Formigas carregando elefantes

Um a um, os mitos sobre o Brasil vão se desfazendo, e o que sobra não é nada bom, além de extremamente caro

Ilustração: Google Images

Sabem aquela lenda que diz que o brasileiro é cordial e pacífico? Pois é. Há décadas os números desmentem isso. Matamos uns aos outros como moscas. Nos espancamos nas ruas, nos estádios, semáforos e bares. O Brasil é um MMA a céu aberto.

Sabem aquela outra lenda, que reza que o brasileiro é trabalhador? Foi por água abaixo também. Números oficiais divulgados pelo IBGE dão conta que 65 milhões de cidadãos em idade de trabalho não trabalham.

O pior, meus caros, é que esta turma é aquela que sequer procura emprego. Não faz parte dos 13 milhões abatidos pela crise econômica e que estão sem trabalho. São desocupados mesmo. Por profissão ou fé, vá saber.

A população economicamente ativa do Brasil conta com pouco mais de 160 milhões de habitantes. Logo, 40% concederam-se “férias eternas”. Dos quase 100 milhões que sobraram, praticamente 15% estão desempregados. Mas não acabou…

Estima-se que cerca de 25 milhões de trabalhadores sejam informais ou laborem no chamado subemprego. Noves fora mais nada, apenas 60 milhões de compatriotas trabalham dignamente “neste país”.

Como somos quase 210 milhões de habitantes, concluímos que a parcela produtiva da sociedade tem de dar conta do resto. Para cada trabalhador, 2.5 não trabalham.  Mas… calma. Vai piorar!  E muito, acredite. Veja:

Dentre os trabalhadores do país, aproximadamente 3.5 milhões são funcionários públicos. Em relação à população total, até que é pouco. O problema é que são ineficientes e — aí vem a grande encrenca!! — ganham muito.

A média salarial do funcionalismo público é 70% maior que a do setor privado. No judiciário há números ainda mais espantosos. Em certas funções a relação é de dez para um. Sim! Dez vezes mais pelo mesmo trabalho.

Acrescente agora à este caldeirão imenso: corrupção, desperdício, superfaturamento, gigantismo, etc. O déficit fiscal do País é de 160 bilhões de reais ao ano. Sabem o que tudo isto significa para os tais 60 milhões que trabalham?

Bem, se você faz parte deles, certamente sim. Sabe bem o que significa. Eu sei! É trabalhar quase 5 meses por ano só para pagar a farra desta turma toda. E pelo visto, meus caros… a conta ainda vai aumentar.

Leia mais.

15 comentários em “Formigas carregando elefantes

  1. Repórter o seu comentário não difere em nada do Bolsonaro . se conhece o árvore pelo fruto, sua opinião é mais nefasta do que as intensoes do Bolsonaro . Bom Jair se acostumando

    1. Tibau, tibau, pega no meu….!!!

      Brincadeira, viu? Tô só tentando acalmar este seu coraçãozinho raivoso.

      Mas olha só: pelo que entendi, o amigo aí considera o “mito” nefasto? Pô, nem eu acho isso!!!

  2. Ainda bem que não estás na Noruega:
    ” A cada 100 trabalhadores brasileiros, 12 são servidores públicos. A média é a mesma verificada nos demais países da América Latina, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Já nos países mais desenvolvidos, o percentual costuma ser quase o dobro — nesses locais, a média é de 21 funcionários a cada 100 empregados. Em nações como Dinamarca e Noruega, mais de um terço da população economicamente ativa está empregada no serviço público.”

    1. A diferença é que lá o funcionário público trabalha ( literalmente ) para a população. Cria condições para que esta trabalhe, e consigo sustentar esta máquina. Outro detalhe é que esta estrutura não tem tantos benefícios como o funcionalismo brasileiro, principalmente o legislativo e judiciário.
      Enquanto sobram funcionários em certas áreas, como no Legislativo, faltam em serviços básicos, como saúde e educação.
      ABraço

      1. Ou seja, ficar falando que temos muitos funcionários públicos é falácia. As questões que têm de ser discutidas são os penduricalhos, os benefícios, a estrutura, a mentalidade, etc. .
        E fica um bando de gente falando, sem um mínimo de pesquisas, que temos funcionários públicos demais. Pensar dá trabalho.

  3. E tem muitos outros mitos também, como a hospitalidade, como a beleza da mulher brasileira, a inteligencia e criatividade do brasileiro e por ai vai. Antes que alguém me xingue, é bom saber que temos a fama de ter as mulheres mais “bonitas”, tendo como base apenas a praia de Copacabana ou avenida Paulista ou ainda pelas mulatas do nosso carnaval, mas aí é com outros tipos de olhos e intenções, não sendo para termos orgulho disto. Esta nossa famosa hospitalidade, tem muito haver com colonialismo e respeito exagerado pelo estrangeiro como se fosse um bobice. Com relação a nossa natureza, ela pode pode ser bela, mas tem muitos lugares do mundo que também existe beleza e até mais ou muito mais. Temos muito ufanismo, esta é a verdade. A Globo até que tenta inflar ainda mais este ufanismo, principalmente no esporte. Achamos que somos especiais, os melhores do mundo, os mais belos, os mais espertos, mas quando vem qualquer comparação com europeus ou americanos, por exemplo, a realidade nos dá um soco na cara. Nos falta muitas vezes a humildade. Valorizar o que temos, não significa exagerar, excluir ou diminuir o valor dos outros ou o que os outros possuem. Acho que é por ai.

  4. Já ouviu o velho ditado ‘ QUEM DÁ O QUE TEM A PEDIR VEM”? Então, o mundo inteiro conhece (e os países mais bem-sucedidos colocam em prática), só o Brasil ignora, como ignora tantas outras verdades…

  5. Não espero nada diferente dos 3 poderes
    São iguais , monte de bandidos
    Ao contrário de muitos comentários , eu não faço críticas a um político específico , acho q são todos ladrões e bandidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.