Will Ferrell brilha em mais um drama

por Marcelo Seabra

Mais uma vez, Will Ferrell mostra que é bem mais interessante em um drama que nas comédias idiotas que geralmente faz. Pronto Para Recomeçar (Everything Must Go, 2010) – mais um título nacional mal escolhido – chegou há pouco aos cinemas, não deve ficar muito tempo e vai acabar sendo mais visto em DVD. E, de fato, merece uma conferida.

Famoso por sua longa participação no humorístico Saturday Night Live (entre 1995 e 2006), Ferrell participou de comédias já clássicas, como Dias Incríveis (Old School, 2003) ou O Âncora (Anchorman, 2004). Mas, apesar destes bons trabalhos, ele faz coisas deploráveis como Os Aloprados (Semi-Pro, 2008) ou Quase Irmãos (Step Brothers, 2008), o que dificulta a vida de quem quer acompanhar sua carreira. Escolher o que assistir e o que ignorar pode ser complicado.

Em Pronto Para Recomeçar, Ferrell vive um alcoólatra que sempre tenta parar com a bebida, mas não parece ser forte o bastante. Em uma dessas derrapadas, acaba perdendo o emprego e a esposa. Trancado para fora de casa e sem um tostão, Nick ainda tem que resolver o que fazer com todos os seus pertences, que estão no gramado da casa. Seu padrinho no AA, um policial (Michael Peña, de O Poder e a Lei, 2011), lhe consegue uma permissão para uma venda no jardim, como é costume em cidades pequenas nos Estados Unidos, o que justificaria toda aquela tralha exposta.

Interagindo com os outros personagens, Nick tenta buscar um caminho a seguir, e Ferrell tem a chance de mostrar que tem muito mais profundidade do que nos acostumamos a ver. Assim como comediantes como Jim Carrey e Robin Williams, ele prova que é capaz de aceitar papéis dramáticos e corresponder. Em momento algum, apesar de certas cenas engraçadas, o filme descamba para a comédia e o ator permanece discreto, contido, na medida certa. Ele já havia surpreendido em Melinda & Melinda (2004) e em Mais Estranho que a Ficção (Stranger Than Fiction, 2006), e supresas desse tipo são sempre bem vindas.

Fazendo sua estreia como diretor e roteirista, Dan Rush partiu de um conto do celebrado Raymond Carver (1938–1988), acrescentando situações e personagens para desenvolver melhor a história. Carver, ele próprio um alcoólatra recuperado, é tido como um dos grandes escritores americanos, especialmente de contos, e já teve obras filmadas diversas vezes (incluindo a que deu origem a este filme, Why Don’t You Dance, um curta de 1988). Em Short Cuts (1993), o saudoso Robert Altman construiu o roteiro costurando vários textos de Carver, sendo esta a adaptação mais famosa da obra do escritor.

Sendo no cinema ou em casa, daqui a alguns meses, assistir a Pronto Para Recomeçar é uma boa experiência. O competente elenco ainda conta com Rebecca Hall (de Atração Perigosa, 2010), Laura Dern (de Império dos Sonhos, 2006), Stephen Root (de Os Homens que Encaravam Cabras, 2009) e o garoto Christopher C.J. Wallace (na foto), que debutou no cinema vivendo o rapper – seu pai – Notorious B.I.G. ainda jovem (em Notorious, de 2009). E o melhor continua sendo ver Will Ferrell desenvolver o seu potencial, se afastando, ao menos por enquanto, do besteirol que vem fazendo.

Sobre Marcelo Seabra

Marcelo Seabra - Jornalista e especialista em História da Cultura e da Arte, é o criador de O Pipoqueiro. Tem matérias publicadas esporadicamente em sites, revistas e jornais. Foi redator e colunista do site Cinema em Cena por dois anos e colaborador de sites como O Binóculo, Cronópios e Cinema de Buteco, escrevendo sobre cultura em geral. Pode ser ouvido no Programa do Pipoqueiro e nos arquivos do podcast da equipe do Cinema em Cena. Twitter - @SeabraM | Instagram - @opipoqueiroseabra
Esta entrada foi publicada em Adaptação, Estréias, Filmes, Indicações, Personalidades e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *