O que fizeram Bolsonaro, prefeitos e governadores para evitar as mortes por Covid-19

O velho pão e circo em ação: enquanto milhares adoecem e morrem, outros milhares estapeiam-se por falsos líderes

Fotomontagem: Google Images
Fotomontagem: Google Images

Enquanto falham miseravelmente no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no País, presidente, prefeitos e governadores — com raríssimas e honrosas exceções — promovem mais desordem e caos político, o que, num ciclo perverso de falta de boas atitudes e abundância de más práticas, provocará mais mortes e o aprofundamento da inevitável crise econômica já contratada.

A face oculta de tudo isso encontra-se sob as covas coletivas e a tremenda subnotificação de casos de Covid-19. A face visível ergue-se nas carreatas estúpidas de cretinos que desejam a morte dos outros, confortavelmente assistidas do sofá de casa. Mortes, aliás, daqueles que nunca puderam se dar ao luxo de fazer isolamento social ou praticar qualquer tipo de quarentena.

A política — e os políticos — historicamente conduzem as nações para o sucesso ou o fracasso. Conduzem seus povos para a prosperidade ou a pobreza. No limite, conduzem almas para o paraíso ou o inferno. No Brasil, o que se vê, desde sempre, entremeado por um soluço e outro de exceção, é a escolha pelo atraso, pelo fracasso. Não sem a devida responsabilidade e aval da população.

Entramos nessa maldita pandemia quase três meses após a China. Dois meses após a Europa. Quase um mês após os EUA. O que aprendemos neste janela de tempo? O que fizemos nesta janela de tempo? Como nos preparamos nesta janela de tempo? Pior. O que estamos fazendo, senão bater cabeças, “navegando cegos na tempestade” como reconheceu o ministro da saúde (o novo, e não o velho)?

É muito triste assistir a um povo perdido entre a defesa e a ofensa de vagabundos, de um lado e de outro, enquanto estes mesmos vagabundos, encastelados em seus palácios, seguros da doença e do desemprego, com a renda e benefícios garantidos, usam-no como massa de manobra, tal qual manadas ruminantes, em proveito e benefício próprio (e dos seus), jurando defender o País dos inimigos de ocasião.

Eles brigam (ou fingem que) e você acredita, tomando partido, esquecendo do que jamais deveria ser esquecido neste momento: a absoluta incapacidade destes crápulas de nos protegerem minimamente deste vírus. O dinheiro para isso? Já nos tomaram. Com sobras.

Vista sua camisa amarela e vá engraxar os sapatos de Jair Bolsonaro. Vista sua camisa vermelha e vá engraxar os sapatos do corrupto e lavador de dinheiro Lula. Troque esses dois delinquentes (cada um a seu modo e motivo) por Ciro Gomes, Marina Silva ou Cabo Daciolo. Tanto faz. Engraxar sapatos de políticos é uma escolha, pouco importa quem esteja sentado no banco enquanto você, o bobão, lhe presta o serviço em troca de moedas.

Foi essa a escolha que nos trouxe até aqui. A escolha de um país pobre, atrasado, à mercê de grupelhos e líderes, que imagina que uma pessoa, ou duas ou três possam, de fato, ser a salvação de 210 milhões de preguiçosos que não querem ter o trabalho de assumir o comando e construir o próprio presente e futuro.

É mais fácil repassar a tarefa para um populista qualquer e acreditar que ele a cumprirá. Que tristeza.

Leia mais.

45 thoughts to “O que fizeram Bolsonaro, prefeitos e governadores para evitar as mortes por Covid-19”

  1. Não se combate o extremismo de esquerda com o extremismo de direita, muito menos no socialismo/comunismo e nem tampouco fascismo/nazismo.
    Não se livra do retrocesso do clepto-comuno-populismo comunista dos PTs, Psols, PcdoBs da vida com outro retrocesso de sinal trocado.
    O caminho para o progresso não está nem nos extremos e nem no meio (refiro-me ao coronel populismo dos PDTs, MDBs, PPs, PTBs da vida)
    O caminho está no liberalismo cujos fundamentos obedecem aos princípios do Iluminismo, das liberdades democráticas, dos direitos inalienáveis de expressão, de associação, de opção religiosa/ou não etc. Princípios estes que norteiam as sociedades mais evoluídas.
    A ideia está aí; o problema é que falta material humano para executá-la, pois nossas elites politicas e acadêmicas se acostumaram a viver agarradas parasitariamente ao estado e presas à dogmas ideológicos com data de validade vencida há quase 2 séculos.

      1. Os 2 gados petralhas, crentes do lulopetismo, que idolatram o maior corrupto da história, não têm moral p/ criticar ninguém, nem mesmo os seus gêmeos na burrice: os gados bolsominions.
        Eu posso criticar Lula, Bolso, Dória, FHC, Maia, Haddad, Dilma, Cirovid-19 (o coronelvírus do Nordeste) etc. porque não tenho partido, movimento, igreja política, guru etc , não idolatro ninguém: defendo princípios e não pessoas ( como disse Den Xiaoping: “não importa a cor do gato, importa se ele caça os ratos”)
        E não gosto nem um pouco do esquerdista light FHC (e de qualquer esquerdista, pois são o que de mais retrógrado e autoritário temos); mas como não sou fanático não posso colocá-lo junto com Collor, Lula, Sarney, Bolso como no rol das figuras mais abjetas que foram eleitos p/ Pres.: ele não é igual esses que eu citei.
        Quanto ao Mercado, nem ele nem o Estado cuidarão sozinhos de tudo! Só os analfabetos culturais acham isso. Estado não produz riqueza: ele se apropria de parte da riqueza produzida pelos agentes econômicos (trabalhadores, empreendedores, investidores) para retornar em infra, educação, saúde, social e em situações de calamidade como essa. No caso do Estado brasileiro,até isso é muito mais difícil, pois o desgov PT deixou-o com um déficit de 150 BI/ano e uma dívida pública de quase 5 TRI, de tal forma que o que arrecada mal dá p/ despesas correntes, tendo ainda que se endividar em 150 Bi p/ cobrir Orçamento.
        Fora de crises como esta, caberia ao investimento privado e estatal investir na criação e ampliação de empreendimentos produtivos que gerem empregos (emprego não nasce em árvores). Mas um Estado que mal consegue fazer frente aos custos da máquina pública (no Brasil, trabalhamos e pagamos impostos mais p/ sustentar a inchada m. pública e seus privilégiados do que p/ contribuir p/ o bem público) tem escassas condições de fomentar o empreendimento. Neste contexto resta contar c/ só com investimentos da iniciativa privada. Para ter emprego é preciso existir empresas. e para ter empresas é preciso ter investidores, empreendedores. Mas que é doido de rasgar dinheiro investindo numa vaca atolada, que o desgov PT deixou???

        1. Rapaz, se um dos dois gados petralhada sou eu, foi a primeira vez que assim fui classificado – tudo na vida tem uma primeira vez.
          Acho que não sou burro o suficiente para fazer idolatrias e não ter capacidade de realizar críticas a um partido, independente de meu voto.
          Ainda mais quando manteve uma taxa de juros estupidamente altas beneficiando principalmente rentista e bancos (o inferno está cheio de boas intenções – um parênteses, não se esqueça que foi uma opção feita em se endividar em real, não em dólar). E tudo para promover uma inserção no mercado de um povo que só podia assistir de longe as benesses do capitalismo. Óbvio que sem infraestrutura decente ia dar merda. Projetos totalmente errados (copa, e olimpíadas, por exemplo), mal estruturados, em especial nos pré projetos de Engenharia, a entrega e criação de cargos só para atender interesses muito mais políticos que republicanos, etc., estavam presentes e não privilégio de governos recentes.
          Vc deve se lembrar de uma ferrovia do aço, transamazônica, ferrovia norte-sul, etc. É de uma inocência de Poliana acreditar que uma volta redonda, Usiminas, Itaipu, ou qualquer outra foram feitas com lisura.
          Não falo da construção de Brasília pois todos conhecem algum caso pra contar.
          Enumeramos sempre o que nos agrada, seja para elogiar ou denegrir.
          E para não ficar me alongando, lamento profundamente que o PT não tenha promovido uma reforma política administrativa e tributária. Presidente sem maioria tem de ceder, vamos viver a experiência mais uma vez.

      1. Este é um problema recorrente (não só você), quando criticamos a ausência de alguns nomes clássicos, vem a complementação “estes também”, mas sempre após a crítica.

    1. Fala de uma vez que teu ídolo é o FHC ou Serra. Em todos os seus comentários sobre partidos o PSDB não aparece, xinga todos ex presidentes, nunca o FHC.
      Faz logo uma ode ou uma elegia e ficamos conversados.

      1. Eu disse “os …) da vida” Isso quer dizer também PSDB e outros tantos.
        Os partidos políticos no Brasil , além de serem muitos, são um emaranhado de falsidades, de populismos explícitos., criados mais p/ mamar dinheiro e privilégios absurdos às custas do suor dos que trabalham, empreendem e criam riquezas do que p/ qualquer outra coisa.
        PS.:Não me compare com vcs: não tenho ídolos, não tenho gurus, não me ajoelho p/ ninguém, muito menos p/ politicos

      2. Muito bem lembrado, Evandro. Falta também ele mencionar o Aecinho e o Temer, pelo qual ele é apaixonado. Aliás, ele já foi Collor, Aécio, Serra, Temer, Bolsonaro, e agora se prepara para ser Doria ou Moro.

  2. O primeiro caso do coronavirus aconteceu em 14 de janeiro e a China só comunicou em 20 de janeiro.
    Tenho plena convicção de que os governadores que estimularam a realização do carnaval em busca de dólares, trouxeram junto o vírus que causou esta pandemia.
    Da mesma maneira o luladrão em busca de propinas, estimulou a construção de estádios para realização da copa do mundo, ao invés de construir hospitais.
    E o Presidente Bolsonaro é obrigado a corrigir a cagada destes infelizes !!!

    1. A sapientisssssima figura que propala conceitos filosóficos e de profundo conhecimento de economia e finanças, deveria citar os casos de corrupção e desvios apontados pelo Tribunal de Contas da União, Polícia Federal, Procuradoria da República, etc. Enumere-as. Não repita a cantilena de que a imprensa(?) alardeou. A imprensa, conhecemos bem os interesses que não conseguem esconder, costuma navegar conforme ventos que lhes são alvissareiros. Insisto. Divulgue os casos apontados por tais entidades e que são objeto de processo judicial. Como bem sabes a irregularidade torna-se evidente quando há denúncia, devido processo e provas/ condenações. Repito. Não vale profusão de palavras ao vento, sem qualquer amparo probatório.
      Albert Einstein disse certa feita: “Fique longe de pessoas negativas. Elas tem um problema para cada solução”…. “Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho certeza absoluta”.

  3. Se fosse o o Paulo Maluf, O jose Serra, O Renan calheiros, o Romero Jucá, o Clodovil, o Frentista do posto, O lixeiro, uma manicure, um mendigo. QUALQUER pessoa do universo teria melhor condicao de gerir essa crise do que esse chorume nazista incapaz que voces elegeram.

  4. Aqui, o vale tudo é pelo poder e acesso às verbas públicas. Aqui, presidente mentir para não dizer Sifú é brincadeira e dizer gripezinha é escândalo mundial. E outra vez o mundo pede: Bença gringo!

  5. “Apoiadores de Moro e manifestantes pró-Bolsonaro brigam em Curitiba”. KKKKKK meu fim de semana esta ganho KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  6. Serei eternamente grato ao Presidente Bolsonaro por ter retirado, no peito e na coragem,as ratazanas do poder.
    Igualmente ao juíz Sérgio Moro, que através da operação lava-jato, ter encaminhado para julgamento, o carniça, por recebimento de propinas, desvio de dinheiro público, etc, etc, e condenado em segunda instância por unanimidade !!!

  7. Infelizmente o Brasil é um caso perdido, no início do século passado no Rio de Janeiro, quando Osvaldo Cruz determinou que o Estado comprasse ratos pegos pela população para combater a peste pubônica, o povo começou a criar ratos em casa para vender para o Estado. O que esperar de um povo desse?

  8. A disparada da pandemia em São Paulo é uma dura lição mostrando ao Dória e ao Covas que coronavírus se combate com prevenção séria e responsável e não por decreto e populismo carnavalesco.

  9. Será que não está na hora dos novos senhores da razão darem uma trégua nas 15 críticas e intromissões diárias nesses 18 meses da gestão do governo federal?

  10. “A razão nem sempre tem razão. A razão que dizem por aí ser a verdadeira, com suas desculpas para pisarem e massacrarem o povo pelo dinheiro e poder, é falsa e vergonhosa”. Autor: Ailton José Ferreira, membro da Academia de Letras de Pará de Minas – Cadeira nº 07.

  11. Não me importo que meu nome apareça, pois faço críticas constantes nas redes sociais destes caras, acredito que eles sequer veem algo, observavam somente o que os convém: passar a perna no brasileiro. Não possuo dívidas com estes miseráveis, eles sim, possuem um dívida comigo e com cada cidadão brasileiro, exceto, o rato do Dória, este nunca chegará a ser presidente da república, não possui capacidade de persuasão, sequer é capaz de administrar o Estado de São Paulo, imagine administrar nosso país, ele é um Zé ruela. Já o Sr Lula e o Sr Jair Bolsonaro, infelizmente conseguiram enganar a população brasileira, o Lula acabou com o país em seus anos de governo, embora falasse o que parte da população queria ouvir, desviava muito dinheiro público, um cara extremamente falso e covarde, já o Bolsonaro, ao menos mostrou o que é desde o início de seu governo, embora transparente, não passa de um covarde, hipócrita e mentiroso. É uma pena que nosso país tenha que passar por mãos tão péssimas. Acredito que para se candidatar a uma vaga de presidente, deveria haver um concurso público, para somente os aprovados em exame teórico e de aptidão psicológica pudessem ter a oportunidade de serem eleitos em eleições diretas pelo povo. Podem ter certeza que jumentos como Lula, Bolsonaro, Dilma e outros, não passariam nem pela porta da sala dos exames. Brasil acima de todos, Lula e Bolsonaro que se fodam!

  12. Permita discordar ao dizer que estão “encastelados em seus castelos” pois Bolsonaro desafia a todo o momento o vírus indo de encontro aos partidários.. mas meu saudoso pai é que estava certo, pois não confiava em nenhum político, entretanto temos que reconhecer que se todos chegarem a esta conclusão não teríamos eleições.. porque por óbvio não precisaremos….

    1. José maria das couves….
      O jumento não resiste a um dedo de argumento. Lembre-se: cascavel, quando contrariado, morre vítima do próprio veneno. Continue assim, pois dessa forma demonstrarás, cada vez mais, o quão energúmeno tu és.

  13. Coitada da ” emprença”! restaram uns coitados sem classificação!!!.
    Béééééééééééééééé´…. Béééééééééééééééé´…Bééééééééééé´…

  14. Ricardinho, me responda: Qual foi a medida adota pelo Zema ? Qual a função do Mateus Simões ? Quem manda neste Governo Mineiro, o jeca tatu ou o Gordinho Pedante ??

    O senhor que faz propaganda eleitoral para o Partido Novo tem que responder à estas indagações, pois quantos os corpos começarem a feder, a população mineira tem que saber quem FORAM OS RESPONSÁVEIS.

    1. Não. É apenas uma questão de coerência e visão crítica, coisa inexistente em fanáticos. Verifique todos os comentários feitos por mim. Não são muitos. Baseio-me apenas, e tão somente, em fatos concretos ou em notícias merecedoras de credibilidade. Nada mais. Se desagrado gostos duvidosos… Paciência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.