Bolsonaro é o quarto grande alerta do povo aos nossos governantes

Governantes geralmente são cegos e surdos. Não enxergam nem ouvem a realidade. Quando acordam, a casa já caiu

Foto: Divulgação/Jair Bolsonaro

Em 2002, Lula, a esperança das “massas”, foi eleito prometendo entregar o Brasil aos brasileiros. Menos de dois anos depois, veio o Mensalão e descobriu-se que, na verdade, ele havia entregue o Brasil aos políticos corruptos.

Lula chamou o Meirelles e levou seu primeiro mandato até o fim. Porém, reeleito, a  ‘marolinha‘ internacional o fez abandonar a única coisa que ainda prestava em sua gestão: a responsabilidade econômica e o equilíbrio fiscal.

O “pai dos pobres” abriu os cofres e entupiu a população já endividada com mais crédito farto e barato. Ao mesmo tempo, tratou de iniciar o maior assalto aos cofres públicos de um país de que se tem notícia na histórica democrática ocidental.

Ao entregar a faixa para seu poste disléxico, Lula entregou também: contas públicas estouradas; população superendividada;  máquina inchada, corrupta e ineficiente;  relação com o Congresso sustentada por propina; uma rede gigantesca de corrupção com maiores empresários do país.

Com aquela habilidade que lhe é peculiar, a doidivanas histriônica chamou não o Meireles, mas o Guidinho. E o Mercadante. E o Cardoso. E a Erenice… E a segunda leva de incompetentes e ladrões que transformaram o Brasil no embrião do que somos hoje.

Mensalão, Eletrolão, Petrolão, Copa, Olimpíada, recessão, desemprego, fuga de capitais e… os tais 20 centavos!!  Surge o primeiro dos grandes alertas:  violentas manifestações, verdadeiramente populares, sem partidos ou pão com mortadela, em protesto contra tudo e contra todos.

Chegamos às eleições de 2014. Finalmente a chance de um reinicio, um  control+alt+del.  Mas quem disse que largar o osso é fácil, não é verdade? Eis que a tresloucada mandou uma banana para o criador e resolveu continuar sua obra marrom, pastosa e mau cheirosa, vulgo…

Conforme prometeu, “fez o diabo” para vencer a eleição. Mentiras, uso e abuso da máquina e do poder econômico, dinheiro externo, caixa dois, compra de votos, promessas falsas e todo script típico do PT. Ganhou, mas o dinheiro acabara e a realidade seria mais dura que o imaginado.

Sem dinheiro para comprar o Congresso, a maior recessão da nossa história e 15 milhões de desempregados, a saudadora de mandioca levou um chute no traseiro e se foi. Seis, oito, dez milhões de brasileiros empurraram os políticos contra a parede. Foi o segundo grande alerta.

Temer, o vice da turma quadrilheira, assume e…  chama o Meireles!! Conseguem reverter a catástrofe lulopetista, mas o peso das alianças e das más companhias afundam o seu governo. Com a maior impopularidade da história, o terceiro grande alerta: greve dos caminhoneiros.

Eis que chegamos aos dias atuais. Eis que nos encontramos em um país destroçado política, econômica e socialmente, sentado à beira do abismo, onde um criminoso serial, corrupto e lavador de dinheiro, multiprocessado criminalmente, dá as cartas do processo político.

Eis que as alternativas são mais do mesmo. As mesmas de ontem e de antes de ontem. Entidades da floresta, chuchus, coronéis, tiriricas e outras exoticidades tupiniquins. Eis que a única novidade é outro “salvador da pátria”, outro populista. Eis que surge o quarto grande alerta!

O mais fanático bolsonarista, se intelectualmente capaz e honesto, sabe que seu mito não reúne a mais remota condição para ser presidente da República. Ser honesto, rigoroso com a criminalidade e antipetista são qualidades, sim. Mas não são suficientes para administrar o caos atual.

O voto em Jair Bolsonaro — inclusive o meu! — é o voto antiesquerda. O voto em Jair Bolsonaro é o voto dos súditos (iguais aos de Lula) em busca de um ‘Rei’. O voto em Jair Bolsonaro é o voto dos desamparados, agarrados a qualquer nome que lhes dê um pingo de esperança.

Repito: Bolsonaro é o quarto grande alerta. Talvez o último! O Brasil que estuda, trabalha e produz dificilmente aceitará a conta de outro  governo lulopetista.  Ainda que a fatura a ser paga por Jair Bolsonaro seja… ele mesmo.

Leiam mais.

** última frase atualizada com a genial sacada da leitora Soraya. Obrigado, Soraya!!

34 comentários em “Bolsonaro é o quarto grande alerta do povo aos nossos governantes

  1. O voto no Bolsonaro é a única alternativa que se nos apresenta para evitar o fundo do fundo do poço: a venezuelização do Brasil.
    Seria um suicídio em massa dar de novo a direção do País e as chaves do cofres para o Quadrilhão que promoveu o maior assalto à dinheiro público jamais ocorrido em qualquer outro país, o maior rombo nas contas públicas de nossa história e que nos legou um País não só numa profunda recessão econômica, mas moral e política.

    1. Mesmo se Bolsonaro não for bom administrador, meu voto é dele por ser a única esperança realmente ‘antiesquerdista’ que resultará na prisão de criminosos e a míngua do pt.

      Prefiro ficar livre do pt do que não ter inflação pois dinheiro cada honesto consegue com trabalho mas os honestos trabalhadores não podem prender criminosos e nem impedir a ‘venezueração’ do Brasil.
      Escolho o trabalho ao invés da escravidão social e cultural!

    2. Não tem essa de alerta aos governantes.
      Nossos governantes não estão nem aí para o povo e o Brasil.
      Não é alerta e sim uma questão de sobrevivência.
      Ou Jair, ou já era!

    1. “O homi é dos baum e anda”(entre 4 paredes),” invariavelmente, cercado de gente boa.”
      Depende do ponto de vista, cidrac.
      Se está se referindo aos policiais e carcereiros, todo honesto concorda que lula está cercado de gente boa mas seu ponto de vista se refere aos outros presos que estão bem pertinho dele e aos seus visitantes pois, pra petista, quem não presta é gente boa e ficar cercado deles é o ‘céu’!

      1. Olá Sopinha, estão estas a afiançar que os carcereiros e meganhas são honestos, mas, o próprio japonês da federal não tinha bem esse perfil. E outra, você priva do círculo deles para afiançar? (O dia que você ou alguém de seu círculo for acusado e enredado pela polícia, MP e algum juiz tipo o da roupa preta irás rever esse puxa saquismo.
        O linguista e dezenas de outras personalidade internacionais estão todos os dias a cumprimentar e saudar o homi, o qual, ainda que momentaneamente entre as paredes comanda a volta do PT ao governo para a inveja, medo e despeito de pessoas como a Sopinha que temem e tremem qual vara verde!
        Vai se preparando que no dia que o povo for buscar Lulinha Paz e Amor e levá-lo de volta a sua casa poderás não suportar de inveja. Talvez seja o caso de ir utilizando bastante WD nas juntas e compressas nas veias.

        1. Não sou profundo conhecedor do perfil do japonês da federal e nem dos crimes do lula que está preso.
          Você poderia enumerar pra mim os crimes e o perfil dos dois para que eu faça um comparativo?

          Nunca cometi crime e consequentemente nunca fui preso e se um dia que eu precisar de qualquer um para me defender de crimes só acontecerá se eu cometer algum, então não preciso me preocupar com os ‘envolvimentos’ que vc descreveu.

          Também não temo nem tenho inveja da volta do pt sobre minha liberdade pessoal mas temo pela cidadania e liberdade do Brasil.
          Pode estar certo que se o pt voltar ou não, toda pessoa de bem no mundo inteiro que conhece o que tem ocorrido aqui, tem vergonha e restrições sobre como o Brasil está.
          Os governos petistas, os governos anteriores e nem o atual não acharam crimes no meu comportamento por fazer parte das pessoas de bem que também se envergonham de como o Brasil está.
          Os que não se envergonham de como o Brasil está, fazem parte dos que o envergonharam!

          1. Olá Sopão, vivemos num regime da pluralidade. Tendes suas preferências, suas restrições, suas indiferenças, contudo, negar os fatos é inviável. Como não admitir que milhares de anônimos e muitos luminares tipo reitores, doutores, cientistas, estudiosos, artistas, filósofos, laureados vão cumprimentar e solidarizar com Lulinha Paz e Amor?
            Resta a você ir se hadaptando, meu filho!

    2. Ô mané,ninguém aqui é servo do PT, não.Você está muito enganado e ainda vem falar desse alcoólatra,tal de Noam Chonsky, como se fosse uma coisa do outro mundo.Tirante o fato de que um gambá cheira o outro,a única coisa a se notar desse fato é que essa visita serviu para fazer a alegria da turma “dashumanas” dessas federais aparelhadas que infestam o País, o que na prática é de muito pouca ou nenhuma valia.O que se espera é que essa turma que irá perder a boquinha em que estão mamando gulosamente nos dias de hoje tenham,pelo menos, a dignidade de respeitar os resultados das urnas após o PT ser escorraçado do poder.

  2. Voto útil é atestado de burrice, desespero puro e de nada irá adiantar.
    A elite brasileira é mesmo muito burra. tem muito dinheiro mas nenhuma ou pouquíssima inteligência.
    O analfabetismo político leva a essas ações totalmente desesperadas.
    Estão entregando as eleições diretamente no colo do Haddad.

  3. Voto útil é atestado de burrice, desespero puro e de nada irá adiantar.
    A elite brasileira é mesmo muito burra. tem muito dinheiro mas nenhuma ou pouquíssima inteligência.
    O analfabetismo político leva a essas ações totalmente desesperadas.
    Estão entregando as eleições diretamente no colo do Haddad.

      1. Olá JFER, boa lembrança garoto! Vejo apropriada sua crítica, contudo ressalvo o nome do Patriarca, o Grande José Bonifácio de Andrada e Silva, um dos brasileiros mais valorosos. Tenho respeito e admiração por esse vulto e defendo a preservação de sua memória. Lamento apenas que tantos brasileiros não o conhecem!

    1. Cleber, quando eu recebia uma grana do Aécioooooo, eu pagava 25 mil por semana. Daí, depois que ele sifu, a grana minguou e o Estado de Minas, como tá quebrado, passou a me cobrar apenas 5 mil. Só que eu sou filhinho de papai e aí o papis deu uma forcinha e tô conseguindo comprar este espaço. Mas como eu sou amigo do dono do jornal, acho que vou conseguir de graça. Na verdade, acho até que vou conseguir faturar algum.

      Enfim, até hoje eu não descobri se pago ou se recebo, se me pagam ou se é de graça, se o jornal quebrou ou ainda não, se meus dias aqui estão contados ou serão eternos, se estou a serviço do PSDB ou do PMDB, se sou tucano ou bolsominion…

      Só sei que, sendo o máximo ou idiota, você está aqui lendo e comentando, e isso é o que nos importa, né?

      Como é mesmo? Beijo no seu coração!

  4. Nádia Fuhrmann – O BRASIL e a Batalha Invisível

    Impressiona o alto grau de aparelhamento de todas as instituições brasileiras. O PT foi capaz de timbrar com a ideologia comunista, em alto relevo, todos os poderes públicos e privados estruturantes da nossa sociedade, em curto interregno temporal. Financiado por grupos progressistas internacionais e conluios espúrios com a elite política e empresarial nacional, ávidos por abduzir as riquezas do País, os que antes se autoproclamavam anti-imperialistas sucumbiram asquerosamente ao poder autoritário e aos bocadinhos de privilégios oferecidos pelo globalismo predatório.

    A ganância os cegou. Passaram, então, a laborar para os interesses de grupos radicais da nova ordem mundial de forma sorrateira, com o objetivo de subverter o ordenamento social/cultural da sociedade brasileira, defendendo valores insólitos como a ideologia de gênero, escola doutrinadora, Estado sem religião (diferente de Estado laico), racismo, feminismo, uso indiscriminado de drogas, famílias alternativas, fim das polícias, aborto, arte degenerada, migrações em massa, entre outras pautas estranhas ao nosso povo. Os intelectuais de esquerda, “acomunados” com Gramsci e Marcuse, foram os grandes propulsores desse discurso dominante, em especial nesta última década e meia no Brasil.

    Foi dentro das universidades que, usando o método do “adestramento do pensamento único” auxiliaram na administração dos “negócios estatais” com base na engenharia social. Todos os programas de inserção ( e não foram de inclusão) universitária visaram a este fim – formar um contingente máximo possível de militantes para o sistema. E foi assim, por exemplo, que os poderes judiciário, legislativo e executivo foram colonizados pelos Tribunais do Santo Ofício, digo, pelos mais diversos Conselhos e Comissões – compostos por olheiros do sistema que abortam qualquer tentativa de insubordinação aos ditames do Estado autocrático.

    Pense (…) quantos conselhos institucionais você conhece? Pois é, todos, mas todos mesmo, servem para conter qualquer tentativa da nossa parte de contestar a ordem autoritária vigente no Brasil. O discurso do “politicamente correto” e o ataque à honra são métodos usados de forma subliminar e corriqueira para intimidar e perseguir as vozes divergentes. Até 2016, era praticamente impossível se manifestar contra o governo “popular”, inclusive nas redes sociais. Grandes sites de apoio à esquerda foram financiados para monopolizar as ideias comunistas/progressistas no nosso País, e eliminar as demais.

    Do aparelhamento institucional, os exemplos são muitos. O sistema de saúde foi drasticamente atingido pela mudança de paradigma nos cursos acadêmicos da área da saúde. Considerada uma área estratégica, o governo preferiu “importar” mão de obra cubana em detrimento de melhorias na formação dos médicos brasileiros. O Programa “mais médicos”, além de cooptar ideologicamente muitos profissionais de saúde nativos, rendeu uma transferência de mais de R$ 5 bilhões para a Ilha da família Castro.

    Recentemente, o médico Milton Pires, cardiologista gaúcho, veiculou um artigo na web denunciando a perseguição de médicos do serviço de saúde pública por posições políticas contrárias ao governo petista e o assombroso desmonte da rede hospitalar. Diz ele “toda a rede hospitalar brasileira foi destruída pelo Regime Petista. UPA’S são lugares criados para esconder a morte de pacientes que deveriam estar dentro de hospitais”.

    Também as universidades brasileiras, em especial as federais, se transformaram em incubadoras de parasitas partidários, com pouca ou nenhuma preocupação em produzir conhecimento filosófico ou científico, tão somente para engrossar o montante de militantes úteis ao governo, com uma formação pífia e comportamentos discutíveis que levaram muitos desses à desorientação psicológica.

    Não vou citar aqui as inúmeras operações da Polícia Federal dentro das universidades e as investigações sobre fraudes em concursos públicos, e a prática do compadrio nas instituições privadas. Porém, é notória a baixa qualidade da maioria das pesquisas e dos trabalhos acadêmicos e a constrangedora (des) qualificação dos egressos.

    Importante frisar também que grande parte das quase 500 mil ONGs, aliada aos interesses políticos e econômicos de organismos internacionais, ocupa papel central na divulgação do ideário globalista, pressionando a aprovação de leis que beneficiam seus negócios, mas que nada tem a ver com o desenvolvimento da sociedade brasileira.

    A forma como a cultura foi aliciada pelo PT causa perplexidade. Sabe-se que os artistas populares tiveram atribuição fundamental no golpe comunista de 1985. Todos muito bem recompensados “a posteriori” via Lei Rouanet, contratações superfaturadas e indenizações milionárias – tudo pago pelo pobre cidadão contribuinte que amarga desde sempre a falta de acesso a um judiciário neutro, à educação de qualidade, à saúde com dignidade e à segurança pública.

    A última totalmente sucateada, em vias de extinção. No Estado comunista são criadas as forças nacionais. Porém, elas não servem ao povo, são leais somente ao governo.

    A arte, a mídia e a educação foram transformadas pela “intelligentsia esquerdista” em ferramentas altamente destrutivas da ordem moral no nosso País. Como aceitar o fato de um docente do ensino superior publicar um livro cujo título é “como conversar com um fascista” e declarar publicamente que o assalto tem uma função social, e mesmo assim ser lançado como candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PT?

    Como aceitar que o dinheiro público esteja sendo gasto para montar exposições “artísticas” que promovem o vilipêndio religioso e a pedofilia? Como aceitar que uma emissora de televisão, dependente de concessão pública, ajuíze uma ação judicial para minorar a classificação etária de uma novela vespertina que contém cenas de sexo e violência, de 12 para 10 anos de idade?

    Como aceitar o investimento publicitário em músicas populares como “arrasou “viado””; “que tiro foi esse” e “sentada diferente”? Lembremo-nos, a família é um impedimento para o monopólio do poder do Estado; deve ser destruída de acordo com o manual comunista.

    Estamos vivendo em guerra. A destruição não é visível só pelo assombroso número de homicídios anuais, mas pelo ataque e aniquilamento das nossas normas sociais, da moral individual e coletiva, da ética humana e da espiritualidade. Para isso, usam uma das armas mais potentes e indignas de destruição em massa, a cultura da subversão pela violência, pela corrupção e pela libertinagem, embrulhada no dourado invólucro dos “direitos humanos”.

    Em nome de tal “benevolência” autoproclamam-se humanistas e passam a exigir o “progresso” da civilização ocidental liberando o sujeito (na verdade, neste estágio não existe mais o indivíduo, aparece agora a criatura sujeitada) de todas as “opressões” da sociedade burguesa. Lutam, então, pelo total livramento dos impulsos sexuais, cujo objetivo, na verdade, é o de tornar a criatura submissa e improdutiva.

    Os estultos comunistas creem que liberando a sexualidade dos sujeitos, esses passariam a não se preocupar mais com as questões referentes à política e ao Estado, em face do seu estágio de letargia motivacional direcionada apenas aos prazeres carnais, deixando o caminho livre aos desmandos do poder instituído. Esse é o motivo da mesma forma para a defesa da liberação irrestrita de drogas. A estratégia da revolução cultural para a tomada do poder global não é cria de um só demônio – desde o século XIX essa teoria vem sendo desenvolvida pela “intelligentsia” da esquerda internacional, dentre ela, Marx, Lenin, Munzenberg, Lukacs, Mao Tse Tung, Gramsci, Horkheimer e Adorno. Theodor Adorno, sociólogo alemão e membro da primeira geração da Escola de Frankfurt, autor da obra “The Theory of Modern Music”, propunha, por exemplo, usar a música como arma de destruição social.

    Segundo ele, músicas quanto mais degeneradas fossem, mais rapidamente promoveriam a desorientação mental, condição “sine qua non” para governar sem resistência. Sigmund Freud afirma que a integral recompensa dos desejos humanos é incompatível com a organização social humana. Assim, os pulhas comunistas pretendiam, com a desorganização geral da nossa sociedade, se oferecer “democraticamente” como “salvadores” para restabelecer a ordem e a moral, mas sob suas próprias regras.

    Por essa razão, não por outras, a sociedade brasileira passou a ser “bombardeada” pela revolução cultural, mais perseverantemente a partir do final dos anos 1980 e, “coincidentemente”, ao mesmo tempo do desmonte do comunismo no leste europeu.

    Na sequência do término do regime cívico-militar e com a ascensão dos comunistas ao poder, lentamente todas as instituições foram cooptadas a fim de promoverem e defenderem as pautas progressistas mundiais como o feminismo (Malu Mulher, lembra da série?), erotização das crianças e dos jovens (filmes, séries e eventos para jovens ao ar livre onde drogas, bebidas alcoólicas e relações íntimas fortuitas passaram a ser a moda); letras de músicas incitando ao estupro e à violência fazem parte da degradação moral da sociedade; grupos socialmente vulneráveis como gays e negros são aliciados e usados para promover tão somente o apartheid social.

    Racismo é crime, cumpra-se a lei nesses casos, mas isso para eles não basta, o intuito é fazer com que negros odeiem os brancos. A mesma ideia serve de base para promover e manipular o ódio de mulheres contra os homens, gays contra héteros, filhos contra os seus pais, e o mais perverso dos desígnios: a perversão infantil através da já adiantada implantação da ideologia de gênero nas pré-escolas brasileiras. Sem dúvida, esse projeto que nega, entre outros, a diferença entre homens e mulheres, se obtiver êxito fará surgir um outro “ser vivente”, nem homem nem mulher, mas “algo” que poderá a qualquer momento da vida se transmutar entre, pasme, em torno de 60 formas de definição de sexualidade.

    Evidente que o leitor atento percebeu que, ao questionar a criação divina, eles estão exterminando com as religiões criacionistas e a fé cristã. A ordem é corromper a sociedade até que, atormentada, ela aceite adorar somente o deus Estado e por ele ser tutelada.

    Os brasileiros estão guerreando contra hostes invisíveis. O Brasil está em guerra, os estrangeiros olham boquiabertos para a sociedade brasileira, um verdadeiro laboratório de experiências de destruição moral e cultural. As trincheiras e os canhões foram cambiados por uma cortina de fumaça ideológica que, de tão embuçada, desorienta até que o beligerante se entrega voluntariamente sem alguma resistência. A subversão cultural/social da sociedade brasileira significa, para a esquerda nacional, a fase final de implantação da revolução comunista.

    A trama é realmente complexa, infelizmente, muito maior do que esse espaço circunscrito permite desenvolver. No entanto, o curso da história é imprevisível e, tudo indica, os brasileiros estão prestes a mudar um futuro que já lhes parecia selado.

    Bibliografia:

    COSTA, Alexandre. Introdução à Nova Ordem Mundial. São Paulo: Vide Editorial, 2015.
    ENGELS, Friedrich. A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado. São Paulo: Lafonte, 2017.
    MARCUSE, Herbert. Eros e Civilização. Uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. 8ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2015

  5. Sem dúvida: Brasil merece custódia!
    Se a espoliação está acobertada pela lei, não pode ter contra ela os tribunais, os guardas e as prisões…
    BRASIL precisa de Jair Bolsonaro!
    O homem correto age por lei interna, e não por mandamentos externos!

  6. Pois é Ricardo. Parece que erraram a mão no antilulismo. Como se diz passou da conta e o próprio antilulismo ajudou a nutrir o lulismo que renasce das cinzas. Quem falava que isso iria ocorrer era Reinaldo Azevedo, hoje intitulado como um traidor da dita direita. E não é que ele estava certo!! Bolsonaro não é nada, é um zero a esquerda, apenas é um simbolismo da salvação, do antipetismo, de tudo diferente do que esta aí (diferente mesmo?). Simbolismo apenas, pouco importa para seus seguidores saberem de fato o que ele é.
    Perdemos uma chance ímpar de por alguém mais capacitado para de fato fazerem as coisas avançarem.

    1. Tiago, não acho que exista “passou da conta” para antilulismo. Não há limites, dentro da legalidade, para se combater algo tão vil e danoso assim.

      A tese do Reinaldo e outros que pensam mais ou menos da mesma forma é outra. Ao querer igualar os males do lulopetismo à toda classe política, criou-se um só sentimento, o antipolítico. Assim, se nenhum presta, escolhe-se o mais popular.

      Não me culpo e sugiro que também não se culpe pela situação em que estamos, onde ou teremos Haddad ou teremos Bolsonaro. A falta de um líder de centro-direita não é nossa responsabilidade. É má sorte ou incompetência nacional mesmo.

      Abrs

  7. Senhor Ricardo,

    bom dia

    estou completamente fechado com Jair Bolsonaro. Sou uma pessoa estudada e quando leio que as pessoas mais estudadas sabem que ele não tem a capacidade de gerir o país eu gostaria, se me permite, de fazer um parênteses. Primeiro, precisamos desmitificar um pouco isso. O Presidente da República é também o chefe de Estado. É a pessoa que representa o país perante as outras nações. E passamos mais de 12 anos com um alcóolatra, corrupto, semi-analfabeto representando a nação, além de uma senhora que não consegue sequer adequar a regência verbal. Passamos uma imagem de pessoas desqualificadas durante todos esses anos e é sabido que isso é primordial até mesmo para atrair recursos para o país, ao invés de financiar obras públicas de países da América Latina (sic).

    Outro fato que gostaria de elucidar é que o Presidente não governa sozinho. Bolsonaro tem dificuldades em se equilibrar na oratória e isso é uma característica pessoal. Mas no cognitivo não temos condições plenas de avaliá-lo, mas há de salientar que ele está formando uma possível equipe que considero adequada para sustentar seu governo de forma satisfatória.

    Pra encerrar, agradeço a oportunidade de escrever, não fui de encontro às suas falas, apenas procurei trazer algo que possa contribuir para o debate e para os esquerdistas que destilam ódio (como tanto gostam de verbalizar por aí), dispenso qualquer resposta ao meu comentário.

    Muita luz em sua vida.

  8. Ricardo,
    A meu ver, a greve dos caminhoneiros foi só um (importante) detalhe no governo Temer, a luta de uma classe de trabalhadores contra os abusos nos preços dos combustíveis, produto este outrora associado pelo Lula a um país auto suficiente em petróleo. Faltou dizer no seu texto o que pra mim foi mais absurdo no atual governo, o pagamento de emendas parlamentares em detrimento de programas sociais, educação e etc., sem a devida reação da sociedade e dos meios de comunicação. Fora isso, Bolsonaro poderá não resolver nada. Salvem-se quem puder.

  9. É melhor ir se HADDAPTANDO!
    HADDAD graduado em direito pela USP, mestre em economia pela USP e doutor em filosofia pela USP!
    SERÁ O MELHOR PRESIDENTE QUE O BRASIL TERÁ, AINDA MELHOR DO QUE O LULA, PQ VCS TEM QUE ADMITIR QUE ELE FOI UM BOM PRESIDENTE, AINDA DÁ TEMPO PARA MUDAR!
    VOTAR EM BOLSONARO?! PENSE BEM?! GERALDO, HENRIQUE, AMOEDOS E ETC JÁ ESTÃO FORA DA DISPUTA!
    VAMOS DE HADDAD VCS TMB!

    XARÁ LEIO ALGUMAS COISAS QUE VC ESCREVE, POUCAS, PQ VC DIZ MUITA MERDA, ALÉM DISSO MUDA MUITO DE OPINIÃO, A CADA HORA ESTÁ DE UM LADO, NÃO GOSTO DE PESSOAS ASSIM! NÃO SÃO CONFIÁVEIS!

  10. VENCERÁS!
    Medito sempre um mantra contra derrota…
    E A Força do Sol-Crístico , eu invoco o restabelecimento e a revitalização da saúde do PRESIDENTE JAIR MESSIAS BOLSONARO. 17.
    VENCERÁS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.