Dois ataques terroristas em solo nacional, duas reações distintas e um triste resultado

Ataques terroristas semelhantes são tratados de forma desigual pela imprensa brasileira, num duplo padrão moral asqueroso

Loja da Havan em São Carlos, interior de São Paulo (foto: Correio Brasiliense/Reprodução/EPTV)

Ano novo, vida velha. Parte do Brasil não descansa nem durante as festas e insiste no modelo errado que produziu o caos político em que nos encontramos hoje, e que culminou na eleição do presidente Jair Bolsonaro.

Um imbecil qualquer – ou grupo deles – ateou fogo na estátua (réplica da estátua da Liberdade) que ‘enfeita’ a entrada das lojas de rua da rede Havan, do polêmico empresário Luciano Hang, um dos mais ativos apoiadores do governo atual e do presidente Bolsonaro.

Não é a primeira vez que casos assim ocorrem. Militantes (muitas vezes terroristas) de esquerda são useiros e vezeiros na arte da destruição e da violência como forma de manifestação política. Como sei que são de esquerda? Bem…

Dias atrás, militantes-terroristas de direita (como sei que são de direita? Bem…) atacaram a sede do ‘Porta dos Fundos’, grupo pretensamente humorístico, após a produção de um conteúdo altamente ofensivo aos cristãos e à Igreja Católica.

Possivelmente você leu, viu e ouviu, durante dias, este caso. A imprensa repercutiu bastante o atentado e condenou veementemente, em nome da tolerância e da liberdade artística, a violência praticada contra o grupo de Gregório Duvivier, militante de esquerda e interlocutor de hackers.

No sentido contrário, você praticamente não soube do ocorrido com o ‘véio da Havan’, afinal um louco que financia aviões sobrevoando praias puxando uma faixa com os dizeres ‘Lula cachaceiro devolve meu dinheiro’ não merece muita atenção da zelosa mídia nacional.

Eis aí o duplo padrão moral de boa parte da imprensa brasileira, classe artística e formadores de opinião em geral. Para essa gente, atentado só merece o nome (de atentado) e atenção, quando contra sua própria classe e ideologia.

Para estes valentes, há uma diferença entre os atos e as vítimas. Uns, são legítimos e fazem parte da democracia. Outros, intolerância e violência contra a liberdade de expressão e manifestação artística. É nojento!

Não é diferente do que nos acostumamos, por décadas, a assistir na grande imprensa. Traficantes mortos são tratados como vítimas. Policiais mortos, como fatalidade. Invasões de terra são atos políticos. Reintegração de posse, violência policial.

No cenário externo, idem. Terroristas são adjetivados como militantes. Já as forças policiais e militares que os combatem, são assassinos, que digam Estados Unidos e Israel, frequentemente nominados assim pela mídia internacional.

Com o massificação da internet e das redes sociais e a consequente pulverização do monopólio da informação, tal ‘modus operandi’ restou claro à grande parte da população mundial que, insatisfeita, reagiu através do voto e de novas escolhas políticas.

Os presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro; a derrota das esquerdas pelo mundo; o declínio financeiro e a perda de influência dos grandes grupos mundiais de comunicação são o efeito mais visível deste comportamento intelectualmente desonesto que prosperou mundo afora.

Ao que parece, essa gente não aprendeu nada, não esqueceu nada. Felizmente, nós aprendemos muito e não esquecemos nada. Este blog e blogueiro são provas vivas destes novos tempos. Que bom! Feliz anos 20, do século 21, para todos aqueles do bem e de boa vontade.

Leia mais.

21 comentários em “Dois ataques terroristas em solo nacional, duas reações distintas e um triste resultado

  1. Falando nisso, o “presidente de todos os brasileiros” publicou vídeo condenando o ataque terrorista contra a Havan mas se calou sobre o ataque terrorista contra a sede da Porta dos Fundos. Idem o “ministro de justiça de todos os brasileiros”.

    Não é só a imprensa que usa dois pesos e duas medidas então, talkei?

  2. Engraçado… vc esqueceu-se de citar alguns fatos que o próprio Bozo deveria se solidarizar e ñ o fez como: Beth Carvalho, com as famílias de Agata e demais crianças mortas, nunca lamentou a morte de indígenas massacrados, ficou calado com as bombas em terreiros de umbanda, ficou escondido qto ao ataque ao porta dos fundos, ñ lamentou os 80 tiros disparados contra o carro de um músico mas é solidário ao incêndio a uma merda de estatua de um véio sonegador de impostos? Um criminoso? até compreendo ñ se solidarizar com a família da Marielle já que seu filho é suspeito de envolvimento com os assassinos.
    Cara, vc ñ é um bom caráter! É mau intencionado

  3. DIZEM POR AÍ QUE
    O governo do Bolsonaro só está indo bem porque tem dado sequência ao que foi feito no governo anterior. Sim, no governo anterior iniciado em 2011 e terminado em 2018, com a reeleição de ambos. E cá entre nós, é muita cara de pau, né?
    Ora! Tudo ia a mil maravilhas nos 5 dos primeiros 8 anos de governo desses dois incompetentes, fazendo “revolucionários” investimentos em tecnologias renováveis, a ponto de se endeusada a mandioca e se tentar ensacar ventos em laboratórios para distrair o otariado nacional, enquanto a Petrobrás era saqueada sem dó e o Quadrilhão Saradão cada vez mais esbanjava saúde, a maioria composta por membros dos partidos que os dois representavam.
    Na ladroagem incontida, tinha refinados alopros e maracutaias à vontade e não faltavam festas e desfiles fashion de guardanapos, cuecas, malas e jatinhos endinheirados, com direito a orações em agradecimento às crescentes roubalheiras bilionárias praticadas impunemente contra a Nação e os brasileiros contribuintes.
    Até que, felizmente, chegou a Lava Jato para bagunçar o coreto e cada um correr para um lado tentando se despistar da perseguição criminal, feita por um Juizinho de cidade do interior do meu querido Paraná juntamente com a PF e o MP.
    Com isso e os escândalos em série que apareciam de baciada, veio o impeachment da presidente, enquanto o vice, atônito e na defensiva, como que dizendo “Num fui eu não sinhô”, teve que sair do banco de reservas e entrar em campo para ir substitui-la na presidência. Daí em diante e com o fiofó onde não passava nem alfinete, teve que mudar radicalmente o modus operandi para salvar os comparsas e tirar o dele da reta.
    Por tudo isso, desde as trocas de sopapos na pesagem antes da luta até agora, o Bolsonaro tem ido muito bem, seguindo firme nessa luta feroz contra as ratazanas e parasitas do poder e dos cofres públicos, recebe grande apoio da torcida e não tem dado nenhum sinal de que venha a ser nocauteado com impeachment.

  4. No caso do atentado à Porta dos Fundos, há vídeos mostrando o ataque e idiotas encapuzados bolsonaristas assumindo sua autoria. Não há margem para dúvidas.

    Já no caso da estátua da Havan não há evidência alguma de ataque, só o vídeo do incêndio já consumado. Que gozado, uma loja de todo tamanho, com sua caríssima estátua macaqueada dos “novaiorquines” à frente da fachada, não tem um sistema de segurança, um CFTV, para flagrar os autores deste ataque covarde?

    A falsa equivalência é a arma do covarde que não quer se posicionar. O isentão que tenta se afastar do bolsonarismo mesmo tendo batido panela por ele durante anos a fio.

    Você não engana ninguém.

  5. Baby, Baby !!
    Conta pra todo mundo porque o Bozo desistiu de abrir a “caixa preta do BNDES”. Será que tem algo a ver com “veio da Havan” ???
    Complete a notícia para que todos se informem corretamente.

  6. DIZEM POR AÍ QUE
    Foi só prender um brasileiro e a moral de uma corte de justiça oriental, que até pouco antes do natal tinha um cavalo baio e fama de ordeira, era muito respeitada e todos queriam ouvir seus conselhos, já foi para as cucuias também.
    A continuar assim, é capaz de logo até a justiça divina correr risco nas suas andanças entre os terráqueos.

  7. Acho normal que o partido que quebrou o país, deteste o Luciano Hang, pois afinal de contas ele é um dos nossos que elegeram o mito nas urnas.
    Por falar em atos terroristas, acho que o mst anda meio sumido. Será que eles que sempre tiveram o apoio do pt, estão temendo alguma represália ???

  8. Alto lá, cara pálida…
    O caso do “Porta dos Fundos” ficou comprovada a participação de militante e miliciano(suspeito??? de ser) filiado ao PSL e com extensa ficha, digamos, de “pequenas irregularidades”. Fato assumido pelo próprio nas redes sociais.
    O caso do velho da havan é bem diferente. Não foi encontrada nenhuma evidência de crime. O mais provável, segundo alegação da polícia, seria um “curto” na rede elétrica.
    Afirmar que “este blog e blogueiro são provas vivas destes novos tempos”, não passa de declaração ridícula. Ao contrário do que afirmas “este blog e blogueiro” vêm diuturnamente incitando o ódio em suas publicações. Sob a desculpa de emitir “sua opinião”, faz uso de espaço privilegiado para defender seus correligionários, destratando raivosa e diariamente quem pensa diferente. Talvez (o que duvido muito) não tenhas consciência do efeito “propagador” na maioria dos seguidores desse blog, fanáticos defensores de suas ideias.
    Para os atos terroristas praticados em países, notadamente Estados Unidos, existe uma explicação (não uma justificativa): recebem a contrapartida dos atos praticados contra os países de origem dos terroristas. Os fanáticos acreditam que os atos terroristas praticados são justos e meritórios. Se fizeres uma pesquisa, dificilmente encontrarás registro de atos terroristas em países não beligerantes.

    1. Madri (2004); Paris (2015); Bruxelas (2016); Berlim (2016); Colombo (2019); Londres (2017)… Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Sri Lanka e Inglaterra são super beligerantes, né, sua mula energúmena?

      Pior que um burro resignado, é um burro que se pretende inteligente. Uma besta que ainda tenta encontrar justificativa para o terror.

      Procure uma freguesia onde possa escrever merdas sem ser contestado com fatos, porque aqui só passará vergonha. Se é que conhece isso.

      Ah! Me esqueci de Estocolmo (2017) e Copenhague (2015). De fato a Suécia e Dinamarca são países extremamente agressivos!!

  9. Em tempo: O fanatismo religioso que sustenta o atual governo caminha a passos largos em direção a atos de violência extrema. Os fundamentalistas talibãs e correlatos agem acreditando que atendem um chamado de alá. Como dizem por aí: “a fé cega, cega”.

  10. Ser beligerante não significa apenas participar, diretamente, de atos de guerra. Participar indiretamente ou apoiar dá na mesma. Dos países mencionados, qual ou quais não teve participação direta ou indireta na invasão do Iraque, na invasão da Líbia, na guerra do Afeganistão, na guerra da Síria e de tantas outras? Destaco a Alemanha como um dos citados por vossa santidade. Apesar da atual imagem de pacifista, você vai dizer o quê? Você, como ninguém, sabe do que estou falando. A Inglaterra apoia cegamente todos os atos praticados pelos ianques. Pesquise o histórico da participação direta, apoio ou participação indireta das nações que mencionou, em guerra nas últimas décadas. Verás que, de alguma forma, houve participação de todas.

  11. Ser beligerante não significa apenas participar, diretamente, de atos de guerra. Participar indiretamente ou apoiar dá na mesma. Dos países mencionados, qual ou quais não teve participação direta ou indireta na invasão do Iraque, na invasão da Líbia, na guerra do Afeganistão, na guerra da Síria e de tantas outras? Destaco a Alemanha como um dos citados por vossa santidade. Apesar da atual imagem de pacifista, você vai dizer o quê? Você, como ninguém, sabe do que estou falando. A Inglaterra apoia cegamente todos os atos praticados pelos ianques. Pesquise o histórico da participação direta, apoio ou participação indireta das nações que mencionou, em guerra nas últimas décadas. Verás que, de alguma forma, houve participação de todas.

  12. Reino Unido, Espanha e Dinamarca são alguns dos países que forneceram tropas para a guerra do Iraque. Na sua cabeça oca não são beligerantes e de muitos energúmenos que povoam esse ambiente virtual, não são países beligerantes.

  13. O Trump acaba de cometer mais um ato “de paz” que pode deflagrar mais uma guerra de imprevisível dimensão no golfo pérsico. Autorizou o assassinato do general iraniano Qasem Soleimani, comandante da Força Quds. O plano foi executado com sucesso nos arredores do aeroporto de Bagdá. Odiado pelos inimigos e venerado pelos patrícios, o general era respeitado por todos pela habilidade de, nos bastidores, negociar e contornar situações melindrosas nas relações Irã/Iraque. O Irã considera uma agressão absurda a seu povo e promete vingança. Taí mais um ingrediente de fomento ao terrorismo. Quando fanáticos começarem a praticá-los, dirão que os atos são imotivados. Ora bolas, todos sabem que fanático sempre reage com violência quando acredita que foi agredido. Esse ato nefasto do Trump tem o único objetivo de assegurar sua reeleição, não se importando com as consequências vindouras. Haverá retaliação? Claro que sim… Em que dimensões? Difícil de prever. A primeira consequência, sentida no mundo inteiro, inclusive aqui no Brasil, será a disparada nos preços do petróleo e seus derivados, com reflexo em todos os ramos das economias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.