Steve Carell procura um amigo para o fim do mundo

por Marcelo Seabra

Vários filmes sobre o fim do mundo já foram feitos, não chega a ser algo inovador. Mas o enfoque pode variar, e muito. Aí está o charme de Procura-se um Amigo para o Fim do Mundo (Seeking a Friend for the End of the World, 2012), que traz um pouco de ar fresco para um lugar comum. Quem imaginaria que Steve Carell e Keira Knightley formariam um casal interessante? Totalmente inusitado, mas muito simpático e até comovente.

Em 2011, Steve Carell esteve em uma das melhores comédias românticas do ano, Amor a Toda Prova (Crazy Stupid Love). Agora, ele ataca novamente nesse gênero, que normalmente é bem fraco, e consegue surpreender com seu entediante e sensível Dodge, um vendedor de seguros que não anda tendo muita convicção para vender seguros de vida. Afinal, um asteróide gigantesco vai logo colidir com a Terra e acabar com a vida no planeta. Quem iria fazer um investimento como esse?

É natural que todos comecem a pensar no que querem fazer com o resto de suas vidas, já que falta pouco para o fim. Muitos causam tumultos, orgias se tornam algo comum, famílias se reúnem e os solitários ficam ainda mais deprimidos. Dodge conhece Penny (Keira) em um dia difícil para ela. Apesar de serem vizinhos há três anos, eles só se aproximam nesse dia fatídico e decidem o que querem fazer antes que o mundo acabe. Isso envolve uma viagem pelas estradas da região e alguns personagens estranhos, como o caminhoneiro vivido por William Petersen (o Grissom de CSI – ao lado), a equipe extremamente amigável de um restaurante do caminho e o militar de Derek Luke (de Capitão América, 2011), que acredita que pode se preparar para sobreviver à catástrofe.

Keira Knightley já viveu a mocinha em dramas pesados, como Desejo e Reparação (Atonement, 2007), e em longas de aventura, como na trilogia Piratas do Caribe (Pirates of the Caribbean, 2003, 2006 e 2007), e nunca chega a entregar “aquela” performance. Mesmo sem grandes arroubos, ela se dá bem como a jovem inglesa romântica que resolve encontrar sua família e largar o namorado fracassado (Adam Brody, de Pânico 4, 2011). Completam o elenco, em participações menores, Connie Britton (da série American Horror Story), Melanie Lynskey (a vizinha de Two and a Half Men), Patton Oswalt (de Jovens Adultos, 2011) e Martin Sheen (o tio Ben do novo Homem-Aranha).

Depois de escrever o bobinho Uma Noite de Amor e Música (Nick and Norah’s Infinite Playlist, 2008), Lorene Scafaria resolveu enfrentar a direção, acumulando as funções. Procura-se um Amigo… não propõe discussões filosóficas ou qualquer coisa assim (como o cansativo Melancolia, de 2010) e tem um final facilmente previsível – afinal, o mundo vai acabar. Mesmo assim, é um bom programa para se divertir no cinema e, quem sabe, fará o público pensar se já não está na hora de começar a correr atrás do que realmente se quer.

O que fazer quando o mundo vai acabar?

Sobre opipoqueiro

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM
Esta entrada foi publicada em Estréias, Filmes, Indicações e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

5 respostas para Steve Carell procura um amigo para o fim do mundo

  1. Pingback: Casal maduro divide Um Divã para Dois | opipoqueiro

  2. Pingback: Bons jovens atores mostram o que é a adolescência | opipoqueiro

  3. Pingback: Minions roubam Meu Malvado Favorito 2 | opipoqueiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *