Tragam os repórteres! Kalil sacou o tacape

O gestor populista, essa praga que irremediavelmente infesta o país, adora um holofote para chamar de seu. Afinal, é o que dá voto

Ai, que inveja de SP!

O primitivismo brasileiro é mesmo inabalável. Não falo dos mais de 60 mil assassinatos por ano. Tampouco dos outros 60 mil mortos no trânsito. O nome disso é selvageria mesmo. Nem me refiro aos que morrem nos hospitais ou àqueles que têm a vida abreviada pela simples falta de saneamento básico. Isso também tem nome: subdesenvolvimento. Primitivismo é outra coisa. É pensar e agir como… primitivo!

Alexandre rasgou um contrato com as empresas de ônibus da capital. Nem entro no mérito. Mas contratos foram feitos para serem cumpridos. Prometeu cortar a distribuição de cargos, mas não o fez. Prometeu acabar com os tais penduricalhos, que aumentam o salário dos apaniguados, e não cumpriu. Ora, se o certo é romper com a legalidade (contratos firmados) e ser conivente com a imoralidade, então faz sentido imaginar que pode proibir, no berro e na caneta, o tráfego de caminhões no Anel Rodoviário de BH.

Ao invés de implementar medidas práticas de segurança, o prefeito prefere tirar o “sofá da sala”, se é que me entendem. Ao invés de conseguir que o Governo Federal construa de uma vez por todas um rodoanel interligando as rodovias, prefere a saída populista de sempre. É mais fácil e rende voto. Mas lembrem-se: qualquer mercadoria que transite entre os estados do Sudeste, necessariamente têm de passar por aquela porcaria de Anel Rodoviário. E aí?

Querem uma solução definitiva, gratuita para os cofres públicos e 100% eficaz? Privatizem aquela joça! “Ah, Ricardo, mas e o pedágio”? O pedágio, meus caros, é o preço que se paga para não morrer esmagado entre dois caminhões. É assim em qualquer lugar do mundo que deu certo. Qualquer lugar que não seja… primitivo!

Mas console-se, Prefeito. Você não está sozinho. Exclua os paulistas (19 das 20 melhores estradas do país estão por lá) e sinta-se em ótima companhia. O resto do Brasil os ama! Só este — como é mesmo que você disse? — careca chato é que não.

Leia mais.

52 thoughts to “Tragam os repórteres! Kalil sacou o tacape”

  1. Só disse ‘verdades’. – Sou de BH, mas resido a mais de 10 anos no interior paulista.

    Você tem toda a razão: as estradas daqui (as principais) não se parecem em nada com as de todo o resto do Brasil.

    Saiu do estado de Minas e entrou em SP… ahh, é outro planeta com estradas decentes.
    Ah, mas tem os pedágios! Sim, e não agrada ninguém mesmo. Mas, todos aqui se sentem ‘menos idiotas e prejudicados’ em relação ao resto do Brasil.

    1. Passo muito pelo Anel Rodoviário e tenho medo. É muito perigoso!!! Concordo com as restrições ao tráfego antes que ocorra outra carnificina! Comparar estradas de Minas com as de SP mostra desconhecimento de custos de obras em terrenos planos comparados ao nosso, muito montanhoso. Construir estradas em Minas é caríssimo. SP cobra pedágios caros, quando se joga o custo das construções!! Já tivemos várias promessas do Novo Anel pelo Governo Federal, mas nem a saída da BR 381 para o litoral foi iniciada. Assinam contratos e cancelam após as eleições…. Sempre assim!!!

      1. moro em bh é posso dizer que aqui sim é uma roça grande, colegas meus que foram pra sp ficaram tao impactados com a diferença que por la ficaram, bh é uma roça com asfalto

  2. Tentar o cara tentou, ele pediu para gerenciar o perímetro do anel Rodoviário, mas o governo federal, não concordou. A prefeitura não tem verba, para tratar de uma rodovia federal. Tivemos ministro dos transportes de minas (Angêlo Adauto), “presidenta” mineira no palácio, Anastasias, Aécios, Perrelas no Senado e nada. Nossas estradas são as piores do país.

    A culpa é do Kalil.

    1. Lourival, a culpa é de todos estes que você citou e também dos deputados federais, senadores e qualquer outro que represente Minas Gerais na política. Não disse que a culpa é do Kalil e duvido que me prove o contrário. Mas definitivamente, meu caro, a culpa não é dos caminhões

  3. Ricardo Kertzman, ” Ao invés de conseguir que o Governo Federal construa de uma vez por todas um rodoanel interligando as rodovias”.
    Se o prefeito (que não tem nada a ver com este anel) que está tendo peito para tentar solucionar, esperar o Governo Federal, pessoas não vão só morrerem esmagadas, mas de velhice mesmo!

    Uma vida salva vale mais que qualquer engarrafamento!
    Basta!

  4. Ricardo, sem comentário tem lógica e sentido, MAS creio que essa filosofia do caos (proibir o trafego) seja a última cartada para conseguir o tal anel viário, se não sair desta vez esqueça. Realmente SP se destaca de todos, onde estão os nosso representantes no congresso?! Aqui o lixo político parece pior, talvez do lixo como um todo (país) todos nossos políticos são o “chorume”.

  5. Há poucos meses, Kalil se vangloriou de ter dado um aumento acima da inflação p/ o funcionalismo municipal.
    Se a PBH fosse uma empresa de sua propriedade, aí,sim, ele poderia contar vantagem, pois, nesse caso, o dinheiro seria dele. Ocorre que ele é apenas um administrador escolhido para cuidar da coisa pública municipal; mas, como todo populista, ele faz farra com dinheiro que não é dele- e que deveria ser melhor aproveitado-, deixando a conta para nós pagarmos.
    Se fosse gerente de uma empresa de minha propriedade, seria sumariamente demitido!

    1. Evito entrar em polêmicas, bem como criá-las; principalmente quando se trata de política, religião, futebol, estilo de vida, preferências “disso e daquilo” (hic!), etc.
      Mas, às vezes não resisto quando leio e vejo coisas interessantes, úteis e verdadeiras.

      E foi por isso que me tornei admirador e seguidor deste incrível articulista, escritor, jornalista, ‘palestrante’, bloguista, etc., (sei lá mais o quê)… que é o Ricardo Kertzman.

      Faz tempo que “tento entender” (juro!), como ele consegue postar aqui (no Portal), tantas coisas “fora do padrão UAI”. Expressei de forma sutil para não ser bloqueado aqui também! Não pelo Ricardo, claro. Como a censura virtual está cada vez mais forte e feroz, portais “alinhados com a ‘cartilha’ estão cada vez mais vigilantes. Portanto…! – Sei que me entendem!

      Robes:
      Você escreveu em tão pouco espaço várias coisas interessantes, e cito duas: “… ele faz farra com o dinheiro que não é dele”. E outra é “… seria sumariamente demitido”.
      Sou de BH, mas moro em SP como escrevi no meu comentário. O que sei sob a administração do Kalil é o que leio na Internet e, claro, através do que dizem meus irmãos e irmãs que residem aí.

      Deixando a paixão futebolística de lado (a família é Atleticana e eu sou o menos fanático), quando percebi que o ex presidente do Galo iria ser o prefeito de BH, pensei:
      – “Será que ele fará na prefeitura o que fez na administração do Clube?
      – Será que ele terá a “ousadia, o atrevimento e a coragem” de fazer o que poucos chefes municipais fizeram antes?
      Que eu saiba (e é nada, claro!), nos mais de 100 anos de BH apenas Juscelino ( “prefeito-furacão”) fez algo que podemos considerar “fora de série”.
      Lendo e ouvindo o que dizem meus irmãos e irmãs (repito, que residem aí)… mais o que você escreveu aqui, tenho certeza absoluta se tratar tão somente de mais um político, sem querer ofender os Atleticanos, bastante canalha!!!
      Familiares e amigos me dizem: “Ahhh… que isso Gil, ele é gente boa”! – “Ele vai demorar um pouco, mas revolucionará a prefeitura”. Âââhannn! Estamos vendo!
      Como você bem disse: “Está demitido”!

  6. Acho que ele pensa que ainda esta no comando do clube de futebol.Quer aparecer arrumar votos no grito ,não faz nada de concreto em relação ao anel.

  7. Será que ele já combinou com as empresas de transportes as alternativas para as mercadorias chegarem em Belo Horizonte? Está parecendo aquela história contada do Garrincha na copa onde só faltou combinar com os russos para o esquema da seleção dar certo. Economicamente e humanamente seria mais viável retirar os carros de passeios e ficar lá somente os caminhões. Mas aí seria outra história. O que este prefeito maluco deveria fazer mesmo é ir gritar lá em Brasilia (como grita com os seus subalternos) para trazer recursos (que a dona Dilma disse que já estava separado-3 Bi) para reforma do anel. Outra solução drástica e muito barata seria a fiscalização intensiva, pista exclusiva para os pesados e redução drástica de velocidade para estes caminhões. Seria pensar pequeno sim, mas emergencialmente seria a melhor solução e não a retirada total dos caminhões. Populismo barato. A história da volta dos aviões de grande porte para a Pampulha seria outra estupidez de populismo.

  8. Opinião oportunamente bem colocada!
    Cada dia que passa, me convenço da teoria de que o Kalil, como prefeito, é um excelente dirigente esportivo (Como se esta função também fosse algo que prestasse). Mesmo como um bom atleticano, sempre questionei os padrões deste sujeito. Muitos sabem, mas fingem de bobo…. Este sujeito não é exemplo de ética, de gestão e de bom senso. Como empresário, DEVE! Como empregador, DEVE! Como cidadão, DEVE! Como liderança, DEVE! Como gestor, DEVE! Como dirigente esportivo, DEVE! Como representante de um povo que acreditou nele, DEVE MUITO! Como diria o “amigo” de nove dedos, este adora “espetáculo de pirotecnia”. Mas como idiota, está PAGO! Como mau exemplo, PAGO também! Nem as “tais” capivaras (tão criticadas em sua campanha) estão tendo solução…
    É notório seu despreparo para ocupar cargos de responsabilidade…BH deu um péssimo exemplo. Vejam, por exemplo, o caso da Cristiane Brasil, que não pode tomar posse para Ministra do Trabalho, porque tinha culpa em ação trabalhista. E o Kalil com a dívida de IPTU (Imposto da prefeitura), porque tomou posse??? Os tempos da máfia persistem???
    Talvez até a Cristiane Brasil use o caso do Kalil e seu IPTU, como jurisprudência para poder tomar posse.
    Outro ponto, as estradas de SP possuem pedágios sim, caros? sim! Entretanto, não possuem 01 buraco sequer. Privatizar o Anel seria, com certeza, uma saída inteligente, para o problema da segurança no entorno de BH.

  9. Discordo em quase tudo!
    É uma solução paliativa? SIM! Mas é a mais rápida para um problema que se arrasta por anos – e cuja culpa não poder ser atribuída a um gestor específico – aliás, o anel rodoviário nem é de responsabilidade do município em que pese a tentativa judicial de municipaliza-lo.
    Aliás, o tal gestor populista sequer teria, em tese, que meter a mão neste vespeiro. Não cabe a ele adotar as tais medidas práticas de segurança que você cobra e não é ele que determinará a privatização ou não do anel. Tampouco cabe a ele “conseguir” a construção de um rodoanel que, diga-se de passagem, passa por vários municípios. Se é para atribuir a omissão a alguém, atribua-a ao governo estadual, inerte.
    E mais? Será que basta a privatização? NÃO! Basta ver que já temos um trecho sob a concessão da Via 040 e pouco (pra não dizer nada) mudou. Problemas com desapropriações entre diversas outras questões adiam a solução do problema.
    Então, meu caro, creio que o buraco seja muito mais em baixo.
    Essa iniciativa do Kalil é só um remendo, mas já é alguma coisa em um cenário de absoluta inércia dos verdadeiros responsáveis.

    1. O prefeito está certo. Alguma coisa precisa ser feito. Cruzar os braços e deixar que mais acidentes graves ocorram é não preocupar com a vida dos outros. Restringe o tráfego enquanto planeja ações concretas para voltar o tráfego normal.

  10. Boa tarde. Primeiramente comparar BH a São Paulo é a mesma coisa que comparar os bairros Belvedere, ou o Mangabeiras com o Veneza, em Ribeirão das Neves. A renda “per capita” de um dos moradores de algum dos primeiros bairros, paga a metade da renda bruta de toda a população do terceiro citado. A maioria absoluta de tudo o que se fabrica no país, sai de São Paulo, portanto a quantidade de impostos, que circula por lá é infinitamente maior que a nossa. Ainda nos encontramos em situação privilegiada, visto algumas outas localidades do nosso país, mas séculos atrás de São Paulo. Concordo quando você afirma que a culpa não é dos caminhões, mas também não é das várias famílias dizimadas pelos acidentes ocorridos, principalmente no trecho da descida do Betânia. Não acredito que seja uma medida populista, mas com os recursos sendo desviados para outros lugares de importância muito menor que as vias públicas, municipais, estaduais e ou federais, impedir o trânsito dos caminhões é uma alternativa, visto que não havia sido tomada nenhuma medida eficiente e o próximo acidente com vítimas fatais é só uma questão de tempo. Talvez, até porque não há nenhuma garantia em contrário, isso dê uma amenizada, visto que eles não poderão trafegar, SOMENTE nos horários de congestionamento. Se não adiantar, há de se tentar alguma outra coisa. O que não dá é para ficar no sofá vendo na TV, ou lendo pelo jornal, mais uma noticia de tragédia, no já tão mal afamado anel rodoviário de BH.

  11. Avalio seu comentário como o mais razoável de todos até agora. Resumindo, diante da inação por parte de toda a classe política que tem a ver com a novela mexicana ANEL RODOVIÁRIO BH, só restou um medida populista, pode-se assim dizer, como a adotada pelo prefeito, para evitar que novos assassinatos ocorram, ainda que tal medida resulte em aumento do custo dos fretes.

  12. Respeito a opinião de todos, mas ninguém pode deixar de ver que algo populismo ou não esta sendo feito. Não concordo de quem vem a estas e outras colunas criticar e quando chegar no final do ano reelege o “bando” que esta aí. Esta na hora ou já passamos do momento de acordar.

    1. Não é reportagem, não, Assis, é opinião, a minha. E também não é do UAI, é do meu bolg. Pobre, sem sentido, deixa a desejar, ok. Mas partidário? Putz!!!

  13. A placidez é própria dos que nunca foram fatalmente afetados. Quando alguém tem coragem de adotar uma postura radical com aqueles que nunca saíram do ócio, tem que sofrer com esse tipo de crítica. Só sei que o populista e o elitista, prefiro que resolva o problema EFETIVAMENTE.

  14. Esse é mesmo o tipo de “jornalista” que diz que o Bolsonaro soltou um pum na rua uma vez, perto de crianças e por isso é um monstro que não deve ser eleito nunca. Eu me envergonho ao ler esse tipo de texto, onde a opinião do autor não deixa nem 1% de espaço para a sensatez, para o profissionalismo, para a razoabilidade. Se todos os críticos se candidatarem na próxima eleição, imagino que em poucos anos seremos mais avançados que a Suiça, já que sabem como resolver todos os nosso problemas e são totalmente capazes de fazê-lo. Eu nunca me senti tão satisfeito por ter votado em um candidato como agora estou por Alexandre Kalil. Tem se esforçado ao máximo, com as ferramentas que tem em mãos, para fazer o melhor pela população.

  15. É muito fácil o Kakil querer resolver tudo na base da “canetada”. No Brasil é assim: Alta velocidade no transito se “resolve” com multas radares, violência no Mineirão se “resolve” proibindo a cerveja, melhorias nas estradas se “resolve” com pedágios e agora o perigo no anel rodoviário se “resolve” proibindo o tráfego!! Lamentavelmente o Kalil em um ano já se formou um grande POLÍTICO BRASILEIRO! Sobra sempre para o povo! Não se fala em alargar os viadutos que se estreitam e MUITO MENOS NO RODOANEL!!!

  16. Infelizmente nossos políticos sempre buscam resolver as situações de forma mais cômodas para eles. Cito como exemplo, os caixas eletrônicos: antes funcionavam 24 horas. Veio os sequestros relâmpagos e, em vez de combaterem a criminalidade, reduziram o horário de funcionamento dos mesmos. Em seguida, veio as saídinhas de banco e, mais uma vez, a solução mais simples: proibir uso de celulares dentro das agências. Os cidadãos que são os punidos. Quanto a investir em bem-estar, educação, segurança…

  17. Ao meu sentir, a texto não abordou o assunto de forma correta. Primeiro, salvo engano, a responsabilidade pelo anel rodoviário é da União e não do município. Segundo, embora possa parecer populista, o Kalil foi o primeiro político a tomar uma medida concreta contra a carnificina do anel rodoviário.
    Por fim, se não é tudo aquilo que precisamos, se essa medida tivesse sido adotada há mais tempo, certamente, muitas mortes teriam sido evitadas. Por vezes o primeiro passo é mais importante do que ficar no plano das falácias.

  18. Entre caminhões e vidas, prefiro pessoas. Chega de perder gente. De ver famílias desoladas e destruídas. Que seja assim, até o Governo Federal se mover e enviar verbas para outras medidas.

  19. Que ótima proposta Ricardo. Construir o Rodoanel, que custa exatamente quanto mesmo? que levaria quantos anos mesmo para ficar pronto? Não é interessante ver as pessoas reclamando sentado numa sala climatizada, sem o menor conhecimento do que está falando?
    Quando o Kalil faz uma proposta, depois de anos sem qualquer porposta de qualquer governante, municipal, estadual ou federal, é taxado de populista…
    Inveja de São Paulo? muda pra lá. Mas não vale reclamar do trânsito ok!

    1. Muda pra lá? Huuuum, Deixa eu ver… já mudei. kkkk. Ao menos dois ou três dias por semana

      Kalil, proposta? Deixa eu ver de novo… Tá certo! Façamos assim: se a “proposta”, digo bravata se tornar real, eu te peço desculpas. Do contrário, você faz o mesmo. Topa?

      Quanto custa o Rodoanel? Tá lá no post. Mas tem de saber interpretar uma frase completa, ok?

      Sala climatizada? Ainda bem, né? Puta calorão da porra. Sem conhecimento de causa? Bem, não preciso ir à Moçambique para saber como é a vida por lá.

      Paulo, desculpa aí, mas você ainda precisa comer muito feijão com arroz, falou?

      Ah! O trânsito de SP é infinitamente melhor que o de BH. Percorro 11 km em 25 minutos por lá. Mesma distância, local equivalente e mesmo horário por aqui: 30 a 35 minutos

      De novo: precisa comer muito feijão com arroz ainda, meu velho

  20. Ricardo, gostei do texto!
    Infelizmente a boal da vez na politicagem é agir conforme esset nosso prefeito. A nossa população cai direitinho nessas medidas populistas. Não votei e continuarei não votando nesse cara, que com certeza concorrerá para mais outros cargos futuros. Ele gostou da política…

    É um absurdo não termos ainda uma rodoanel, nem metrô (minimamante digno) na terceira capital do país.
    Abraços!

  21. BH é uma cidade parada no tempo.
    Discutir solução paliativa pra Anel e volta de voos pra uma rodoviária q chamam de aeroporto, descumprindo contratos, trazendo insegurança jurídica e fazendo o povo de trouxa, é o que mais há em BH!
    Ah, mas é o melhor carnaval do Brasil! Pão e circo para esse povo sofrido!

    A distribuição de cargos entre petistas e outros partidos coligados ao do prefeito torcedor foi a primeira das falácias do Kalil, empreiteiro q ganhou muito dinheiro com obras da SUDECAP.

    Dá vergonha, ao viajar pra São Paulo, Curitiba, ver como BH ficou para trás.
    E o provincianismo do seu povo contribui para manter o status quo da cidade.

  22. Eu também não gosto do Kalil, mas se você quer critica-lo pelo menos faça sua pesquisa e o critique com fundamentos válidos. Caso contrário sua “opinião sem medo” vira “opinião sem sentido”.

    O texto parte de tantas premissas erradas que chego à conclusão que foi escrito com absoluta falta de conhecimento ou por motivos partidários. Senão vejamos:

    – mostra um absoluto desconhecimento de a quem cabe a gestão do anel rodoviário. Não, meu caro, o prefeito não pode adotar “medidas práticas de segurança” no anel sob pena de invadir competência federal. Cobrar de quem não é responsável não é o tipo de jornalismo que esperamos de você.

    – sequer menciona que parte do anel JÁ está privatizada. Se é esta a solução para todos os males, porque nada aconteceu?

    – ignora o fato de que o Kalil apenas fez uma proposta que acabou de ser chancelada pelo Ministério dos Transportes. Sem o aval deste o Kalil poderia espernear mas nada fazer.

    – critica uma iniciativa que, senão resolve o problema, pelo menos representa algum movimento após anos de inércia. Leva a crer que é melhor ficar de braços cruzados como os prefeitos que o antecederam para não ser taxado de populista.

    E por aí vai…

    Me desculpe pela sinceridade mas este é o tipo de jornalismo míope que atualmente está se proliferando. Por favor, não se renda a ele, quero crer que você é maior do que isso.
    Eu não votei no Kalil e não votaria em uma outra candidatura (também tenho várias críticas a ele), mas seu texto, de tão desfundamentado, me fez gostar mais dele.

  23. Eu também não gosto do Kalil, mas se você quer critica-lo pelo menos faça sua pesquisa e o critique com fundamentos válidos. Caso contrário sua “opinião sem medo” vira “opinião sem sentido”.

    O texto parte de tantas premissas erradas que chego à conclusão que foi escrito com absoluta falta de conhecimento ou por motivos partidários. Senão vejamos:

    – mostra um absoluto desconhecimento de a quem cabe a gestão do anel rodoviário. Não, meu caro, o prefeito não pode adotar “medidas práticas de segurança” no anel sob pena de invadir competência federal. Cobrar de quem não é responsável não é o tipo de jornalismo que esperamos de você.

    – sequer menciona que parte do anel JÁ está privatizada. Se é esta a solução para todos os males, porque nada aconteceu?

    – ignora o fato de que o Kalil apenas fez uma proposta que acabou de ser chancelada pelo Ministério dos Transportes. Sem o aval deste o Kalil poderia espernear mas nada fazer.

    – critica uma iniciativa que, senão resolve o problema, pelo menos representa algum movimento após anos de inércia. Leva a crer que é melhor ficar de braços cruzados como os prefeitos que o antecederam para não ser taxado de populista.

    E por aí vai…

    Me desculpe pela sinceridade mas este é o tipo de jornalismo míope que atualmente está se proliferando. Por favor, não se renda a ele, quero crer que você é maior do que isso.
    Eu não votei no Kalil e não votaria em uma outra candidatura (também tenho várias críticas a ele), mas seu texto, de tão desfundamentado, me fez gostar mais dele.

  24. BH merece o provinciano e populista Kalil.
    Não temos metrô; temos um arremedo, um trenzinho que liga uma parte da periferia a lugar nenhum. Mas na cabeça do prefeitinho capiau, BH precisa é de mais ônibus.Ou seja,mais ônibus parados num trânsito caótico e engarrafado, de uma cidade de infindáveis cruzamentos e sinais, transportando gente como se gado fosse.
    Mas Kalil é mais um dos medíocres prefeitinhos que o povo de BH vem, sucessivamente, elegendo para manter essa grande roça estagnada no tempo.

  25. METRÔ BH
    “Mas, diria algum desses perfeitos idiotas, desses tantos idólatras de populistas, “metrô custa muito caro, a PBH não tem recursos” etc.
    Sim, os governos municipais, estaduais e federais não têm recursos para investir em infraestrutura, escolas, postos de saúde etc. Não têm porque o que arrecadam com os extorsivos impostos tirados do bolso dos que trabalham/empreendem é quase todo comprometido com a super inchada máquina pública e com os demais gastos correntes para manter, entre outras coisas, um infinidade de parasitas, corruptos e privilegiados. Não têm porque os kalils e os lulas da vida, adorados por tantos perfeitos idiotas, são especialistas em fazer farra populista com o dinheiro público, deixando os déficits para vc , eu e todo mundo pagar.
    A saída é transferir, criar mecanismos que incentivem esses investimentos pela iniciativa privada- mesmo porque é impossível, a curto e médio prazos, diminuir a enorme quantidade de eleitores idiotas no Brasil.

  26. METRÔ BH
    “Mas, diria algum desses perfeitos idiotas, desses tantos idólatras de populistas, “metrô custa muito caro, a PBH não tem recursos” etc.
    Sim, os governos municipais, estaduais e federais não têm recursos para investir em infraestrutura, escolas, postos de saúde etc. Não têm porque o que arrecadam com os extorsivos impostos tirados do bolso dos que trabalham/empreendem é quase todo comprometido com a super inchada máquina pública e com os demais gastos correntes para manter, entre outras coisas, um infinidade de parasitas, corruptos e privilegiados. Não têm porque os kalils e os lulas da vida, adorados por tantos perfeitos idiotas, são especialistas em fazer farra populista com o dinheiro público, deixando os déficits para vc , eu e todo mundo pagar.
    A saída é transferir, criar mecanismos que incentivem esses investimentos pela iniciativa privada- mesmo porque é impossível, a curto e médio prazos, diminuir a enorme quantidade de eleitores idiotas no Brasil.

  27. METRÔ BH
    “Mas, diria algum desses perfeitos idiotas, desses tantos idólatras de populistas, “metrô custa muito caro, a PBH não tem recursos” etc.
    Sim, os governos municipais, estaduais e federais não têm recursos para investir em infraestrutura, escolas, postos de saúde etc. Não têm porque o que arrecadam com os extorsivos impostos tirados do bolso dos que trabalham/empreendem é quase todo comprometido com a super inchada máquina pública e com os demais gastos correntes para manter, entre outras coisas, um infinidade de parasitas, corruptos e privilegiados. Não têm porque os kalils e os lulas da vida, adorados por tantos perfeitos idiotas, são especialistas em fazer farra populista com o dinheiro público, deixando os déficits para vc , eu e todo mundo pagar.
    A saída é transferir, criar mecanismos que incentivem esses investimentos pela iniciativa privada- mesmo porque é impossível, a curto e médio prazos, diminuir a enorme quantidade de eleitores idiotas no Brasil.

  28. Vou comentar repostando frase do autor.

    “Alexandre rasgou um contrato com as empresas de ônibus da capital. Nem entro no mérito. Mas contratos foram feitos para serem cumpridos. ”
    – Ele não rasgou contrato. Esses contratos possuem um problema histórico, não atoa uma auditoria vem sendo solicitada há anos. Ele simplesmente falou pro pessoal buscar a justiça enquanto a auditoria nao é implementada. Sabendo como funciona o financiamento político, não é difícil entender que realmente esse contrato é uma mina de picaretagem, e não vejo a postura dele como errada não. No pior cenário possível a justiça vai obrigar a prefeitura a honrar o reajuste de forma retroativa.

    “Prometeu cortar a distribuição de cargos, mas não o fez. ”
    – Como não o fez? Se a distribuição de cargos não foi zerada, ela se reduziu em 90% ou mais que isso. Deixe de ter má-vontade.

    “Ao invés de implementar medidas práticas de segurança, o prefeito prefere tirar o “sofá da sala”, se é que me entendem.”
    – Ele nao pode implementar medida alguma pois não tem autonomia sobre o anel, que é federal. E ele quer sim jogar luz sobre o problema de uma forma nova, muito diferente dos discursos vazios de antes. Um exemplo foi a abertura de processo contra o diretor do DNIT quando do último acidente: https://br.noticias.yahoo.com/prefeito-bh-processa-dnit-e-175800400.html

    “Ao invés de conseguir que o Governo Federal construa de uma vez por todas um rodoanel interligando as rodovias, prefere a saída populista de sempre.”
    – Conseguir que o governo Federal contrua um rodoanel? Como voce acha que se faz isso? Chorando no colo do Temer? Liberando uns cargos pro PMDB? Ou pondo pressão neles via processos judiciais e via imprensa, sem medo de retaliação

    Vejo qualidade e vejo defeitos no Kalil. Mas seu antipestismo e sua cegueira protecionista ao PSDB e ao neoliberalismo já te fez aqui admitir ser um defensor de Gilmar Mendes, por exemmplo, tendo se decepcionado com ele só no ano passado. Cara, como você tem coragem de se dizer informado depois disso? Isso foi só uma ponta do iceberg (http://blogs.uai.com.br/opiniaosemmedo/2017/05/03/os-tres-ps-ou-o-brasil-voltou-ao-normal/).

    Eu não to nem aí pra Lula, quero que seja preso. Assim como o Aécio. Mas você NUNCA fez uma crítica a ele anterior ao epis[odio em que ele se estrepou todo. Continua achando que o governo dele foi lindo, só porque notícias negativas nunca apareceram onde você costuma se informar. E você como blogueiro deveria ao menos dedicar um tempo mínimo ao contraponto, pra não passar vergonhas assim.

    Você é cego, vive numa redoma se informando só onde quer sem fazer nenhum tipo de confrontação de notícias nem contraponto, tal o escândalo que vejo em várias de suas opiniões. Cada um pode ter sua opiniao, mas você parece ainda atrasado uns 2 anos no tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.