O que a tragédia da senhora esmagada por um caminhão diz a nosso respeito

As tragédias, no Brasil, são como gigantescas placas de trânsito. Ninguém repara. Quando repara, não leva a sério

Foto: Corpo de Bombeiros/Estado de Minas/Portal UAI

Mais uma tragédia perfeitamente evitável ceifou hoje, em Belo Horizonte, a história (de uma senhora de 58 anos) e destroçou o restante da vida dos seus entes queridos.

Um caminhão, carregado com uma caçamba lotada de entulhos, desceu ladeira a baixo e só parou ao esmagar completamente o veículo em que se encontrava a vítima.

No local, uma descida pra lá de íngreme, placas indicavam a proibição de veículos de carga. Mas o que são placas de trânsito, não é verdade?

Quem disse que “Pare” é para parar? Ou que “Proibido Estacionar” seja de fato proibido? Placas, no Brasil, são como árvores nas calçadas. Fazem parte da paisagem, e só.

O motorista, pobre coitado, jamais imaginou ser para valer aquele risco vermelho, cruzado sobre o desenho de um caminhão. Deve ter pensado ser igual ao sinal vermelho do semáforo ou as placas de estacionamento reservado à gestantes, idosos e deficientes: todo mundo vê, mas ninguém dá a menor bola.

Quando Moisés recebeu as Tábuas de Deus, com os tais 10 mandamentos (“não roubarás, não matarás, etc, etc, etc…), seguramente não imaginou que, um dia, existiria um lugar como o Brasil.

Se imaginasse, não perderia seu precioso tempo!

Por aqui, o que está escrito não é lido. Quando lido, não é compreendido. Quando compreendido, não é respeitado.

Simples assim. Triste assim.

(Meus sinceros sentimentos aos familiares da vítima)

12 comentários em “O que a tragédia da senhora esmagada por um caminhão diz a nosso respeito

  1. UM PAÍS ONDE O ESCRITO NAS PENAS DA LEI NÃO VALE PARA OS “MAIS IGUAIS QUE OS OUTROS”
    Esse é país onde se faz leis contra os agentes da Lei e se engaveta projetos de lei contra os criminosos.
    Esse é um país onde a invasão da privacidade de agentes da Lei por criminosos hackers pagos por “jornalista” militante de organizações políticas corruptas é considerada um ato de transparência jornalística, ao mesmo tempo que a publicação de conversas de criminosos, obtidas por agentes da Lei com autorização legal, é proibida.
    E é o mesmo país onde as investigações de movimentações financeiras volumosas e suspeitas de autoridades públicas são proibidas pelas mesmas autoridades suspeitas investigadas.
    Onde certos os ministro do STF só obedecem à Constituição se o escrito nela não for contra seus interesses pessoais/partidários/políticos/ideológicos

  2. Vamos adotar outras soluções “inteligente” : proibir os radares móveis, liberar o não uso das cadeirinhas por crianças e etc, etc, etc….
    Vamos piorando cada vez mais.

    1. Cuidado meu cara. Os leitores do blog vão chamar você de comunista e mandar você ir pra Cuba ou pra Venezuela. Vivemos a banalidade da ignorância sem vergonha. Mais abaixo já puseram a culpa no PT pelo caminhão ter perdido freio. O blogueiro Ricardo criou um monte de monstrinhos bolsomínios.

    2. Olá Cícero, há que se considerar que por enquanto o sujeito do Palácio do Planalto esta apenas criando os mecanismos destruidores, ou seja, por enquanto são as causas, as consequências virão depois (sem pleonasmo). O atual governo só tem uma pauta: DESTRUIÇÃO. O Jair vai desregulamentando (ele tem pavor a tudo que seja ordem e ou harmonia) e instalando o caos para que venha as milícia e ocupe o vácuo; da outra banda Paulo Guedes amacia, passa manteiga, para que a bocarra de seus patrões abocanhe tudo que seja patrimônio e que gere riqueza. Para a meia dúzia de cinco séculos, tudo; para o povão porrete e exclusão. É tão claro como um lago de água cristalina – diria Alexander o Largo de a Laranja Mecânica.

  3. Claro que a aprovação de loteamentos com ruas com inclinação acentuada não tem nada a ver com vereadores e prefeituras. Soma-se a exigência de caçambas para obras e esquecendo que caçambas são transportadas por caminhões.

  4. Ricardo,

    Por isso o avanço educacional é importante.
    Bolsonaro ainda deixou mais flexível carteira de motorista.
    Na verdade, acho que trânsito tem ser debatido a começar na escola, não só
    para tirar carteira.
    Talvez, de certa forma, Bolsonaro tenha razão:
    para que tanta burocracia em tirar carteira? Precisamos deixar isso nas escolas.
    não aprendido às pressas, movido pelo entusiasmo.
    É algo complexo, não pode ser estudado rapidamente.

    Meus sentimentos às ,famílias também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.