Caso Backer: um exemplo de como o País trata de forma ideológica o que não deveria

A leviandade, oportunismo e boçalidade ideológica tomam conta da sociedade e da imprensa numa velocidade cada vez maior

Cerveja contaminada por substância tóxica, segundo a Polícia Civil (Imagem: Google)

Conheço a Backer como consumidor (cerveja) e cliente (Templo Cervejeiro). Adoro os dois!

Não conheço seus donos ou controladores, mas posso afirmar, por experiência própria de consumidor e conhecimento do mercado, que são pessoas idôneas e responsáveis. Mais. São exemplos de empreendedorismo e sucesso em um pais que luta, todos os dias, da forma mais dura e cruel possíveis, contra qualquer cidadão que se aventure a produzir algo e gerar emprego e renda.

Apesar do nome artesanal, a cervejaria é uma baita planta fabril. E sua reputação, inclusive internacional, deixa claro que está longe de ser uma operação de fundo de quintal. Por isso, o nível do debate nas redes sociais (cada vez mais uma terra de ninguém) e na imprensa local, beira a estupidez. Sensacionalismo barato e mistificação, estamos cada vez mais acostumados. Mas burrice, pura e simples, não. Ainda não.

Ontem, li manchetes condenatórias e definitivas, mesmo sem qualquer indicativo disso por parte da Polícia Civil, que em comunicado oficial, disse simplesmente ter encontrado substância tóxica em duas garrafas recolhidas e analisadas. A possibilidade da contaminação ser oriunda da fabricação existe? Sim. É certeza? Não.

Hoje, numa rádio que não me lembro qual — de tanta raiva mudei a estação! – dois locutores (um homem e uma mulher) falavam como se fossem mestres cervejeiros, engenheiros de alimentos, bioquímicos, empresários, autoridades sanitárias e juízes de direito. Verdadeiros multi-experts! E o que falavam de merda assustaria até certos comentaristas deste blog — tarefa difícil diante de alguns imbecis notórios deste espaço.

Não tenho a menor ideia do que aconteceu e não tenho a menor ideia do que acontecerá. Mas afirmo, com todas as letras, que:

  • A empresa é idônea e uma baita fabricante de cerveja;
  •  
  • Seus sócios são pessoas corretas e criteriosas ao extremo;
  •  
  • A Polícia Civil, até o momento, deu um show de profissionalismo (apesar do vazamento do laudo);
  •  
  • Boa parte da imprensa mineira, ao contrário, está dando um show de oportunismo e desinformação;
  •  
  • A Backer, quase no mesmo sentido, está dando um show de omissão e desrespeito ao seu consumidor, adotando um comunicado lacônico e um silêncio sepulcral como formas de comunicação diante dos fatos;
  •  
  • O maldito pensamento socialista, que nos enfiou neste buraco sem fim, tem de ser banido da nossa sociedade imediatamente. O número de comentários no sentido de que “a empresa só visa lucro e não a segurança dos seus consumidores; empresário é ganancioso e tem que ser preso; a cervejaria batizou o produto para ficar mais barato e lucrar mais; eles economizam com controle de qualidade e a gente que morre“, e outras barbaridades do gênero, é de embrulhar o estômago.

Espero que tudo seja oficialmente e definitivamente esclarecido, o quanto antes, e que as responsabilidades civis e criminais não só sejam imputadas com os máximos critério e rigor, mas que tenham efetividade na punição e reparação material e moral das vítimas e seus parentes.

Aliás, caso reste comprovada a responsabilidade da empresa, que esta honre seu bom nome e dê toda a assistência necessária aos doentes e seus familiares. Que não economize ou pechinche um mísero centavo, já que a vida de quem se foi e as possíveis sequelas de quem ficar, não têm forma alguma de compensação.

Leia também.

Outros links sobre o assunto:

Laudo da Polícia Civil aponta cerveja contaminada

Mestre cervejeira esclarece dúvidas

Como identificar os lotes contaminados

Substância é tóxica e pode ser mortal

Conheça a história da Backer

Desinformação preocupa consumidores

42 thoughts to “Caso Backer: um exemplo de como o País trata de forma ideológica o que não deveria”

  1. O pensamento “socialista” que para mim devia ser uma linha de investigacao é: A ambev ja comprou varias cervejarias artesanais que vinham incomodando. comprou a Walls por exemplo. Fico na duvida se nao foi um caso de sabotagem ja que a backer é uma das poucas que recusou a ser vendida. Voces sabem como é a logica totalitaria do capitalismo: o maior vai comprando o menor, eliminando a concorrencia ate se tornar monopolio e ditar as regras do mercado e o consumidor nao ter opcao a nao ser o monopolio. Isso pode ser aplicado em todas as areas da economia. Engana se quem acha que o socialismo é a ameaça totalitaria. O totalitarismo vem da falta da concorrencia igual aos EUA onde o sistema desconhece o individuo, o cidadao. Quem manda e desmanda sao as megacorporacoes.

    1. Bem pensado, melhor dito! O negócio do Paulo Lemann é mandar dinheiro para premiações no hemisfério norte. Aqui no Brasil ele vende essas águas ralas, eca! Dispensa dizer que tem gente que acha bonito.

    2. vc so fala merda cara. vc disse que o lula nao seria preso, que o apenas um por cento da vaza jato tinha sido divulgado, que o moro ia cair, que o bolsonaro nao ia ganhar, que a guerra atomica ia comecar, vc nao da uma dentro. pede pra cagar e sai de fininho.

    1. Na boa, eu fico aqui pensando: que tipo de sujeito clica num link qualquer, jogado num canto de um um portal de internet, lê (ou não lê) a merda que está escrita e simplesmente digita “otário”, em letras maiúsculas, com espaço entre as letras, acentos de exclamação, para depois preencher os campos de nome e e-mail (verdadeiros ou não) e enviar para este blog.

      Fico pensando na aparência, no modo de vida, na personalidade…

      Nos sentimentos ruins que uma pessoa assim deve ter: frustração, raiva, desamparo, inveja, solidão, abandono…

      Credo.

    1. Na boa, eu fico aqui pensando: que tipo de sujeito clica num link qualquer, jogado num canto de um um portal de internet, lê (ou não lê) a merda que está escrita e simplesmente digita “otário”, em letras maiúsculas, com espaço entre as letras, acentos de exclamação, para depois preencher os campos de nome e e-mail (verdadeiros ou não) e enviar para este blog.

      Fico pensando na aparência, no modo de vida, na personalidade…

      Nos sentimentos ruins que uma pessoa assim deve ter: frustração, raiva, desamparo, inveja, solidão, abandono…

      Credo.

  2. não sei como você com sua doença contra a cor vermelha não disse ainda que foi o Lula quem envenenou a cerveja, mas já citou exemplos de coisas politicas neste seu comentário ridículo e estúpido.

  3. Muito Boa sua opinião. Acrescentaria alguns outros pontos: 60.000 garrafas de cerveja nos lotes produzidos e os outros 59.990 doentes? Qual a quantidade da substância encontrada nas 02 garrafas são necessários para o envenenamento? Porque somente homens e dentro de uma faixa etária. São questões que me intrigam.

  4. O autor critica o amadorismo, senso comum, no entanto solta essa no final do texto “
    O maldito pensamento socialista, que nos enfiou neste buraco sem fim, tem de ser banido da nossa sociedade imediatamente” parei de ler ?????

  5. INVEJA MATA! SIM, MATA!
    As pessoas tem inveja dos talentos que não possuem.
    Invejosos sofrem de amargura, sofre por causa da felicidade alheia.
    Devemos nos cuidar. Quando somos felizes, no empreendimento, a felicidade incomoda muita gente.
    INVEJA MATA!

  6. A imprensa brasileira deveria ter como um mantra a importância que a Constituição de 1988 lhe deu; relatar a verdade e nada além disso. Ela tem o direito de livre expressão garantido no artigo 5°, inciso IX, da Constituição Federal. Mas não é isso o que acontece com grande parte dela. Principalmente parte da grande imprensa. Um caso que está caindo no esquecimento, no qual pessoas foram condenadas apenas porque parte da imprensa só buscava o sensacionalismo, bons furos e sair na frente na audiência foi o caso da Escola Base, em São Paulo, em 1994. Informações erradas destruíram reputações e vidas. Para a imprensa, bastou um “desculpe a nossa falha”, e para os envolvidos o fardo de recomeçar uma vida sofrida, pois foram vítimas de mentiras. Enfim, em casos como este, a imprensa deveria ser penalizada. Só assim haveria um pouco de responsabilidade e compromisso social por parte dela.

  7. Nossa! Ficou incomodado com quem? Adoraria conhecer essa pessoa!
    Engraçado que todo “direitinha” usa como argumento base o “estudo”.
    Mas sempre me vejo matutando quando leio alguém que se vangloria ou se defende sob esse chiste.
    Afinal, ter estudo, cultura, não deveria ser obrigação de um Estado que quer seus cidadãos nutridos em condição de competitividade? Ainda que pensemos sob a lógica puramente capitalista, despida totalmente de interesse social, como parece ser o que pratica a direita extrema? Se é que assim se pode chamar esse teatro mal ensaiado que só visa no fundo ao esquartejamento do nosso país atualmente…(!?)
    E que o suposto entendido aí apoiou, porque todos sabemos!
    Agora tenta se fazer de rogado e, de vez em quando, ensaia uma crítica!
    Realmente, vejo que alguns pasquins tem mesmo e que falir!
    E que o processo seja rápido!
    Pelo espaço dado ao nível do blogueiro (antes, havia colunistas, com mais intelecto e classe), já se vê que vai muito bem o que antes já foi um jornal de respeito.
    Muito lamentável isso…

  8. Modernas empresas devem ter uma companhia de seguros para assumir o pagamento de indenizacoes desse tipo.
    No Brasil, como sempre, tudo termina em carnaval com pizza e cerveja, sem trocadilho. E o prejui’zo fica para quem se fu-fu.

  9. Quanta incoerência … primeiro diz que “não conhece os donos ou controladores” depois afirma que “seus sócios são pessoas corretas e criteriosas ao extremo”. Como assim, acha que todos os leitores são idiotas?

  10. As duas ultimas mineradoras cujas barragens entraram dm colapaso tambem sao referencia, colaboraram com as investigacoes e etc. O cerco parece estar fechando pra essa cerveja. Cuidado que se investigar mais, pode haver mais surpresas. Tristes situacoes que estamos sujeitos. Bebia a pilsen e de trigo deles há mais de 10 anos, quando eles nem tinham sido premiados. Bebia. Imagina se ela for culpada, o estrago que vai ser, cerca de 600 funcionarios nesse momento… Vai ser incompetencia mesmo, nada a ver com socialismo.

    1. se a correlação com o socialismo para você estiver ligada aos seus argumento, me desculpe, mas terá que ler novamente e entender o que está escrito

  11. “A empresa é idônea e uma baita fabricante de cerveja;”

    “Seus sócios são pessoas corretas e criteriosas ao extremo;”

    Não entendo o seu grau de ligação com os donos da cervejaria. Até porque você julgou qualquer pessoa que toma cerveja artesanal como não pudesse ser mestres cervejeiros, engenheiros de alimentos, bioquímicos, empresários, autoridades sanitárias e juízes de direito.

    Como você tem TANTA CERTEZA da idoneidade dos sócios, porque não vai agora na fábrica e enche a cara com algumas boas dezenas de cervejas dos lotes suspeitos (que na sua visão foi feito por pessoas de má fé)?

    Você estaria fazendo um baita favor aos brasileiros (quicá o mundo?) caso viesse a morrer. Teríamos certeza que o lote realmente estava contaminado.

    Vai lá, quebra o galho!

    1. Vixe!! Adoro quando aparece um vagabundo semiletrado como você. Vamos lá:

      VC: “Não entendo o seu grau de ligação com os donos da cervejaria. Até porque você julgou qualquer pessoa que toma cerveja artesanal como não pudesse ser mestres cervejeiros, engenheiros de alimentos, bioquímicos, empresários, autoridades sanitárias e juízes de direito”.

      EU: Se você for capaz de traduzir o que escreveu — e por que escreveu!! — será contratado com tradutor oficial da Dilma Rousseff.

      VC: “Como você tem TANTA CERTEZA da idoneidade dos sócios, porque não vai agora na fábrica e enche a cara com algumas boas dezenas de cervejas dos lotes suspeitos (que na sua visão foi feito por pessoas de má fé)?”

      EU: Primeiro, aprenda a diferença entre “porque e por que”. Segundo, traduza o que quer dizer, sua anta!! É impossível compreender suas colocações. Terceiro, aprenda o plural: “lotes suspeitos foi feito” só lá no estábulo onde você dorme e come capim, nos intervalos das defecadas.

      VC: “Você estaria fazendo um baita favor aos brasileiros (quicá o mundo?) caso viesse a morrer. Teríamos certeza que o lote realmente estava contaminado.”

      EU: Finalmente uma frase que ao menos faz algum sentido, a despeito do “quicá”.

      VC: “Vai lá, quebra o galho!”

      EU: Vou não.

      1. Vamos lá:
        No trecho “…nível do debate nas redes sociais (cada vez mais uma terra de ninguém) e na imprensa local, beira a estupidez.”.
        Saiba que “imprensa local” é o portal que você trabalha. Já li muita coisa na UAI sobre o assunto. No seu conceito, todos os seus colegas de trabalho são estúpidos?

        “…falavam como se fossem mestres cervejeiros, engenheiros de alimentos, bioquímicos, empresários, autoridades sanitárias e juízes de direito. Verdadeiros multi-experts!”
        Precisa ser mestre cervejeiro pra opinar num caso de polícia? Desqualificando um colega de trabalho? Seu entendimento na área ultrapassa qualquer expert no assunto, certo? A polícia precisa te contratar pra tocar esse caso.

        “E o que falavam de merda assustaria até certos comentaristas deste blog”.
        Quem disse que todos precisam ter a mesma opinião que a sua?
        Ou concorda com você ou tá errado. Já vi isso em algum lugar…

        “Espero que tudo seja oficialmente e definitivamente esclarecido, o quanto antes, e que as responsabilidades civis e criminais não só sejam imputadas com os máximos critério e rigor, mas que tenham efetividade na punição e reparação material e moral das vítimas e seus parentes.”
        É do tipo morde e assopra. Mandou todo mundo à merda no começo do texto e depois finge de honesto.
        Você usou as palavras “burrice”, “estupidez”, “imbecis” e “barbaridades” pra tratar qualquer um que tivesse um entendimento diferente do seu.

        No “texto”, você mostra uma cumplicidade absurda com os donos. Vai saber lá o motivo. Já vi que não é PT (Ufa!!!). Mas quem disse que precisa ter partido pra ser corrupto, né?
        Pelo que parece, você tomou um bocado de cerveja grátis nos últimos meses…

        Bora deitar a cabecinha no travesseiro e fingir que o sofrimento dos outros é só uma questão de imbecilidade, estupidez, burrice, etc…

        1. Para um post que não está no ar, comentários repetidos, em intervalos mínimos e sem informação de e-mail, seguramente partiram do mesmo jumento. Como acabei de ver meu filme, não estou com o menor sono e adoro quando um babaca do seu tipo dá os cornos por aqui, bora lá!!

          VC: “Saiba que “imprensa local” é o portal que você trabalha. Já li muita coisa na UAI sobre o assunto. No seu conceito, todos os seus colegas de trabalho são estúpidos?”

          EU: Errado, bostão do ano!! Eu não trabalho na imprensa. Sou empresário desde os 18 anos. E sim! Se algum jornalista, do UAI ou EM, falou merda a respeito, é um estúpido.

          VC: “Precisa ser mestre cervejeiro pra opinar num caso de polícia? Desqualificando um colega de trabalho? Seu entendimento na área ultrapassa qualquer expert no assunto, certo? A polícia precisa te contratar pra tocar esse caso.”

          EU: Errado outra vez, bostão do ano!! Justamente por não ser expert e não entender nada, que me calo a respeito do ocorrido. Mas um analfabeto funcional não é capaz de compreender um texto, por isso te entendo.

          VC: “Quem disse que todos precisam ter a mesma opinião que a sua?
          Ou concorda com você ou tá errado. Já vi isso em algum lugar…”

          EU: Ninguém disse! Nem eu! Viu, bostão do ano, como você é burro? Como é um analfabeto funcional?

          VC: “É do tipo morde e assopra. Mandou todo mundo à merda no começo do texto e depois finge de honesto.
          Você usou as palavras “burrice”, “estupidez”, “imbecis” e “barbaridades” pra tratar qualquer um que tivesse um entendimento diferente do seu.”

          EU: Não mordo nem assopro! Nem mandei ninguém à merda nem me fingi de honesto. Honestidade não se finge. Quem se esconde sob o anonimato é um exemplo disso. É desonesto e pronto! Quem escreve usando nomes falsos também. E uso “burro, estúpido etc” não com quem pensa diferente de mim, mas com quem não pensa, como o seu caso. Ou com quem cuja incapacidade intelectual é tamanha, que só me resta chamar de “burro, estúpido etc”. Ou um bostão como você merece melhor sorte?

          VC: “No “texto”, você mostra uma cumplicidade absurda com os donos. Vai saber lá o motivo. Já vi que não é PT (Ufa!!!). Mas quem disse que precisa ter partido pra ser corrupto, né?
          Pelo que parece, você tomou um bocado de cerveja grátis nos últimos meses…”

          EU: Errado outra vez, bostão colossal!! Minha cumplicidade é com qualquer um que trabalha e produz; que gera emprego e renda; que paga rios de impostos e mata duzentos leões por dia para sobreviver num país dominado por um “Estado de merda” e gente do seu tipo, sacou?

          VC: “Bora deitar a cabecinha no travesseiro e fingir que o sofrimento dos outros é só uma questão de imbecilidade, estupidez, burrice, etc…”

          EU: Agora, sim! Finalmente uma frase correta e honesta, saída de si próprio, representando, seguramente, os próprios sentimentos. Um bostão como você é o retrato do que escreveu. Um infeliz que usa uma tragédia destas para tentar “lacrar” na internet; para brincar de briguinha comigo; para passar alguns minutos se esquecendo do quão miserável é.

          Agora que já me diverti — e te diverti — vou voltar a minha vida real e você voltará para a sua. Coitado!

  12. Boa Otavio.
    Exatamente o que pensei quando li o texto. Pra escrever à favor da Backer e contra quem está morrendo só quem tem esquema forte lá dentro. Tá na cara…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.