Dois em um: de assassinos a sindicatos, o ser humano como joguete de picaretas

Dois textos em um só post. Assuntos distintos, mas similares. Na raiz de ambos, o ser humano, suas imperfeições e os oportunistas de plantão

Abutres sempre a postos (Imagem: Google)

Assassinos, vítimas e picaretas…

Semana passada, um atentado a uma sinagoga, nas redondezas de San Diego, Califórnia, EUA, deixou um morto e vários feridos.

Poucos dias atrás, explosões em série dizimaram dezenas de cristãos que comemoravam a páscoa, no Sri Lanka.

Há alguns meses, um monstro invadiu duas ou três mesquitas, na Nova Zelândia, e assassinou brutalmente os muçulmanos que rezavam em paz.

A Terra é maravilhosa, mas pode ser brutal. O ser humano é incrível, mas pode ser um selvagem. A vida é bela, mas por vezes é o inferno sobre a própria terra.

Quando um ser humano é morto a humanidade inteira é ferida. Pouco importa quem seja, se branco ou preto, judeu ou budista, rico ou pobre, ocidental ou oriental.

Proselitistas e aproveitadores espalhados pelo mundo fazem das tragédias palco para suas ideologias e propagandas baratas.

Quando mataram Marielle Franco, esqueceram-se do ser humano e partiram para a “mulher negra de esquerda” como um objeto a ser discutido.

Hoje em dia, especialmente no Brasil, mortos não têm mais nome e sobrenome; família e história de vida. Mortos são troféus para proselitismos de toda sorte.

Feminicídio, homofobia, racismo… Assassinatos brutais de seres humanos recebem “selos de qualidade” como forma de separação das vítimas e dos crimes, como se uns merecessem mais dó ou punição que outros.

Um dia, a humanidade vai aprender a separar apenas vítimas e assassinos. Talvez, neste dia, o número de mortes diminua para todos, e os profissionais da classificação de crimes terão que arrumar outro tipo de emprego.

 

Liberalismo, liberdade e progresso…

Quem é o maior empregador do Brasil?

Você pode imaginar que é o governo, ou uma grande fábrica de automóveis, quem sabe um banco ou empreiteira?

Nada disso. O maior empregador do País chama-se “aplicativo”. Empresas como Uber e Ifood.

Não há dúvidas que este tipo de ocupação está intimamente ligada com o mau momento da economia. Assim como, décadas atrás, Avon, Natura, Yakult e outras gigantes do marketing de rede.

Pois bem. Sabe qual a maior e definitiva similaridade entre estes negócios e seus “empregados”?

A ausência do governo, da Justiça do Trabalho, de intermediários entre Capital x Trabalho. As partes acordam condições e remuneração e vida que segue. Para ambos, o “rolo” é bom.

Hoje, mais de 8 milhões de brasileiros alimentam suas famílias vendendo perfumes, potes, entregas e caronas.

Pagam impostos, circulam dinheiro, aquecem a economia e atenuam o impacto do desemprego.

Eis o liberalismo na veia! Trabalham quanto querem, como querem e ganham proporcionalmente.

Por isso os sindicatos são contra. Por isso as corporações são contra. Por isso a Justiça do Trabalho é contra. Todos estes “defensores dos trabalhadores” não passam de aproveitadores das relações entre Capital x Trabalho.

Quanto mais regulam, mais se metem, mais empregos dizimam. Inversamente, mais ganham com isso.

O movimento disruptivo da economia é irreversível. No mundo mais, no Brasil, claro, muito menos. Em 50 anos, mais da metade das atuais profissões terá sido extinta. Será um mundo maravilhoso!

Espero estar aqui para ver o bando de chupins, que hoje atravanca o País, buscando algo para fazer. Ou melhor: tendo que ganhar dinheiro pelo que produzir, e não às custas de alguém.

Leia mais.

14 comentários em “Dois em um: de assassinos a sindicatos, o ser humano como joguete de picaretas

  1. – Essa foto foi tirada quando Lula, Dirceu, Palloffi, Mantega, entre outros vagabundos, estavam administrando o país.
    – Na imagem em questão eles estavam dividindo a Petrobras, olha que beleza!!!!

  2. Olá Distinto, a discussão acerca das vítimas dos assassinatos não tem o mero crivo de no seu dizer “como se uns merecessem mais dó ou punição que outros”. Não é isso, e urge pôr as coisas em suas devidas referências.
    Veja o assassinato da Vereadora. 1 – enquanto ser humano ela é tal e qual aos bilhões de demais pessoas que se arrastam sobre esse chão de mundo, logo não cabe distinção; porém 2 – ela não é uma anônima (como anônimas são a maioria das pessoas que povoam esse mundo), trata-se de uma ativista que vinha dedicando muito de sua vida a às causas que interessam diretamente muita gente, inclusive a legião de anônimos; e, 3 – ela como Vereadora compunha e representava o Estado, este ente é o meio pelo qual a sociedade expressa o seu poder, por isso é distinto como uma das três funções estatais, no caso dela a função legislativa.
    De outro giro dizer que as pessoas jurídicas dos aplicativos são grandes empregadores soa como piada ou gozação. Quem procura uma entidade dessas para nela se escravizar (ter sua vida controlada e monitorada no tempo e no espaço, se esfalfar para ganhar uma merreca; zerar as possibilidades de outros avanços na vida; não contar com nenhuma proteção social no presente ou no futuro, na velhice ou no infortúnio) somente o faz depois de não achar emprego, ainda que desclassificado e de não conseguir ganhar regularmente numa atividade autônoma. Pior só na guerra. Não, não, não, pior é este estado de coisas e o blogueiro elogiando e dizendo tratar-se de ESCOLHA do que fazer e do quanto ganhar. Eita ferro. Vai gostar de defender a indignidade assim lá bem longe.

    1. O Governo Petista ( apoiador de Ditadores ) gerou milhões de desempregados.. Graças a Deus, existe o UBer para esta gente se virar.
      PERGUNTA DO DIA: COMO SERÁ QUE A GLEISI ESTÁ LIDANDO COM AS IMAGENS DA VENEZUELA HOJE? SERÁ QUE O CIRO VAI DIZER QUE VENEZUELA É DEMOCRACIA? SERÁ QUE LULA VAI GRAVAR UM VÍDEO DO XADREZ APOIANDO O MADURO CONTRA OS GOLPISTAS???
      SERÁ ?

      1. Resposta a sua pergunta.
        – Veículos blindados passaram por cima de manifestantes, gente do povo, as imagens estão sendo repetidas exaustivamente. Os comunas dos inferno aqui no Brasil vão achar normal veículos passarem por cima de pessoas. Não tem problema para eles. Só há problema se você xingar um asno desses; daí eles gritarão que você é fascista.
        – Perguntinha para você:
        – O que é pior, ferrugem que corrói o metal ou um comunista?
        – O que é mais devastador, a praga de gafanhotos sobre a plantação ou um comunista?

  3. Mais de 50 milhões de trabalhadores ocupados estão fora do mercado formal (trabalham sem carteira assinada (11 milhões sem carteira assinada e o resto por conta própria).
    Esses trabalhadores estão à margem da economia formal não só devido ao emperramento da economia pela massacrante e deficitária presença do Estado, como também pelo quase secular atraso da legislação trabalhista: ou seja “us direitu dus trabaiadô” servem mais como um fator de estímulo ao desemprego do que como um benefício aos trabalhadores. Quanto mais direitos se criam pelas canetas mágicas dos legisladores mais incentivos se criam às demissões dos que têm emprego formal além de mais desestímulos à criação de novos postos de trabalho com carteira assinada. Um exemplo, é o do desemprego das domésticas provocado por leis que pretendiam beneficiá-las.
    A grande maioria dessas vítimas do populismo e estatismo nem mesmo existem nas estatísticas de desempregados pois já não têm mais expectativas de conseguir empregos formais. E se não têm empregos formais e não contribuem para a Previdência Social, também não terão direito à aposentadoria: vão levar para os seus túmulos “us direitu” à aposentadoria social.
    Constituem eles essa enorme massa de deserdados, de não-cidadãos, que vivem de biscates, de vender balas e chicletes nos sinais, de lavar na carros nas ruas, de servente de pedreiros, enfim de qualquer coisa que lhes permita sobreviver à cada dia e levar comida para os seus no fim de uma jornada estafante.
    E O PIOR DE TUDO É QUE OS PARASITAS DO TRABALHO E MAIORES REACIONÁRIOS À MODERNIZAÇÃO DE NOSSAS RETRÓGRADAS LEGISLAÇÕES TRABALHISTAS, TRIBUTÁRIAS E PREVIDENCIÁRIAS SÃO EXATAMENTE AQUELES QUE SE AUTO-INTITULAM PROGRESSISTAS E AINDA SE ARVORAM EM REPRESENTANTES DOS TRABALHADORES!

    1. Leiteiro, vai nessa não rapaz. De 1930 a 1980, meio século, o Brasil foi o país que mais cresceu no mundo. Era justamente quando vigorava a CLT com Ministério do Trabalho e outros órgãos atuando. Entraram no país muitas corporações de fora e ai sim trouxeram investimentos. Montaram as plantas de fábricas, organizaram rede de fornecedores, rede de distribuidores e foram produzindo e distribuindo riquezas.
      Depois veio a Maria Antonieta Tropical e entregou muito das riquezas do pais a pretexto de privatização. Não houve investimento nenhum, pois, as ninharias que entraram eram apenas trocadas pelo patrimônio já existente, ou seja não se acrescentou não se agregou nada. Se houve avanço na telefonia credite-se às conquistas da tecnologia e não ao modelo de atuação.
      Agregou? Em verdade a tal da privataria não se destinou a cumprir desiderato econômico/social. Visou pôr em mãos de grupo “amigos” aquilo que o Estado construiu. Vide Embraer a cereja do bolo. Vide as estradas que foram construídas pelo Estado e gostosamente entregues de mão beijada para que os concessionários distribuísse pedágios pelo trecho, mas em troca não tapam nem buraco, o que fazem mesmo é cobrar o preço público.
      Assim, se você não é um desses raros amigos do rei que foram beneficiados em detrimento dos milhões de brasileiros, é melhor rever esses conceitos ou então ir cavar asfalto para procurar minhoca.

      1. MAS E NO GOVERNO DO SÃO LULA? ELE NÃO CONSERTOU TUDO ISSO NÃO CIDRA? FALA DO FHC, mas depois dele vieram 13 anos de desgraça petista…

      2. Cidrac, a CLT entrou em vigor em 1943 e não em 1930.
        Esqueça ditador comunista Getúlio Vargas. Ele mandou até prender o Monteiro Lobato por contraria-lo por ter afirmado que havia petróleo no Brasil para depois. na maior cara de pau, criar a Petrobrás.
        Mas, quem mais investiu na infraestrutura dela e em pessoal qualificado foi FHC.
        Mas, outro comuna espertalhão sucedeu o FHC e aproveitou para enganar o otariado nacional dizendo que foi ele quem descobriu o pré-sal (sem ter investido um centavo) e criar o petrolão.
        O governo do Juscelino foi quem reuniu empresários vindos da Europa no pós guerra para formar a indústria automobilística.
        Mesmo assim, cresceu pouco e com dificuldade por ele ter herdado o país do Getúlio, com mais de 55% de analfabetos.
        Aliás, em 64, o país ainda tinha 49% de analfabetos, em 1994 era 19%, em 2002 era 10,4% e em 2014 passou a ter só 14,5%.

  4. Taquipariu!!!!
    Ricardo, os campeões nacionais tidos como preferenciais da corrupção precisam ser investigados pela PF com a máxima urgência.

    Não é possível que agora lavem impunemente e na cara dura, bilhões roubados dos cofres públicos disfarçados de financiamentos do BNDES fazendo “negócios estranhos e completamente fora da sua atividade” com empresas sediadas nas ilhas Caimans.

  5. Aquele de asa aberta lembra aquele campeão nacional dos planos de saúde que foi fartamente financiado pelo BNDES para comprar concorrentes, construir hospitais e monopolizar o sistema de saúde privada.
    E no fim do governo lulo dilmoso vendeu sua monopolizadora de assistência médica, hospitalar e laboratorial justamente para uma do império americano, como dizem os comunas safados.
    E o que acontece agora com a nova detentora do monopólio?
    Diante do caos na saúde pública, descredencia hospitais privados para monopolizar 100% da saúde privada brasileira.
    Ouço latidos… devem ser esses cachorros correndo brincando de pega pega com a rataiada que aliada do quadrilhão que vendeu o monopólio dos planos saúde.

  6. Emplacou 2 em 1, hein Ricardo!
    Dois excelentes textos!
    O melhor deles é o primeiro.
    Parece que, no Rio de Janeiro, só uma pessoa morreu assassinada em 2018: a senhora Marielle.
    Dezenas de policiais morrem todos os anos naquele estado e nenhum representante de direitos humanos fala nada!
    Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.