Para as nossas esquerdas, o importante é atrapalhar. Pena! Perdemos todos

Oposição política não deveria ser oposição destrutiva, mas sim uma forma alternativa de ajudar a construir um país melhor

(Foto: Evaristo Sá/AFP)

Uma das coisas mais interessantes que pude constatar nas minhas andanças recentes mundo afora foi o espírito coletivo de algumas sociedades.

A união, de fato, faz a força, e a colaboração positiva leva comunidades, cidades e países ao progresso, ainda que alguns segmentos da sociedade remem contra.

A classe política, quando bem-intencionada, serve sempre de força-motriz. Mesmo que opiniões divergentes e ideologias distintas, por vezes, inviabilizem as ações — ou as atrasem — , quando há boa intenção, há sucesso.

Passando os olhos nas manchetes, me deparo com a costumeira má prática das esquerdas quando ocupam a oposição: trabalhar contra o governo de turno.

O PT e seus satélites querem impedir a aprovação dos créditos suplementares, não como forma de pressão por melhores e menores gastos públicos, pois sabemos que são exatamente a favor da gastança irresponsável e improdutiva, mas, sim, para tentar paralisar um governo que já não anda lá muito bem das pernas

Não se trata de posição contrária ou legítimo embate ideológico, mas apenas obstrução e esforço contra, na tentativa e expectativa de atrapalhar, de destruir.

A esquerda ainda encara a política como um jogo de adversários em que o importante é derrotar o lado oposto. Ora, se metade de um país pende para um lado, isso significa que a outra metade será sempre derrotada, e o conjunto da sociedade perderá sempre, afinal não há progresso com apenas 50% de êxito.

No poder, a esquerda arrasou a economia, carcomeu as instituições, corroeu o tecido social e levou o país à breca. De volta à oposição, adota a prática do “quanto pior, melhor”, como se a derrota do governo não fosse a derrota da própria nação.

A prática nunca foi recíproca. Quando esteve no poder, a esquerda contou com o apoio maciço — ainda que comprado — de praticamente todas as forças políticas, e o pouco de oposição que se viu sempre foi responsável e em prol do país.

É uma pena que gente do quilate de Maria do Rosário, Gleisi Hoffmann e espécimes do mesmo gênero ainda sejam eleitos, pois jamais contribuíram — no poder ou na oposição —  para um país melhor. Ao contrário, sempre agiram, como agem agora, em benefício próprio e de seu grupo, verdadeiros chupins do passado, presente e futuro do Brasil.

Leia mais.

11 comentários em “Para as nossas esquerdas, o importante é atrapalhar. Pena! Perdemos todos

  1. Essa desgraça chamada PT, sempre foi DO CONTRA, desde que foi criado, sempre foram do contra. Foram contra tudo e contra todos, ate contra a constituiçao de 1988, eles votaram, não engoliram ter perdido a eleiçao de 1989, e deram um GOLPE NO COLLOR, foram contra o Itamar, tentaram sabotar o governo Itamar, foram contra o Plano real, contra as privatizaçoes, contra a reeleiçao, contra a lei de responsabilidade fiscal, o PT SEMPRE TORCEU CONTRA O BRASIL, e depois que chegaram na presidencia se apropriaram de tudo o que eram contra inclusive a reeleiçao. O PT nunca engoliu ter perdido uma eleiçao , por isso tentou dar golpe em todos os presidentes eleitos. O PT e igual um CANCER ou voce mata ele, ou ele te mata

    1. Há profetas que se propõem denunciar o presente e vaticinar o futuro. Agora apareceu um tipo que nem sobre o passado consegue dizer palavra condizente. Também pudera, num tempo que o povo brasileiro realiza a catástrofe de eleger BOZO, que com sua turma forma a revanche dos estúpidos isso é até previsível. Com o faro desse profeta não será possível localizar o Queiroz, muito menos o Guaidó; uma pena!

  2. Por que você não diz assim? Para nossos políticos o importante é atrapalhar. Atrapalhar não é exclusividade da esquerda, sempre foi o que as oposições fizeram, independentemente de quem estivesse no governo. Nossos políticos são medíocres e só pensam nos seus umbigos.
    Mudando de assunto: o que me diz você de Sérgio Moro, combinando com o Dalagnol para condenar Lula. Grande palhaçada. Esse é o nosso Brasil. Em qualquer país decente do mundo este juizeco perderia o cargo de juiz.

  3. Ricardo,
    Você é um lunático, igual o presidente. Não existe oposição contra esse governo medíocre. O governo é situação e oposição simultaneamente, algo raro no mundo. Trata-se de um bando de maluco que está afundando o país, e você está preocupado com o PT?
    O Lula tá preso babaca!
    Acorda!!

  4. Agora conta uma novidade, Ricardo. A esquerda brasileira, enquanto oposição, sempre seguiu aquele “velho provérbio chinês”: se não pode ajudar, atrapalhe, pois o importante é participar!

    Brincadeira à parte, é nojento ver o que a quadrilha e seus asseclas fazem quando não estão com a caneta na mão. Nojo mesmo, porque é muito descarado que melhorar o país nunca foi o interesse deles e ainda assim conseguem idiotizar 30% da população. Pior para 100% do Brasil.

    Abs

  5. Como grande conhecedor dos meandros políticos,econômicos e financeiros acredito que o escriba conseguirá provar a quebradeira da nossa economia através de números tão desastrosos.Eu como leigo não consegui entender os números,desde já agradeço.

  6. Como grande conhecedor dos meandros políticos,econômicos e financeiros acredito que o escriba conseguirá provar a quebradeira da nossa economia através de números tão desastrosos.Eu como leigo não consegui entender os números,desde já agradeço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.