Brasil, de novo, com a força do Povo

Boa “caminhoneiros”. Isso aí! Mostra pra eles do que somos capazes. O Brasil é nosso, porra!

Fila nos postos: carro? Não. Gente! (Foto: Folha/UOL)

E aí, patriota? Tá tudo bem com você? Tudo certo na sua casa? No seu bairro? Na sua cidade? Que bom, porque por aqui tá osso.

Me diz como está sua geladeira, sua despensa, o tanque de combustível do seu carro. Me diz como você não irá trabalhar, como aquele seu vizinho gente boa, dono da vendinha da esquina, vai pagar as contas da semana, já que suas mercadorias estragaram e ele não recebeu novas.

E o Dudu, hein, cê viu? Passou mal à noite e o Samu não tinha ambulância para ajudá-lo. Ou melhor, tinha! Só que não havia gasolina no tanque. Morreu, coitado. Bateu as botas, como dizem por aí. Deixou mulher e dois filhos pequenos. Cachorrinho, não. Morreu também. Engasgou comendo pedra, tadinho. Tava com fome, não tinha mais ração em casa e apelou.

Ah, ficou sabendo da mãe do Tião? Não? Pô, ela está acamada há anos, como você sabe. Com essa greve justa, legítima, em nome do povo, a cuidadora dela não conseguiu ônibus para trabalhar. Desesperada, tadinha, ligou para a filha, que mora em Contagem, mas o carro dela está sem álcool. Já sem saber como se limpar, ir ao banheiro e tomar seu café, ligou para o filho, que está morando em Brasília. Putz! O aeroporto lá está fechado. Já são duas da tarde e a velhinha nem tomou seu remédio que a mantém respirando. Pior é que nem o porteiro foi trabalhar também

E o lixo, hein! As ruas estão todas sujas, você viu? Não demora vêm os ratos. E com eles… leptospirose! Mas…. peraí: se não há remédios nas farmácias, não há seringas nos hospitais, quem ficar doente vai fazer o quê, hein? Já sei! Gritar “Fora, Temer”, “Lula Livre” e “Bolsomito”. Depois é só quebrar algumas coisas por aí, tocar fogo nos pneus e a leptospirose passará. Claro, né? O sujeito morreu, kkkkk. Mas é isso mesmo: sem dor não há crescimento! Temos de parar mesmo o país para mostrar para estes vagabundos de Brasília. Se bem que…

Será que os vagabundos estão sem combustível? Sem hospitais, sem comida, sem remédios? Será que eles estão sem ônibus? Ah, eles não usam ônibus, me esqueci. Mas aposto que estão sem remédios. Não? Sério? Nem sem aquele uisquinho importado? Pô, sacanagem! No boteco já acabou a pinga. Os motoqueiros compraram tudo para abastecer.

O Pedrão, por exemplo, desesperou com o filho de 4 meses, com febre de 40 graus. Daí meteu a Iataipava, o red e o restinho de Pitu no tanque e se foi para o hospital. Putz! Fundiu o motor no caminho. Pegou o bebê no colo e seguiu a pé. O posto de saúde estava fechado.

Mas é isso aí, patriota. É isso aí, turma do “Lula Livre”, do “Bolsomito”, do “Fora, Temer”. Se a gente não mostrar a força do povo, estes filhos das putas não se emendam. Foda é se não se emendarem mesmo, né? Ou se demorarem muito. Me diz uma coisa: tem um ovinho aí para me emprestar? Devolvo quando o Temer cair.

Leia mais

8 thoughts to “Brasil, de novo, com a força do Povo”

  1. Olá Inundado, cadê os batedores de panelas e seguidores de pato amarelo? Devem ter enfiado as panelas no … armário! O silêncio é sepulcral, nem sorriso amarelo eles dão.
    De toda sorte a pausa dos caminhoneiros, empregados, autônomos e oportunistas patrões, tem o mérito de questionar e desmascarar o entreguista Pedro Parente, que perde força e tem de adiar a venda da Petrobras. Descontado aquilo que ele já entregou dela a preço de bananas ou na bacia das almas, como diria minha avó, pode ser, então, que o desgoverno do Vampirão termine e a Petrobras permaneça como bem e patrimônio do Estado brasileiro. Sorte, Saúde e Cidadania.

    1. Os batedores de panelas estão desamassando as panelas pra baterem mais tarde.

      E os petistas, como vão? Sem silêncio sepulcral ficam falando sem fazer nada, sem sorriso amarelo permanecem chorando pelo condenado.
      Fizeram ou farão alguma coisa já que até pra fazer greve ‘ficam de greve’ na porta de presídio?

      1. Muito bom JLT. Eles na verdade não fazem greve. Alguém leva eles até lá e grita: “Estátua”. Assim eles ficam paradinhos e nem comem o pão com mortadela, o que dá uma economia danada.

  2. E aí, patriota? Tá tudo bem com você? Tudo certo na sua casa? No seu bairro? Na sua cidade? Que bom, porque por aqui tá osso. “Aqui em casa tá tudo bem e não precisei correr feito tonto atrás de nada”.
    Me diz como está sua geladeira, sua despensa, o tanque de combustível do seu carro. “Não gasto nada sem uma razão e nem me desespero, então não me falta nada”.
    Me diz como você não irá trabalhar. “Trabalho em casa e estudei e lutei pra isso”.
    Como aquele seu vizinho gente boa, dono da vendinha da esquina, vai pagar as contas da semana, já que suas mercadorias estragaram e ele não recebeu novas. “Meu vizinho é esperto e tem um mercado bem abastecido, é prevenido”.
    Só que não havia gasolina no tanque. “O desabastecimento foi provocado pelo próprio povo burrinho que compra sem saber se vai precisar ou respeitar a necessidade do próximo, ou das ambulâncias, ou dos bombeiros, ou da polícia. Quinze anos atrás fui à Dinamarca atender um cliente da empresa na qual eu trabalhava e um funcionário da empresa dinamarquesa me apanhou no hotel 6:30h da manhã, chegamos no destino as 6:45h, o pátio estava vazio e ele estacionou longe da recepção. Questionei porque parou tão longe se não havia nenhum carro no estacionamento e me respondeu, que temos que pensar naqueles que por algum motivo podem chegar atrasados e precisam parar o mais próximo possível para não perder o horário. O brasileiro ainda não aprendeu a respeitar o país e vende gasolina a preço de ouro porque tem tolo que mesmo não precisando paga”.
    Cachorrinho, não. Morreu também. Engasgou comendo pedra, tadinho. Tava com fome, não tinha mais ração em casa e apelou. “Cachorro nenhum morre comendo pedra. Cachorro é inteligente e respeita o dono e morre junto dele sem reclamar porque DEUS o criou pra proteger o próximo e seu território e não pra destruir. O único que destrói e consome sem razão é o homem que pensa que é inteligente”.
    E o lixo, hein! As ruas estão todas sujas, você viu? Não demora vêm os ratos. “O lixo tem nas ruas todos os dias, as ruas estão sempre sujas e mesmo que tenham lixeiras jogam no chão, chamando ratos porque o brasileiro é porco e joga lixo em qualquer canto, até no seu pé se você não cuidar”.
    “O Brasil do jeito que tá e com esse governo perde uma guerra até pros índios da Bolívia”.

  3. Você esqueceu de citar um senador que voou em jatinho da FAB para as bases e, coitado, atendendo à demandas, teve de retornar a Brasília, também num jatinho da FAB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.