigo Owen Wilson, co-roteirista de seus trabalhos mais aborrecidos, e continue criando personagens tão carismáticos, apesar de melancólicos.

Uma bela estreia para os jovens atores

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Estréias, Filmes, Indicações e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

6 respostas para Novo trabalho de Wes Anderson é bem cativante

  1. Pingback: Os Melhores & Os Piores de 2012 | opipoqueiro

  2. Pingback: Oscar 2013 – Indicados e Previsões | opipoqueiro

  3. Pingback: Van Sant e Damon vão à Terra Prometida | opipoqueiro

  4. Pingback: George Clooney entra para a História | opipoqueiro

  5. Pingback: Grande Hotel Budapeste traz o melhor de Anderson | opipoqueiro

  6. Pingback: Amantes Eternos e Chef são destaque nos cinemas | opipoqueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *