Mais um recorde negativo para o Brasil

Exportar café, soja e gado é ótimo para a economia do país. O duro é exportar gente; sobretudo os mais capacitados e ricos

Tiroteio básico no Rio de Janeiro (Foto: G1)

Ai, ai… Como é difícil ser otimista com o Brasil. Como é difícil passar um único dia sem se aborrecer (com) ou falar mal da terrinha de Santa Cruz. Aliás, Ilha de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz, haja cruz para carregarmos.

Acabo de ler que a população brasileira, residente em Portugal, é a maior dentre as estrangeiras naquele país. Oficialmente são cerca de 80 mil. Estima-se que mais 50 mil brasucas residem por lá ilegalmente. Somente espalhados por Portugal, Espanha, Itália, França, Inglaterra e Alemanha, calcula-se que quase 1 milhão de brasileiros ocupem o velho continente.

Nos Estados Unidos o número é ainda maior. Segundo o Itamaraty, são cerca de 1.5 milhão. O total de compatriotas espalhados pelo mundo passa dos 3 milhões. Parece pouco diante dos 207 milhões de habitantes? Besteira. Estamos falando de “boa parte da nossa melhor parte”.

Se antigamente, nas décadas de 80 e 90, o perfil dos emigrantes era o de pobres em busca de emprego, hoje em dia a situação é bem diferente. Ainda que a maioria deixe o país à procura de trabalho e melhor renda, um número cada vez maior de adultos ricos e jovens qualificados saem do país. Assim, se por um lado perdemos poupança interna; por outro, a elite intelectual. Uma soma de resultado pra lá de negativo.

Hoje mesmo conversei longamente com um velho conhecido. Marcelo emigrou para os EUA há seis meses. Empresário de sucesso aqui, tenta repetir o feito por lá. Somente na região de condomínios em que vive, em Boca Raton, na Flórida, 200 famílias brasileiras dividem o solo com os nativos do sunshine state. Em comum, além do sucesso profissional e financeiro, o motivo da fuga: a violência urbana. A segunda razão: criar os filhos livres e sem medos. Ou seja, a mesmíssima coisa.

Acreditem: chegamos a um estado tal de violência, que a segunda maior população de brasileiros no exterior encontra-se no Paraguai. Sim, amigos! Quase 500 mil conterrâneos preferem morar num dos menores e mais pobres países sul-americanos, onde não há nem litoral. Somos quase 10% da população de um país do tamanho do Mato Grosso. Porém, enquanto o Paraguai é o quarto país menos violento da América do Sul, o Brasil é o terceiro mais. Só perdemos para Venezuela e Colômbia.

Não há solução única para a violência. Políticas públicas voltadas à educação de base, saneamento básico e infraestrutura urbana das regiões mais pobres do país contribui, e muito!, em médio e longo prazos. Igualmente, policiamento ostensivo nas fronteiras e grandes cidades. Todavia, em curtíssimo e curto prazos é necessária, sim, repressão total ao crime, e isso inclui leis rigorosas, julgamentos rápidos e, sobretudo, prisão. Muita prisão! E após a segunda instância, sim, senhor.

Quem discorda deveria, uma vez ao menos, passar uma semana em um destes países citados acima — não me refiro às porcarias latinas, é claro! Se não mudar de ideia, o faz por interesse pessoal ou ideologia cega, como no caso dos populistas de esquerda. Do contrário, é porque jamais foi — ou irá — sair desta espelunca chamada Brasil.

Leia mais.

16 thoughts to “Mais um recorde negativo para o Brasil”

  1. Como resolver com democracia e voto, o problema da violência no Brasil? Vamos lá. Marina Silva? Boulos? Ciro Gomes? Alckmin? Tiririca? Aponte um, por favor.

    1. Simples, não eleger nenhum dos atuais políticos que ajudaram a fazer as leis atuais que só beneficiam marginais ou pessoas que vivem do suor alheio, Eleger pessoas que não participam de partidos ideologicamente ligados a movimentos nocivos como os MST da vida. Cobrar de quem você eleger que as leis sejam mudadas para que todos sejam tratados com igualdade mas também cobrados nos seus deveres de cidadãos. não adianta só votar tem que acompanhar e exigir trabalho de quem for eleito para acabar com privilégios tipo filho de Juiz que já ganha uma fortuna ter direito a bolsa estudo e os filhos da classe trabalhadora que carrega este país não ter onde estudar. Art. 5º da Constituição todos são iguais perante a Lei: Balela os representastes da Lei são os primeiros a criar privilégios.

      1. Desce dai meu filho! Você pode cair e se machucar. Venha para a realidade, ela ainda é mais segura que essa sua viagem. Dentro da realidade, pelo menos, podemos tentar alguma coisa e não ficar tomando bola nas costas o tempo todo. Haja costas pra aguentar!

  2. No comentário anterior enalteceram manter a persistência em busca da DEMOCRACIA e que segundo muitos confirmaram, depois de 30 anos ainda não se chegou a um denominador comum, ainda não encontramos a DEMOCRACIA. Também enfatizam a importância do voto, da renovação do congresso e da liberdade e importância, em poder escolher, aquele que mudará este país. Quem é a escolha de vocês? O lixo que sempre nos roubou e que volta a se apresentar para continuar no poder? DEMOCRACIA para um país como o Brasil, para um povo que joga lixo ao redor de suas casas por preguiça de livrar-se dele corretamente? Que reclama do preço da gasolina, mas faz questão de rodar 60 ou mais quilômetros pra ir a praia apenas pra comer uma espiga de milho ou um espetinho de gato? Dizem que Lula é o cara, mas porque tem tantos morando em prédios abandonados, sem emprego, sem sucesso? Povo sem interesse em fazer um país, que pouco se importa com o dia de amanhã, que só se interessa em ganhar tudo de presente, que bajula aproveitadores e corruptos para que recebam algo em troca ou um lugar pra sentar enquanto aguardam o salário pingar todo mês.
    Vão trabalhar malandros e não me venham com esse papo de que pegam no batente às 5 da matina e voltam pra casa às 10 da noite. Quando falo em trabalhar é resolver todas as questões com relação a sua casa ao seu bairro a sua cidade. O povinho não tem educação porque acham que educação é ir pra escola, mas esquecem e desconhecem o significado de educação e jogam lixo na rua, atravessam sem aguardar o sinal, quando dirigem não respeitam o sinal vermelho nem a faixa de pedestres, pisam nos canteiros das praças, buzinam na frente dos hospitais, não dão prioridade as viaturas de emergência, colocam o som em alto volume enlouquecendo os vizinhos, soltam fogos de artifício durante a madrugada e outras milhões de coisas. Mas querem botar o dedo em uma urna duvidosa, que vai colocar no poder o próximo bandido que na sua posse jurar pela DEMOCRACIA.
    Vão se catar. O Brasil do jeito que está, com o povo que não respeita a si próprio tem mesmo é que ficar se escondendo atrás de muretas, como mostra a foto, por séculos e séculos em busca da DEMOCRACIA que não respeitam, porque não tem conhecimento mínimo do que é DEMOCRACIA.

  3. Estive em Portugal ano passado para conhecer e decidir se iria ou não trabalhar com a ideia de morar lá. Convém, antes de sair pro “tem que prender todo mundo”, conhecer o que foi mudado em um país que foi de um dos mais pobres e quebrados da Europa para um dos mais atrativos e em franco crescimento em pouco tempo. Vamos lá: cortaram os salários públicos à partir de certo teto, subiram os impostos até o país de estabilizar novamente, investiram e continuam a investir em infraestrutura, turismo, educação e, principalmente, descriminalizaram as drogas, que continuam proibidas de serem comercializadas, mas, como sabe-se que não há como acabar com o tráfico, pelo menos não transforma a cadeia em depósito de usuários e aviõezinhos, liberando espaço e verba para prender quem realmente deveria ser preso. O resto é balela, briguinha de vote naquele ou no outro, tudo igual. A classe média, que se acha rica, e os ricos de verdade, precisam aprender que os outros podem viver bem também, precisam ter menos visão seletiva: onde já se viu achar normal uma pessoa viver na favela? Ou não ter o que comer? Andar de ônibus lotado, sem compromisso algum com horário? Vender bala no sinal com criança no colo? Precisamos urgentemente é de civilidade e amor ao próximo, não só o seu próximo, mas todos os próximos, ou continuaremos sendo esse país anão que só anda pra trás. As pessoas não tem culpa de ter nascido na pobreza e não devem ser punidas com isso, nem devem engolir o papinho de meritocracia, que de certo passa longe aqui. Converse com pessoas de fora e uma coisa é certa, ela sabe respeitar que as outras pessoas também tem que ter qualidade de vida para poderem ter dignidade, produzir e ajudar o país a ser melhor. Gente motivada evolui, gente sem dignidade gera violência, desorganização e subdesenvolvimento.

    1. Augusto,

      oi! Você está certissimo em suas ponderações com relação ao comportamento das pessoas em Portugal. O que vemos aqui é essa elitizinha cafona querendo se distanciar cada vez mais da população de baixa renda. Eles querem suas babas, faxineiras, servidores em geral. Não querem ter que limpar casas, tomar conta dos filhos, etc. Ou seja, deixar a população de baixa renda melhorar de vida significa perder privilégios parabos adoradores de pato amarelo.

      Faltou considerar que, antes de sair da posição de um dos paises mais pobres para um pais quase de primeiro mundo, Portugal recebeu uma injeção volumosa de recursos da comunidade européia e que o atual governo portugués é SIM socialista!

    2. Augusto,

      oi! Você está certissimo em suas ponderações com relação ao comportamento das pessoas em Portugal. O que vemos aqui é essa elitizinha cafona querendo se distanciar cada vez mais da população de baixa renda. Eles querem suas babas, faxineiras, servidores em geral. Não querem ter que limpar casas, tomar conta dos filhos, etc. Ou seja, deixar a população de baixa renda melhorar de vida significa perder privilégios parabos adoradores de pato amarelo.

      Faltou considerar que, antes de sair da posição de um dos paises mais pobres para um pais quase de primeiro mundo, Portugal recebeu uma injeção volumosa de recursos da comunidade européia e que o atual governo portugués é SIM socialista!

    3. Olá Augusto, muito, muito obrigado. Que lufada de ar benfazejo! Assim é que se fala. Só pelo aviso de: não cair no fiasco, bobagem do tem que prender todo mundo. (Custa caro – não apenas o dinheiro – manter gente presa) Palmas, alvíssaras, glória, aleluia.
      Aqui em Pindorama temos de adotar medidas racionais, sem ódios e sem correrias. Por exemplo. Pra quê gastar dinheiro com publicidade do TSE? Tribunal não vende biscoito nem goma de mascar, o que ele presta é serviço ao cidadão e o cidadão o procura de modo compulsório, então é aberração dinheiro público numa coisa dessa. Tal recurso deve ser canalizado para a educação e outros serviços aos cidadãos. (Hoje fiquemos com esse exemplo)
      Grato.

    4. Augusto, vc foi muito feliz no seu comentario! PARABENS! Precisamos sim de,OPORTUNIDADES, o resto e de livre arbitro de cada um. A funcao e obrigacao do estado e cumprir o seu papel estabelecido pela carta magna o resto e balela. A maquina e sociedade funcionara com cada parte cumprindo seu devido papel .O resto e so perfumaria.

  4. Você deu a receita do bolo, o melhor que poderia existir, incluindo até a cereja. Mas, você mesmo não acredita muito que possamos conseguir isso, já que pensa em abandonar o país. Desculpe a franqueza, mas o termo é esse mesmo, abandonar. Porém, com essa afirmação, não estou culpando você, pois a situação do nosso país é muito crítica e todos nós corremos risco de vida o tempo todo. Qualquer um que encontrar um lugar mais seguro, vai querer se abrigar lá e isso é natural, instinto de sobrevivência. Afinal, quem quer viver em um país igual ao Brasil, com tantos problemas? A receita você deu, basta saber agora por onde começar a mudança e praticá-la.

  5. “As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel. O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.
    Umberto Eco

  6. Meus melhores amigos se mudaram para Canadá e Japão. Um é Fisioterapeuta excelente o outro é um engenheiro TOP da aviação. Os dois estavam desempregados no Brasil….

  7. Brasil, um país onde 95% da população se declara religiosa, onde temos mais igrejas do que escolas.
    Quanta contradição….
    Por isso digo, se religião prestasse seríamos o país mais pacífico do mundo!!!!
    Não sou a favor de obrigar as pessoas a serem ateus, longe disso… assim como fazem os regimes comunistas.
    Sou a favor de melhorar a educação e o senso crítico das pessoas, assim como fizeram os países da escandinávia. Mas parece que no Brasil ninguém quer isso, principalmente líderes religiosos e políticos, pois quanto mais educação tem um país, menos ele precisa de religião.

    1. É isso MARCOS. O Brasil é um país onde o povinho religioso vai a praia no dia 31 de dezembro pra assistir a queima de fogos (na verdade queima do seu próprio dinheiro que deveria estar na saúde, educação, segurança) e depois da queima jogar no mar barquinhos e toda sorte de porcarias, para que Iemanjá atenda seus pedidos, pois esse povinho preguiçoso quer sempre receber, sem lutar por algo. O exemplo está naqueles que viviam no prédio que incendiou em São Paulo. Por mais que a prefeitura oferecesse um local, um abrigo, preferiram ficar ao relento na praça e ainda reclamando o fato de ninguém lhes dar assistência. Como falei antes, gostam de viver junto ao lixo, adoram ser fracassados porque não precisam fazer esforço. A esperança ou o sonho de malandro é que alguém faça algo por eles e o melhor seria que dessem comida na boca. Essa gente não se emenda e neles os políticos veem o seu futuro, já que em outubro esse povo corrupto vai fazer questão de apertar o botão da urna onde aparece a foto do melhor enganador, onde está a esperança de realizar o sonho de ser tratado feito filhote de CUCO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.