Lá vêm os urubus das tragédias brasileiras

Mais uma daquelas infinitas discussões acerca do sexo dos anjos, que só desinformam e empobrecem o debate

É séria essa pergunta? (Foto: captura de tela/Alexandre Borges)

A capacidade do país de suscitar debates cretinos é surpreendente. Ou melhor, a capacidade da grande imprensa de fazê-lo, isso sim. O caso da mãe (Policial militar) que reagiu a um assalto em frente ao filho e matou o bandido virou assunto nacional. De um lado, aqueles que consideram a moça uma heroína. Do outro, aproveitadores de plantão, urubus das tragédias alheias. No meio, gente comum, como nós, apenas rezando para que cenas assim deixem de vez o nosso triste cotidiano.

A moça não é heroína, por óbvio. Não salvou ninguém. Apenas reagiu proporcionalmente a uma ameaça. Por sorte — dela e dos demais — estava armada e treinada para momentos assim. Uma policial não deixa sua profissão em casa ao levar um filho para a escola, ainda que não esteja a serviço. Fosse assim, médicos em um avião não poderiam prestar socorro. Alegar tal motivo em desfavor desta mãe é algo asqueroso e só poderia mesmo vir da lavra da Globo News. Talvez a emissora pense que o correto seria “esperar para ver”.

Igualmente a Policial não é assassina. Não deixou de reagir em legítima defesa quando pregou três tiros na fuça do meliante. Gente que imagina que ‘um só tiro’ bastaria não é ignorante ou inocente, não. É simplesmente dotada de extrema má-fé. É o tipo de vagabundo moral que vive da carniça alheia. Morre uma vereadora de esquerda assassinada e lá estão os urubus. Morre um invasor de propriedade privada e lá estão os urubus. Morre um policial, um cidadão de bem e fogem como o diabo da cruz.

Me lembrei agora do caso do rapaz que salvou a si mesmo, a sua esposa e a cunhada famosa (Ana Hickmann), de um psicopata armado. Após entrar em luta corporal com o maluco, desarmou o sujeito e pregou-lhe uma saraivada de chumbo. Um “promotor de justiça” resolveu acusá-lo de homicídio doloso, vejam só. A tese do valente: após desarmar o homem, não havia necessidade de matá-lo. Ainda mais com três tiros. Sei! Nestas horas sempre perguntamos: o que este babaca faria se fosse com a própria esposa? Uma DR com o meliante?

Queiram ou não, gostem ou não os urubus disfarçados de humanistas, bandido bom é bandido morto, sim. Menor ou maior de idade, preto ou branco, pobre ou rico, pouco importam quais os adjetivos acessórios de um criminoso. Seu lugar sempre será a cadeia, se possível. Não sendo, o cemitério é o local mais adequado. Até porque, o que fariam da vida estes aproveitadores de plantão senão proselitismo sobre cadáveres? Trabalhar de verdade, todos sabemos, não é o forte desta turma.

Por fim, deixo uma pergunta aos humanistas da Globo News: Policiais de folga devem ser mortos?

Leia mais.

74 comentários em “Lá vêm os urubus das tragédias brasileiras

  1. Essa aí é a uma ‘agente’…que só sabe falar ‘a gente’ .
    (é agente na plenitude do significado da palavra para conduzir interesses ‘claramente ocultos’)
    Você ainda escuta os ‘agentes’ da grobuniuz falando ‘a gente’?
    Meu ouvido não aguentou, parei. Parece disco furado!

  2. Ricardo, bom dia. Hoje tive o desprazer de ler o blog do tal Evaristo não sei o quê, também hospedado no UAI. Ao meu ver ele tenta ir na sua esteira, sendo exatamente o seu contraponto. E hoje ele fala do mesmo assunto. Mas a vigarice intelectual lá é demais: a policial não poderia ter matado o bandido porque (ohhh) ele é uma vítima da sociedade. Como ele não tem (quem disse?) acesso aos bens de consumo, fazê-lo-ia através da força. E ainda provoca dizendo que seremos os próximos a buscar a força e o crime como forma de satisfazermos as necessidades que o mundo moderno cria nas pessoas. Quanta má-fé. Quanta vigarice intelectual. Lamentável.. Obrigado por ser a nossa voz, por nos dar a esperança de um mundo melhor, mais justo e, PRINCIPALMENTE, mais inteligente. Abs

    1. Amorim, o Portal UAI preza pela pluralidade, assim como eu. Não conheço o colega e não leio seus textos justamente por ter conhecimento da linha de raciocínio dele. Abrs

      1. Sobre a pluralidade, acho justo. O remédio para quem não gosta do outro texto nós sabemos e você já se cansou de dizer: não leia! Fui, li, conheci, não gostei. Não volto lá. Simples assim. Mas tem gente que, incrivelmente, não consegue absorver essa questão. Abs

      2. Sugiro que leia. Afinal é importante abrirmos nossa mente com as idéias diversas. Pessoas inteligentes assim o fazem. Poucas vezes concordei com você, mas é importante saber os argumentos de quem tem idéias diferentes. Hoje mesmo você reafirmou que bandido bom é bandido morto. Essa afirmação também vale pra políticos que roubam milhões, até bilhões?

    2. Caro Amorim, boa tarde!
      Bem propício seu comentário! Também comecei a ler o blog deste Evaristo e não consegui chegar ao final, tamanha idiotice!!
      Só posso parabenizá-lo pelas palavras aqui ditas.
      Um abraço!

      1. Mais uma.
        Também li, também não gostei.
        Até quando as pessoas vão continuar empurrando as consequências de suas ações aos outros?
        Cada um deve ser responsável por seus atos. Por que este Evaristo não começa a ensinar isso na UFMG?

        1. Todo mundo falando tanto desse Evaristo que fui procurar o tal comentário, rsrsrsrs. Parei na segunda frase quando ele decreta que todo pobre é bandido.

      2. Eu também comentei no blog do ‘dotô’ na matéria:
        “QUEM PODERIA BATER PALMAS PARA A POLICIAL QUE MATOU O BANDIDO NA PORTA DA ESCOLA?”
        Escrevi às 09:39:
        “Respondendo à pergunta do título:
        EU.
        Sobre ‘Comemorar a matança dos pobres’ :
        Quando o assaltante armado aponta a arma para sua cabeça, é indiferente a condição social ou financeira dele, veja que vários ‘filhos’ de classe média alta assaltam e matam.
        Você quer impor a assassinos a condição de ‘coitadinhos’ e pobres
        Agora eu faço a pergunta:
        Você como psicanalista não deveria chamar para dar atendimento a todos os que saem por aí armados para assaltarem ?
        Se a resposta for SIM, ponha uma placa na porta de seu ‘consultório’ ou aqui no blog oferecendo consultas e tratamento grátis e VAMOS VER se aparece algum deles para se tratar!
        Se a resposta for NÃO, não induza os certos a que estejam errados!”
        Complementei às 09:52:
        “Na impossibilidade de ter tudo isso, só resta ao indivíduo a prática da violência.Por que você que é pobre ainda não ficou violento?”
        Observando estas frases, afirmo que você precisa de tratamento URGENTE!
        Posso indicar uma ótima psiquiatra reconhecida internacionalmente para que a explique os motivos de induzir os pobres a serem violentos!”

        Até agora meus comentários que foram os 2 primeiros, estão aguardando moderação! 😕
        Observação: os comentaristas são pessoas MUITO mais conscientes e sãs(sadios) que o ‘dotô’ bloguista’!

        1. Pessoal, eu também deixei lá 2 comentários logo pela manhã.

          Um criticando severamente o texto, pois a defesa vigarista dele se baseia em condições que não estão provadas. Escrevi: “Quem disse o assaltante era pobre? Que a policial era rica? Que a região é de um bairro de classe alta?”. E escrevi mais coisas que nem me recordo mais, pois preferi apagar da minha memória rsrs. Mais o menos como o que o JLT comentou aqui.

          O outro comentário foi específico sobre a frase absurda “Na impossibilidade de ter tudo isso, só resta ao indivíduo a prática da violência.” Escrevi: Fale apenas por você.

          E confesso que não voltei ao blog dele para ver o resultado. rsrsrs

          Abs

    3. Amorim, quero lhe agradecer muito. Eu não conhecia o site do Evaristo. É excelente. Muito diferente dessa porcaria aqui, só aplaudida pelos coxas adoradores de pato amarelo. Agora pelo menos, tenho duas opções, quando quiser ler bobagens e ver a que ponto chega a imbecilidade de nossa classe média cafona, venho aqui. Se quiser ler uma análise séria e sem esse recalque burguês de quem acha que tem direito “divino” a escravos, vou ler o site do Evaristo.

      1. Estava demorando! Não seja partidário meu caro. Faltou educação em seu comentário com as pessoas deste blog e com as palavras. Sou trabalhador da classe baixa e nem por isso, sou bandido! Inclusive, já fui vítima de bandidos armados. Talvez você não deve saber o que é estar diante desses bandidos, que armados, pregam o terror, te humilham, afetam seu psicológico, não pensam que você tem família, que é trabalhador. Por fim, sugiro que acompanhe o tal do Evaristo mesmo, porque, ao que parece, compactua com o mesmo pensamento dele.!

      2. Parabéns João e boa sorte. Como um típico representante da classe, você não consegue nada sozinho, precisa sempre que um adulto esclarecido lhe mostre alguma coisa nova, já que não consegue fazer nada por si mesmo. Seja feliz no blog lá. Sucesso.

      3. Pois é né João Silva, eu já fui assaltado por um bandido com arma automática, era muito seguro e tranquilo, falava baixo e tinha uma linguagem clara e sem gírias, usava palavras ‘educadas’ sem ‘palavrão’ e levou meu carro que estava na garagem e desligado em janeiro de 2017. Me pediu a chave e perguntou se tinha mais alguém em casa. Eu disse que tinha uma criança dormindo mas ele estava ‘doido’ pra entrar mas após minha resposta sobre a criança ele perdeu o interesse. Ele levou também o celular da faxineira de minha sogra que estava na mesa da garagem.
        A aparência(cor da pele e olhos), desenho na barba, corte de cabelo, roupas novas e sapatos novos do assaltante eram ótimos. Se ele entrasse numa festa e alguém o apresentasse como juiz, vereador ou médico eu acreditaria sem nenhuma dúvida, o ‘porte’ dele era alinhado!!!
        Resumo: O assaltante era, no mínimo, de classe média alta!
        Meu carro foi encontrado intacto 35 minutos depois do roubo, acho que o cara só queria sumir da área onde estava e usou meu carro pra ‘evadir’.

        Agora veja alguns detalhes e diferenças entre os blogs em questão:
        Quem comenta algo que é fora da vontade do Evaristo ele bloqueia ou o comentário fica ‘aguardando moderação’.
        Os comentaristas lá têm opinião assim como os daqui só que aqui tudo é publicado inclusive o seu e do cidrac.
        Lá e aqui um comentarista concorda e elogia o outro mas o Evaristo não publica os que discordam dele mas certamente publicará o seu.
        Sabe como se chama o seu comportamento e do Evaristo? Petismo!
        Quanto ao Evaristo, fique lá pela compatibilidade, pelo mau(com u) gosto, pela mente sem caráter, desorganizada que só apoia quem é errado.
        Recomendo até fazerem uma homenagem ao assaltante que roubou meu carro, o blog dele é mais adequado.

  3. Eu gostaria de saber como reagiriam esses puritanos ante um assaltante com uma arma apontada p eles.
    Mijariam nas calcas, gritariam “socorro, mamãe”, ou dariam um buquê de rosas p/ o criminoso?

  4. Sinceramente Kertzman, minha paciência já foi pros colhões! Como ainda existe seres que ainda condenam uma mãe que defende seus filhos seja ela policial ou não! Esses calhordas esquerdopatas defensores de bandidos estão cada vez mais esquizofrênicos! Onde um bandido armado que vai assaltar em frente a uma escola infantil é vítima da sociedade!? Estes três tiros foram poucos pra um meliante dessa categoria! Ainda tinha mais de meia dúzia de balas pra descarregar neste marginal! Realmente ela (a policial) é muito fria! Pois qualquer outro descarregaria todas as balas!

  5. Quem aponta uma arma p/ alguém está assumindo o risco de matar ou morrer. Quem é vítima de uma arma apontada p/ si (e no caso, apontada p/ mulheres e criancas) tem uma fracão de segundos para tomar uma decisão que pode significar a sua morte ( ou das mães e crianças ali).
    É muito fácil alguém sentado numa sala com ar condicionado e todo conforto pontificar sobre uma situação dramática como essa.
    É muito fácil quem trabalha num ambiente seguro, super confortável e com salário de mais de 100 mil fazer discursinho
    politicamente lindinho sobre aquele que pega o boi pelo laço, que seu trabalho coloca sua vida diariamente em risco!

  6. Não sou a favor da violência, mas quanto um bandido mata um repórter, uma vereadora, como o caso da vereadora do Rio, são os primeiros a cobrar pela segurança. No caso do fato envolvendo a Policial, se ela tivesse se omitido? Se esse cidadão que ela matou para defender as outras mães que ali estavam matasse uma pessoa inocente? O que essa repórter agora estaria usando seu espaço na mídia para falar da omissão da Policial. Aqui fica os meus questionamentos.

  7. Até subjugar um cachorro que vai rasgar nos dentes o indivíduo na rua é crime hoje em dia. Quem acaba levando as pauladas é o ser humano que defende a sua vida. Ou você tem o cão preso em sua casa e bem tratado por que para deixar vadiando na rua e ameaçando os pedestres é coisa que antigamente os fiscais da prefeitura jogavam no chão o tal trigo roxo e o cão sem dono não iria mais ficar virando lixos e sacos de lixo nas portas das residências.
    Existe também o outro lado da moeda, ou aceita que o animal também tem o direito de fazer xixi e coco pelas ruas como fazia no século passado quando a urbanização das cidades ainda não reprimia os animais pelas ruas calçadas.
    A hipocrisia humana está aumentando cada vez mais que as novas gerações não querem saber da história da humanidade que já existia a mais de 200 mil anos sem esse progresso atual e inclusive como prova no Brasil ainda existem índios nus e em cabanas vivendo neste século.

  8. Infelizmente esta é a nossa sociedade. A vítima, se escapar, será presa e processada. Já o assassino, se for pego, será endeusado e citado como vítima da sociedade globalizada. O bandido morto pela policial já tinha contabilizado 5 passagens pela polícia. Ou seja, ele já teve 5 oportunidades para repensar sobre os atos dele. Pelo jeito ele repensou e fez a opção pelo crime e acabou onde todos que optam pelo crime deveriam acabar. Ou tem alguém que acha que um bandido que sai com uma arma em punho para assaltar está pensando apenas em dar um sustinho? Ele foi armado na base do ou tudo ou nada. Felizmente para ele sobrou o nada. Ainda bem que a nobre e corajosa policial nada sofreu.

  9. Parabéns pelo Texto Ricardo Kertzman.

    Eu, como o leitor Amorim Brasília, lemos o texto do Evaristo, bloguista do portal Uai e até o momento o meu comentário esta aguardando moderação, se me permitir transcrevo no seu blog o que escrevi.

    O Colunista Evaristo está com algum problema de cabeça, associar que todo mundo que passa fome e que é pobre dá o direito de roubar.
    Dá uma olhada nesse vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=dmox0SMCyXY
    Um cara pobre, negro, pelo que entendi, mora num local “barra pesada”. Dá uma lição de Empreendedorismo.
    Vamos parar de defender bandido.
    Quer melhorar de vida? Vai para a escola, estuda bastante, trabalha e adquire os bens que necessita com o seu suor e não tentando “tomar” dos outros.
    Quer “brigar” por alguma coisa? Que brigue para que todos tenham condições de igualdade de estudar. Isso sim. Agora defender bandido, não.

  10. Nota 10 pelo texto. Aí fica uma pergunta? E o coitado do bandido, que pulou um muro alto no Morumbi, e ficou com uma arma carregada esperando os moradores acordarem? E para o azar, era um delegado, preparado, armado, mas que não conseguiu ter o seu direito de VIVER EM SUA CASA. Este “mimi” rídiculo, pró bandidagem, tem que acabar. A GLOBO está sentindo na pele (sem trocadilhos) ao ser questionada por não ter negros na novela. Quem pratica o “mimimi”, sofre com ele.

  11. A mediocridade está espalhada no mundo, em todas as áreas. A imprensa já deixou de fazer o grande e bom jornalismo e hoje opta pelo marketing jornalístico. Isto é, quem decide a pauta das emissoras de TV são fatores econômicos. Isso é o início do fim da imprensa. Faço votos que os grandes jornalistas formem discípulos porque o que se tem hoje em dia é jornalismo muito trivial. A pergunta do programa de TV é tão cômica que nem mereceria resposta. Mas, tratando o assunto no mesmo nível de comicidade, podemos responder que: “Não, o policial de folga é proibido por lei a reagir a qualquer agressão. A lei, ao contrário, o obriga a se deixar matar. Sereno e feliz”. Só mesmo um programa de TV com senso crítico semelhante ao Q.I de um jacaré poderia levantar uma pergunta tão medíocre. Qualquer pessoa do povo pode prender alguém em flagrante. Além disso, qualquer pessoa do povo pode defender um terceiro de agressão atual ou iminente, desde que não ultrapasse os limites necessários de força para fazer cessar a agressão, ainda que haja a perda da vida do agressor. Há vinte anos atrás, esse conhecimento fazia parte do acervo de convicções do povo. Todo mundo sabia dessas coisas, pois elas estão na lei brasileira. Hoje, em tempos de sociedade virtualizada, na qual grassa a mediocridade em todas as áreas e níveis, as pessoas passam a ter dúvidas sobre as questões mais elementares da sociedade. Com mais vinte anos, perguntarão se o sol, no Brasil, surge no leste todos os dias mesmo.

  12. Vou fazer um pequeno comentario sobre essa gente que vive por ai, se especializando em tentar explicar fatos , criticando atitudes de pessoas (como esta cabo) que tentam honrar o que fazem e cumprir com seu juramento. Aqui vai: ….., e tem mais,……………………. e vou para por aqui, porque elas nao merecem nenhuma linha a mais!

  13. OOOOO Ricardinho, sempre falando borracha, pelo amor de deus.

    Aliás, o senhor que é metido a valentão, bem que poderia defender o Gabriel Azevedo lá na Câmara.

    Agora, tomar porrada do Léo Burguês é o fim da picada.

    Abração Ricardinho. Saudade sua.

  14. Direitos Humanos para Humanos Direitos!
    fora isso, bala, vala ou cadeia.
    Sou pais de dois filhos pequenos. Imagino o medo das crianças e o trauma que gerou nelas ao serem abordadas por este vagabundo com um revolver apontado para elas.
    Bom texto. A Globo só está fazendo o que sempre fez: buscando audiência e criando artistas maconheiros.

  15. Mais um que não consegue entender o que lê. Aliás, já sabemos que a formação do blogueiro foi tão deficiente que, mesmo frequentando colégios caros, não conseguiu concluir o ensino superior. Sintoma da falência da educação no Brasil.

    Nenhum especialista em segurança pública entendeu que a policial agiu errado. Não vi nenhum jornalista condenando sua reação. Ela agiu de acordo com a situação apresentada.

    Mas isso quer dizer que o policial SEMPRE deve reagir a assaltos? É esta a questão.

    Centenas ou até milhares de policiais morrem todo ano no Brasil. E infelizmente muitos morrem ao reagir a assaltos, de folga, à paisana. Mesmo com todo o treinamento que recebem (em alguns Estados, como no Rio, mais deficiente que em outros), é previsível que muitos policiais se deixem contaminar pelo pensamento geral de que “bandido bom é bandido morto”, e que o papel de policial é “matar bandido”. Mesmo em situações desfavoráveis, arriscadas, em inferioridade numérica, muitos policiais acabam reagindo, às vezes matam o bandido, e às vezes morrem também, juntos com outros inocentes.

    Agora, essa questão vale apenas para policiais. Para civis, nem há o que questionar: a orientação da polícia é sempre a mesma: NÃO REAGIR.

    1. Quem são os seus “especialistas em segurança pública”? Essa turma que se esconde num escritório, que criou o estatuto do desarmamento e deixa os bandidos à solta para praticarem 60 mil assassinatos (oficiais) por ano? Opinião dessa turma aí eu dispenso.

      1. Muitos especialistas em segurança pública são ex-policiais, ou então pessoas que dedicam sua vida a estudar o assunto segurança pública, mestres e doutores no assunto. Pessoas que sabem muito mais sobre isso do que eu ou você. E, obviamente, que o blogueiro, pois esse não sabe de nada.

        1. Por favor, eu gostaria dos nomes de:
          1-“ex-policiais especialistas em segurança pública,”
          2-“pessoas que dedicam sua vida a estudar o assunto segurança pública,”
          3- “mestres e”
          4-“doutores no assunto.”
          Não valem ‘palpiteiros'(cof, cof) que escrevem o que querem sobre quem imaginam ou desconhecem!

          1. Meu caro, vou mandar só os links, pois o blogueiro anda meio sensível

            [Ô Miniatura, deixe de ser (tão) babaca! Você acompanha este blog há tempos e é useiro e vezeiro em me xingar. Faça à vontade, pois me afeta tanto quanto os urros de um urso polar no Alasca. Mas nunca admiti — e nem irei — ofensas a terceiros ou ao veículo que me hospeda. É como se eu fosse almoçar na sua casa (capim, é claro!) e ofendesse sua esposa, sacou?

            Ah! Excluí os links também! Aqui é o Portal UAI, dos Diários Associados, o terceiro maior grupo de mídia do país. Quer divulgar conteúdo de outros portais? Abra seu próprio blog, hehe]
            (Ricardo)

  16. Enquanto o pessoal da globosta chia,o Governador de São Paulo presenteia a Policial.Ela agiu corretamente ao atirar no vagabundo,aquele momento era a representante da LEI contra o marginal, então que morra o marginal.

  17. Tenho 51 anos e, embora leia diariamente notícias em vários sites, nunca me atrevi a fazer um comentário, porém desta vez não consegui deixar de me manifestar. O texto aqui publicado parece expressar exatamente o que tenho repetido desde o último sábado. Me assustei ao ler, parecia que eu tinha escrito, nunca me senti tão bem representado. Parabéns Ricardo.

  18. Este posto pelo menos consegui ler até o final e, se pudesse, assinaria embaixo. Muito ao contrário do texto do Evaristo, que parei pela metade antes que minha raiva aumentasse. Parabéns!

  19. urubus & abutres:
    “Um neto do Lula foi nomeado secretário parlamentar do gabinete do deputado federal Vicentino (PT-SP), amigo do peStista.”
    O vicentino é aquele ‘suspeito’ de ter recebido doação no valor de R$ 30 mil não contabilizada da odebrecha e ‘ssssempre’ fala ‘asssssim’!

  20. Seria melhor se não precisasse atirar e matar. Claro né! Se as faculdade de medicina criadas por Lula não custassem 8000 reais por mês, esse garoto poderia estar dentro de uma e, ao invés de morrer, estaria se preparando para salvar vidas. Que ironia ridícula! Povo medíocre, imprensa medíocre, país medíocre. Na rua, na prática, se a policia não atira, ela toma tiro e morre, então… No mais, é aguardar que aconteça algo de bom, não vai acontecer, mas, vamos aguardar, só sabemos fazer isso mesmo. Agora, parabéns a essa policial, que, pressentindo um risco para a vida dela e de várias pessoas, fez o que tinha que fazer. Se a constituição não permite isso, que façam um adendo, uma emenda, mais para formalizar, porque, aqui fora, já está acontecendo e não vai parar. Ainda bem.

  21. A pergunta na Globo News está errada, a correta seria: pode uma mãe( armada e treinada) defender seus filhos, diante de um meliante armado que os ameaça ???????

  22. Bom, esse é meu currículo: sou policial federal aposentado após 30 anos de serviço, sendo 19 anos em Dourados/MS (fronteira com o Paraguai), 5 anos em Uberaba e o restante em Belo Horizonte. Nesse ínterim, cumprindo missões por todos os rincões desse país, inclusive Serra Pelada. Sou Também Oficial da Reserva do Exército (R2). Tenho outros cursos na área de segurança, como: Combate ao crime organizado; Violência, Criminalidade e Prevenção e sou Instrutor de Tiro formado na Academia Nacional de Polícia. Hoje estou advogado. O policial é policial 24 horas. Se ele está presenciando um crime, por lei ele é obrigado a agir, mesmo que na sua folga. Essa reação, obviamente, deve ser analisada por ele diante da situação que se lhe apresenta. Só ele, no calor dos acontecimentos, é que decidirá se vai agir ou não. É uma decisão difícil, pois a adrenalina vai a mil e o tempo é extremamente escasso, tudo acontece em segundos. Analisar o fato depois de ocorrido é muito fácil, estando calmo, sentado em uma cadeira, tomando um cafezinho. Aquela policial agiu corretamente, provando que estava bem treinada, cumpriu com sua obrigação, fez um serviço limpo, onde apenas o marginal sofreu o que merecia. Hoje, mesmo aposentado, ando armado e se presenciar ou for alvo de um assalto vou reagir sim, se a situação estiver favorável a mim, ou seja, se a surpresa passar para o meu lado. O Resto, que dizem por aí, são falácias de toda sorte, com veio político de esquerda ou oriundas de “especialistas” teóricos que nunca estiveram em uma situação semelhante. Eu não sei porque a nossa política de segurança está falida. Com tantos “especialistas” em segurança nesse país, não deveria estar.

    1. Ô ‘pequeno nicolau’,
      o comentário do Hamilton deve ser lido, ele não é um ‘suposto’ doutor no assunto como os que vc imaginou mas não nomeou, aqui temos um e experiente!

      Grande abraço Hamilton, concordo com seu pensamento e posicionamento!

      1. Mas eu estou de acordo com ele. Quando falo em “especialistas em segurança pública”, me refiro exatamente a gente “expert” no assunto. Não disse que o policial não deve reagir, pelo contrário, é uma situação que deve ser analisada, considerando os muitos riscos envolvidos, para ele e os demais.

        Infelizmente, o dono do blog cortou os links que eu tentei de enviar. Mas basta você procurar na internet que verá análises mais substanciais com opinião de especialistas – inclusive ex-policiais.

  23. UM BOM CONSELHO AO NAVEGANTES:

    Estamos vivendo a época do do espetáculo;
    Estamos vivendo a época do esteticismo;
    Estamos vivendo a época do aparecer, principalmente nas mídias sociais bem como o HEROÍSMO.
    Temos que tomar cuidado com o despertar do ódio em nossos corações,isto de todos os lados, que o fiel companheiro disto tudo,que se chama PROVOCAÇÕES.

  24. Ricardo, parabéns pela matéria e concordo plenamente com ela !
    Bandido é bandido ! Se ele põe em risco a sociedade, infelizmente deverá ser combatido e até morto ! Até que enfim alguém homenageou um policial nosso por este tipo de ação. Parabéns a policial e ao governo a de SP! Que venham outros….
    Esta polêmica é para quem não tem este tipo de risco. Deixa eles ficarem com a arma apontada para eles e depois pergunta o que deve acontecer com estes marginais….
    Esta questão de direito humanos deve valer até quando não termina o direito do outro ! O resto é bala mesmo….

  25. Os seus artigos revelam o quanto a sua mente está doentia. Você merece ter uma paz interior, um reencontro consigo mesmo. Faça uma terapia para se libertar de fantasmas do passado que torturam a sua mente. A violência (que, provavelmente, tem origem em alguma violência que você sofreu na infância) reprimida em seu interior só pode provocar dor. Nenhuma forma de vingança (da vida, de situações, de traumas, de pessoas) vai tornar a sua vida e a vida das pessoas que você ama (?) melhor. Ao externar o seu pensamento, você apenas “vomita” as “tralhas” e o “lixo” acumulado pelo seu ódio, ao longo do tempo. Paz e bem!

      1. Ricardo,
        Impressionante como os esquerdiotas invariavelmente são incapazes de apresentar um único argumento razoável; só despejam rótulos carregados de ódio à sua pessoa.
        O dito popular de que “O peixe morre pela boca” cabe bem aqui: eles mesmos se encarregam de demonstrar o quanto são ignorantes!

  26. Ricardo, como sempre, um ótimo texto.
    Também concordo que bandido bom é bandido morto, e quanto aos urubus humanistas, esta da foto é uma bela de uma “urubua” manja o plissado no pescoço KKK…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.