Tolerância Zero com a Violência

O Brasil perdeu a guerra contra a violência urbana e a vergonha na cara para reagir a tanta crueldade

Foto: Google Images

De acordo com dados publicados este ano pela Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o 9º país mais violento do mundo. Os dados alcançados pela agência da ONU demonstram que o número de pessoas assassinadas é de 31,1 para cada 100 mil habitantes em nosso país, quando a média mundial é de 6,4 homicídios para 100 mil habitantes. O estudo baseou-se na taxa de homicídios, sem levar em consideração outros crimes como roubo, estupro, tráfico, lesão corporal, sequestros etc…

Apesar dos números estratosféricos da violência, nos acostumamos com este triste cotidiano, sequer indignando-nos com as notícias das páginas criminais dos jornais, internet e redes sociais.

Apenas para chamar a atenção dos leitores, criou-se um aplicativo denominado OTT (Onde Tem Tiroteio) na cidade do Rio de Janeiro, para que a população possa se desviar das localidades (ruas, avenidas e bairros) onde estão ocorrendo trocas de tiros entre bandidos ou bandidos e a polícia — isso em tempo real.

O aplicativo detectou no mês de julho pretérito um aumento de 17% no número de tiroteios no Estado do RJ em relação ao mês de junho deste ano, com um tiroteio a cada hora e meia, o que demonstra, cabalmente, que estamos vivenciando uma verdadeira Guerra Civil. Foram 645 tiroteios naquele mês.

Por incrível, pasmem, o Estado do Rio de Janeiro, apesar de sua maior visibilidade no sul e sudeste, não está, sequer, entre os dez mais violentos do Brasil, segundo os dados do Atlas da Violência na edição de 2018 publicado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), que enumera, entre estes, os Estados da Bahia, Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte.

A violência é disseminada em todo o país com maior ou menor índice, todos alarmantes, revelando-se no número de homicídios cinco vezes acima da média mundial.

Não restam dúvidas que o investimento em educação, saúde e moradia minimizaria a violência, mas apenas este investimento (que demanda tempo para apresentar resultados) sem política de combate à impunidade e a leniência de nossa legislação com criminosos, poder-se-ia tornar-se inócua diante da selvageria crescente.

Tomemos como exemplo a política de Tolerância Zero adotada pelo Prefeito Rudolph Giuliani de NY, nos idos de 1994, para conter o que denominou de “epidemia de crimes” em sua cidade.

O sistema consistia na inflexibilidade com quaisquer condutas delitivas, aumentando o policiamento ostensivo, promovendo respeito a legalidade e a ordem jurídica, resultando na redução dos crimes, o que, de fato, veio a ocorrer. Os crimes em geral despencaram e os homicídios reduziram em mais de 60% (sessenta por cento). O efeito colateral? O aumento significativo da população carcerária como contrapartida de uma cidade mais segura. E não se diga que os EUA não tinham uma política de Educação naquela época, o que demonstra que apenas a educação não diminui, por si só, a violência.

No Brasil, enquanto a violência for fato corriqueiro, tratarmos delinquentes como vítimas da sociedade e não houver um enfrentamento real da “guerra civil”, com respaldo jurídico aos policiais, continuaremos a ostentar o lugar dos países mais violentos do mundo. Fica a pergunta: é melhor presídios lotados ou a bandidagem solta?

Dr. Bady Curi Neto

 

Por: Bady Curi Neto. Advogado e ex-Juiz Eleitoral TRE-MG. Sócio fundador do escritório de advocacia empresarial que leva o seu nome

Leia mais.

37 comentários em “Tolerância Zero com a Violência

  1. Muito bem colocado, com verdades e sugestão de solução alcançável!
    É melhor presídios lotados ou a bandidagem solta !!!
    Dr. Bady, tem todo meu respeito e admiração!

    1. Muito bem colocado, com verdades e sugestão de solução alcançável!
      É melhor presídios lotados e a bandidagem solta !!!
      Dr. Bady, tem todo meu respeito e admiração!

    2. E os defensores do desarmamento não diziam que a violência iria diminuir depois desse famigerado estatuto?
      Na prática, acabaram com o direito à legítima defesa nesse país.

  2. Dr. Bady, é melhor presídios lotados! Ainda digo mais: com bloqueadores de celulares, contato com advogados por vidros e com a conversa gravada, sem visitas, sequer contato entre os presos e visitantes e, principalmente, entre eles. Preso não serve de exemplo para outro preso!
    Cadeia tem que ser um lugar que ninguém queira ir!
    Além da pena, sem direito a progressões, o marginal ainda deveria ressarcir a(s) vítima(s), trabalhando para isto dentro da cela.
    O Brasil é uma excrescência até nisto: se lixa pro cidadão de bem e vive querendo amansar aqueles que gritam: esquerdopatas, feministas chauvinistas, parentes de bandidos etc. Tudo pelo politicamente correto!
    Não quer passar por isto, não cometa crimes!

    1. Olá Gian, talvez você esteja brincando, mas avalie um momento apenas. A prisão e as brasileiras em especial são algo alucinantes. Avalie o quão ruim é estar permanentemente em presença de uma pessoa com a qual não se identificas; pense, então, o que é estar submetido à presença de várias pessoas por dias, semanas, meses, anos. Os odores, os ruídos, a trepidação, a fumaça, a poeira – não vou falar do calor, do frio, dos insetos… nem da perda da liberdade em si. É tão ruim que eu não gostaria de ficar preso um dia sequer no meu próprio barraco..
      Então, é muito fácil concluir que povo avançado é o povo que não manda gente para a cadeia – isso tem de ser a e-x-c-e-ç-ã-o -. por tudo de nefasto que isso é. E, pior, custa muito caro a nós trabalhadores manter gente presa. Grato.

      1. Cidrac tem ‘parcial’ razão! (Aleluia, viva)
        É realmente ruim é estar permanentemente em presença de uma pessoa com a qual não se identifica, pense, então, o que é estar submetido à presença de várias pessoas por dias, semanas, meses, anos.
        Por isso acho que criminosos devem ser presos e me afasto de petistas que os protegem!

        1. Olá Sopão, saquei. É como diria Sartre, o diabo são os outros. É por isso que todas essas atrocidades são além de toleradas, propagandeadas. O pensamento médio reinante é de que vá para os imundos presídios todos que não prestam e acredita-se que os que não prestam não somos nós. Equívoco, para dizer o mínimo.

          1. Bom,
            em seu julgamento ‘acredita-se que os que não prestam não somos nós’.
            OK, é seu julgamento mas no meu é assim:
            Trabalhei; aposentei; aprendi computação(manutenção e programação) sozinho, inglês(sozinho), eletrônica, mecânica, segurança eletrônica e hidraulica em fábrica de automóveis, caldeiras eletrônicas(com o inventor Holandes), curso de caldeiras na fupai-mg…e mais um monte de coisas; não roubei nada nem ninguém; pago impostos(iptu, ipvas, os inclusos em luz, água, etc); declaro IR sem tretas; pago dívidas bem antes das datas de vencimento e obtenho até descontos;…isso é um rápido resumo por não ter me aposentado por cortar o ‘dedinho’ da mão.

            Minha conclusão:
            Eu ‘presto’ aos meus próprios olhos e sem equívocos pois nem me encaixo nos ‘padrões’ de comportamento corriqueiros de muitos brasileiros que:
            Pregam comunismo, defendem ladrões, querem bolsa família, querem cotas em universidades, apoiam governos como o da veneZuera, dizem que a polícia reprime, dizem que houve ditadura e não regime militar, dizem que ouve golpe, querem libertar a qualquer custo condenados e presos, votaram e querem votar no lula, votaram e querem votar na dilma, são contra a população armada legalmente para que tenham auto defesa, são a favor de que criança toque em homem nu publicamente e chamam de ‘arte’, são a favor de que crianças escolham o sexo ou o esquisito intermediário sexual quando elas ainda nem sabem a marca do chocolate que gostam, são a favor do queer museu, são a favor de aborto, e mais uma ‘porrada’ de merdas que mal consigo enumerar e descrever mas, no final, me rotulam de que sou eu que não presto!

            Pode, cidrac?

            1. Tolerância zero é ‘tipo’ assim com criminosos:
              Eu não declarei um apartamento 111 reais, não declarei um apartamento de 24 mil reais, não declarei um carro de 8 mil e 800 reais e nem uma previdência privada de 820 reais como uma presidente de ParTido declarou e nem exijo como ela e os do ParTido dela que um condenado prisioneiro seja candidato à presidência e presidente pra levar novamente o país a um caos social, cultural e econômico.

              Agora, pensando melhor, sou intolerante ou lúcido e honesto em minhas declarações?
              o que vc acha?

            2. Olá Sopinha, resta a nós, pobre mortais, encher seu pijama de comendas e divisas e mais uma vistosa coroa de louros, pois, em que pese a desesperada carência por reconhecimento, és uma pessoa iluminada e exemplar para qual não bastam loas e aclamações.

      2. Ô manezão.Você não acha que quem tem que fazer essas avaliações todas que você enumerou acima não seriam essas pessoas que cometem crimes a três por quatro,debocham da justiça,tem prazer em eliminar pais de família que lutam honestamente pelo sustento dos seus ? Eu acho que as pessoas de bem,aquelas que não vocação nenhuma para o crime, não tem avaliar nada não.É só você lembrar que Penitenciaria,e afins, foram concebidas para quem precisa pagar Penitência mesmo e não virar meio de vida para bandidos.E por final uma advertência :se você tiver afim de cometer algum crime fique esperto porque é prá lá que você vai,falô…depois não adianta chorar.

      3. Prezado Cidrac,
        Avalie o que é esta horas com uma pessoa a qual não se identificas, com uma arma apontada na sua cabeça enquanto um comparsa rouba tudo de sua casa; Imagina uma mulher ser obrigada a deitar e ter relacionamentos sexuais com “pessoas as quais não se identifica” com uma arma em sua cabeça. Os odores, os ruídos, de um corpo penetrando o dela sem a sua autorização. Vc tem razão quando coloca que presos tem que ser exceção, e a exceção consiste nas pessoas que atentam contra a vida e a dignidade de pessoas de bem. Quanto o custo, tem toda a razão, tinha que obrigar estes malfeitores a trabalhar nos presídios para diminuir o custo deles, parar com o pagamento de bolsa presidiário, etc…

        1. Olá Neto, sua daqueles que entendem que não ha permissão de se dizer qualquer coisa sobre qualquer coisa. Em razão disso peço o seu obséquio de explicar o que seja bolsa presidiário.
          Não se deve compactuar com a violência praticada pelos chamados delinquentes, todavia a violência praticada pelo Estado é pior. Seja pelo seu grau, por sua amplitude e por sua inevitabilidade. Então qualquer discussão bem propositada tem de começar pela necessária diferenciação entre uma e outra. Uma sociedade que se pretende democrática tem de superar a vingança!

  3. Discordo apenas de um parágrafo do texto:
    “Apesar dos números estratosféricos da violência, nos acostumamos com este triste cotidiano, sequer indignando-nos com as notícias das páginas criminais dos jornais, internet e redes sociais.”

    Isto não é verdade. Todos nós, pessoas de bem, sem nenhum envolvimento com a política suja deste país, indignamo-nos profundamente com cada notícia deste teor. E ficamos ainda mais indignados quando vemos que nenhuma autoridade se interessa em combater esta guerra civil, na raiz. O que temos visto até hoje, são medidas paliativas, eleitoreiras, mas, sem nenhum resultado que faça diminuir esta carnificina.
    Não sou nenhum especialista no assunto, muito pelo contrário, sou apenas um cidadão, honesto, trabalhador e pagador de imposto e que não recebo nenhuma contrapartida do Estado. Segurança pública: não temos. Educação: sempre paguei particular. Saúde: da mesma forma, particular.
    Desde a criação do ECA, já estava previsto este aumento da violência e da criminalidade, associado às políticas protecionista aos bandidos, pela ONU, pela Comissão de Direitos Humanos e pela fragilidade do nosso judiciário e sistema carcerário.
    Vejo uma enorme preocupação vinda dos nossos governantes, é com o envelhecimento da população o que torna o país em uma nação de idosos aposentados, que não trabalham, que não contribuem, que não enchem os cofres do governo. Mas apesar desta preocupação, não fazem nada para proteger, desta barbaridade, nossas crianças e nossos jovens.

    ” E agora, quem poderá nos defender?”

  4. Aproveito a oportunidade e reitero a solicitação já feita anteriormente.
    Exmo Sr. Bady Cury Neto.
    Aproveito o espaço e solicito uma manifestação sobre o que este blog publicou sobre o TSE:

    Vejam o que nos informa o Estadão em sua edição de hoje:

    “O TSE lançou edital para a compra de material de “reabilitação fisioterápica” para seus servidores. Na lista de itens está incluído um turbilhão “–uma espécie de tanque com água se movendo como um redemoinho para utilização em braços e pernas (R$ 11,4 mil)”, esteira ergométrica de R$ 11 mil, máquina de gelo de R$ 9,8 mil, bicicleta ergométrica, R$ 5,6 mil, ultrassom terapêutico R$ 1,47 mil e caixa de som portátil com conexão bluetooth, R$ 536,58.”

    Eu pago o melhor plano de saúde que posso e não tenho acesso a isso. Aliás, apenas 30% da população possui plano de saúde, sendo que 90% são de planos básicos. Ou seja, obviamente não têm também. Acho que não preciso falar sobre os demais 70% de brasileiros assistidos pelo SUS, né? Não têm nem atendimento de emergência, coitados, quiçá fisioterapia assim.

    Quem banca a fisio da turma do TSE? Os funcionários, com seus próprios salários, ou o tal “dinheiro público”? A mesma pergunta vale para o reembolso integral de despesas médicas para os valentes congressistas e famílias. Por que nossos heróis caminhoneiros não protestam contra isso? Por que você que é “somos todos caminhoneiros” não protesta contra isso? Por que, com exceção de João Amoêdo e Flávio Rocha, nenhum outro candidato à Presidência se indigna com isso?

    Quer mudar? Vote certo. Vote em candidatos liberais para o Congresso Nacional. Só lá as leis podem ser alteradas para acabar com este tipo de afronta ao seu (ao meu) trabalho, suor e dinheiro. Fechar estrada, xingar na internet ou pedir golpe militar não adiantará nada. Ao contrário! Só servirá para manter o poder nas mãos de quem já está lá ou quer chegar para mamar junto.

    A escolha é sua. Sempre foi. Que tal começar a fazer bom uso dela?

    1. Evandro, acho um absurdo. Estes abusos so servem para desmoralizar aqueles que o cometem, é um acinte ao povo obreiro deste país, que para uma realização de um exame tem que aguardar meses na fila. Basta ver que não vemos estas aberrações na iniciativa privada, por um motivo muito simples, as pessoas sabem o valor do dinheiro. Sua indignação é a mesma minha.

  5. Ah esses direitistas. Voces gostam de uma carnificina ne? mas Inocuo é sair matando gente a torto e a direito sendo que os que morrerem vao ser substituidos por outros ainda mais violentos para jogar o joguinho do Professor Cury. O que resolve é EDUCACAO e SAUDE para as comunidades para que o cidadao tenha alguma perspectiva na vida senao o crime.

  6. Boa tarde a todos!
    Boa reflexão, os dados são confiáveis e refletem o caos social que assola o país nos dias atuais.
    Em relação a solução falta um detalhamento maior. Todo projeto tem um custo, ou seja, qual o preço e de onde viriam os recursos para investimento nessa solução. Em um contexto de recursos limitados e escassos como é a situação econômica do nosso país, o administrador publico estaria sacrificando qual outra área de responsabilidade do Estado para investimento em segurança publica.
    Em relação as cadeias cheias, temos um segundo problema.O Estado precisa avançar no sistema carcerário, onde criminosos saem piores quando passam por esses locais.O que demandaria mais investimento.

  7. O presidiário lidera as pesquisas de intenção de votos para a presidência. Dilma será eleita senadora em Minas. Aécio ocupará uma cadeira na Câmara dos deputados. Pimentel espera ser reeleito. Pesquisas indicam que 75% dos parlamentares devem se reeleger. Em todos os cantos do Brasil os “Coronéis” continuam a dar as cartas da política. Dizem que o povo que renovação. Quanta ignorância! Aparecem salvadores da pátria em todas as eleições. Bolsonaro é a bola da vez. Parlamentar inexpressivo e com atuação mais inútil do que sapato de minhoca. Vou fazer 50 anos e sempre foi assim. Tudo vai continuar como está com a legitimação do povo via urnas. Numa boa, eu me cansei! O povo tem o que merece. Clamam por renovação elegendo sempre as mesmas figuras. Me cansei de ter pena desse povo. Tem mais é que se ferrarem!

    1. Olá Rogério, um cabra que consegue brincar com sapato de minhoca não pode ir jogando a toalha assim. O humor é uma das formas de manifestar inteligência. Tá certo que o caminho as vezes estreita, mas a vereda é longa e os horizontes amplos. Como diria Tancredo de Almeida Neves, não nos dispersemos! Grato.

    2. Sem sarcasmo faça como meu filho que foi pra Suíça ontem, saia do país se for possível pois farei o mesmo assim que puder.

      Mesmo concordando com o texto que é até marcante e concordando que ‘é melhor presídios lotados que a bandidagem solta’, aqui nem fórmulas mágicas funcionam mais, o Brasil faliu culturalmente, moralmente, etc!

      Aqui ‘não dá mais’ para pessoas de bem.
      Fui..ou melhor, irei!

      1. Olá Sopinha, a Suíça lava mais branco. Lá, muito da riqueza ilícita, obtida através do saque, do roubo, da extorsão, do extrativismo bruto, da tortura e de todas as formas da ganância desmedida e mediante outras atrocidades mundo afora, é, assim, por dizer, depurada. A grama muito verde e bem aparada, as fachadas sóbrias das edificações, são, como os sepulcros caiados da parábola do Nazareno, antro e esconderijo de criminosos, butins e tesouros sanguinolentos. Não sejais ingênuo. E mais, se o sujeito já vai se pirulitar de Pindorama pra quê ficar debatendo as coisas de nós, os botocudos e puris? Não seria o caso de chupar cana ou assobiar?

        1. É mesmo cidrac, na Suíça é mais ou menos assim mesmo,
          meu filho já morou lá(e em outros da Europa) há uns 20 anos, era bem jovem e está voltando pra morar definitivamente(talvez), a cultura é outra e ele arrendou a empresa daqui e ‘sartou fora’ pra cuidar da de lá!

          Pra que vc tenha mais conhecimento de como é aquele país, muitos suíços não têm casa própria e tem muito dinheiro dos petistas lá mas os ‘suíços’ não vieram buscar o dinheiro aqui, foram os petistas que mandaram pra lá!

  8. Temos que enfrentar a violência de frente.
    Mudanças de comportamento social são necessárias.
    Deixar de ser vitima e assumir uma postura inteligente de enfrentamento ao mal da violência .

    Melhor presídios cheios que bandidagem solta por ai.

  9. Você tá querendo comparar Rio com Nova York? Brasil com EUA? o primeiro, um país pobre, desigual, sem justiça, onde os juizes e promotores interpretam as leis como bem entendem e conforme seus interesses pessoais (e de amigos) e NADA acontece? com os EUA? a maior potência do mundo? um povo educado, que tem até o ensino médio garantido pelo estado (e pode não ser muito bom em comparação com a Europa, mas é mil vezes melhor que a méda das escolas PARTICULARES brasileiras, e faltariam zeros para comparar com o ensino público). Um povo que se orgulha do que é. Um povo que ainda acredita na justiça, Eles tem problemas, mas não é como aqui. A tolerância zero é uma boa ideia, e devia começar com os ricos e pela classe média, que cometem crimes diariamente e saem o impunes. Ou você nunca viu seu vizinho cometendo um crime? talvez você não conheça as leis então… a começar pelo transito. Essa violência é uma guerra civil que não se realiza. E isso não se resolve com tolerância zero, mas com justiça ao povo. Vocês juizes, ainda mais de tribunal eleitoral, são os que menos nos dão a sensação de justiça. SINCERAMENTE! Por mim a segurança começa com uma revolução na qual cortamos as cabeças dos juizes e as colocamos em postes. Ai começa a justiça. Isso sim seria tolerância zero ao crime

  10. “juízes e promotores interpretam as leis como bem entendem e conforme seus interesses pessoais (e de amigos) e NADA acontece”
    Verdade, acompanhei uma das causas do meu cunhado advogado e o juiz deu um ‘mentiro-dito’ escandaloso que é totalmente contra vários artigos do código civil, foi vergonhoso e surpreendente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.