Benditas sejam as privatizações

Embraer tem R$ 467 milhões de prejuízo no segundo trimestre de 2018. Sabe o que isso lhe importa? Nada

Foto: Veja/Embraer

O Brasil dos sábios socialistas / estatistas conta hoje com mais de 150 empresas estatais. De camisinha a trem-bala passando por TV e asfalto, não há nada que o governo não tente meter a mão e o bedelho.

Cabides de emprego e fonte inesgotável de corrupção e desperdício, as estatais sugam o dinheiro da parcela da sociedade que trabalha e produz e o transfere para os bolsos das castas amigas do poder e seus poderosos.

Há 20 anos, FHC quebrou o muro do atraso nas comunicações e privatizou a telefonia. Hoje, após bilhões e bilhões em impostos e investimentos, a iniciativa privada — mesmo com problemas — nos permite ao menos possuir um telefone.

Igualmente privatizada há 20 anos, a Vale tornou-se um colosso mundial. É uma das empresas mais importantes do país, das maiores empregadoras e multiplicadoras de valor agregado além de uma das principais pagadora de impostos.

Além de nunca mais ter tido de se preocupar com a gestão destas empresas, o país as tem como “âncoras macroeconômicas”. São importantíssimas para a balança comercial, equilíbrio fiscal e crescimento do PIB.

Compare-as com a situação da Caixa e chore. Compare-as com a situação da Petrobras e tenha uma crise histérica. Compare-as com a Eletrobras e tenha um AVC atômico seguido de infarto tissunâmico.

Pois bem. Em 1994 a Embraer foi privatizada. “Um absurdo!”, babaram os petistas. “Trocaram nosso patrimônio por moedas podres”, zurraram os sindicalistas. Como sempre, eles estavam brigando por seus próprios interesses.

A empresa tornou-se referência no mundo e um dos principais players do mercado mundial de aviação. Está em processo de “aquisição” pela gigante americana Boeing, e é um orgulho para a indústria nacional.

Por conta da forte retração do mercado global de aviação militar e a estrondosa desvalorização do Real ante o Dólar, a empresa amargou quase 500 milhões de reais de prejuízo no 2º trimestre deste ano. 500 milhas, meu velho!

Sabe o que aconteceu? Nada. Você não teve de botar a mão no bolso, para socorrer a empresa, o governo não desviou dinheiro da saúde para cobrir o rombo, e o “Presidente da República” não nomeou um amigo para a direção.

Gostou? Eu também. Chama-se iniciativa privada. Chama-se privatização. Chama-se tudo aquilo que Ciro Gomes, Lula, Boulos, Manuela e companhia mais detestam. É o pesadelo dos políticos e sindicalistas “deste paíff”..

Em outubro próximo pense bem em quem vai votar. Escolha entre deputados federais e senadores vermelhinhos e fique vermelhinho também. De raiva! Ou escolha um presidente estatizante (alô, Bolsonaro!) e pague a conta.

Não quer pagar? Quer se livrar destas estatais e seus chupins? Fácil, colega! Candidatos liberais há os montes para escolher. Em todas as cidades e estados, aliás. Basta fazer o dever de casa e pesquisar.

Por fim, uma dica: Geraldo Alckmin não é, definitivamente, um deles, não, viu!!

Leia mais.

37 thoughts to “Benditas sejam as privatizações”

  1. Iniciativa privada.
    Chama-se privatização.
    funciona!

    Por outro lado o pt “terminativa na privada” e chamar-se-á de “privadatização”.
    É isso!

    Entendi tudo.

  2. Só para registro: Bolsonaro comentou que vai privatizar estatais. Chegou a condenar Geisel por isso, apesar de ressalvar que era outra época.

  3. 500 bilhões? Acho que são 500 milhões … Esta informação está no início do seu artigo… De todo jeito é muito dinheiro, mas 500 BI é demais.

  4. 500 bilhões de prejuízo, este valor está correto? Meu Deus, é quase a dívida do Brasil! kkkk Corrijam os valores se quiser ter credibilidade na reportagem

    1. Se você ler com atenção e honestidade verá “milhões” no subtítulo, donde se conclui que no texto saiu errado.

      Ah, não é reportagem!

  5. Ricardinho, inundado e vendido.Talvez vc trabalhe pra CIA. Para de falar bobagem……Pq vc não tira umas férias eternas? Seria melhor….

  6. Prezado Ricardo, boa noite. Acho que você foi no ponto nevrálgico da questão. De nada adianta um projeto liberal e desestatizante do executivo se tivermos um congresso nacional formado essencialmente por deputados e senadores fisiologistas, como temos. Prova maior disso foi a recente derrubada do projeto de moralização das nomeações para os cargos executivos e conselhos das estatais. Infelizmente, não sou otimista nesse ponto. Acho que a próxima legislatura será, nesse aspecto, mais “centrão” do que jamais foi. Abraços.

    1. Estou com Amôedo tb!!

      Por um estado mínimo e corte de benefícios e privilégios da classe política. É preciso por um fim na mamata!!

  7. Final desnecessário tornou o artigo idiota. Afirmar que só liberal privatiza, e dar como Exemplo a Embraer, Vale e outras, tornaram Itamar e FHC liberais. Por outro lado, ao pedir para votar em liberal puro ( quem são eles hoje?) dá chance de esquerdistas ou direitistas puros ( logo estatizantes!) ganharem em outubro. Lamentável.

    MAM

  8. A Petrobrás é o maior exemplo disso… quando a estatal teve prejuízo, por conta da gestão corrupta dos partidos políticos, o preço da gasolina subiu assustadoramente, chegando a quase 5 reais… O povo que está pagando o prejuízo!!
    Mas quando a Petrobrás da lucro o preço da gasolina abaixa???? NÃO, pq o lucro é desviado pelas gestões corruptas e é usado para beneficiar os partidos políticos…
    Portanto tem que privatizar mesmo!!!
    Muito bom texto Ricardo!!

  9. Pra quê tantas privatizaçoes, onde não resolverá o rombo das contas públicas. Aliás privatizar as estatais as preço de banana nada resolve, e ainda mais desempregado tido esse povo das empresas só aumentará o número de desempregados no país !

  10. Antes de ser privadas ou estatais, as empresas são bem administradas ou não, ou seja dão lucro ou prejuízo. Aqui, sucateiam empresas lucrativas e depois vendem a preço de banana. Logo depois magicamente a empresa começa a dar lucro e as remessas vão todas para os acionistas no exterior.
    Por isso sempre seremos um país de terceira categoria.

  11. Ricardo, acabei de ver a entrevista do Bolsonaro na GloboNews, e a manchete do Uai dizendo que “privatizará a Petrobrás”. O texto corrige a manchete (ele falou que privatizará se ela não conseguir que o preço do combustível baixe).
    Ele era meu candidato para que o PT e os puxadinhos não voltassem – agora é meu candidato, mesmo que seja para perder! E não sou bolsominion, hehehe. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.