As escolas públicas têm que acabar

O problema da educação no Brasil não é a falta de dinheiro, mas, sim, falta de capacidade gerencial e má qualidade dos profissionais envolvidos

O Estado é o inimigo. Sempre!

Lá vou eu mexer em vespeiro! Já imagino os comentários dos “vermeio”. Aliás, comentários não, ofensas. Esta gente, por falta de argumento ou mesmo de educação, só sabe xingar. O pior é que dominam o debate, a narrativa e o sistema de educação há pelo menos três décadas. Resultado: o Brasil ocupa os últimos lugares em quaisquer rankings que se queira. Ainda assim pretendem-se os donos da verdade, mas são apenas corporativistas intolerantes e incompetentes.

Vejam: a média das mensalidades cobradas por escolas particulares no estado de São de Paulo é de R$ 750, para o Ensino Fundamental I. Através do FUNDEB, verificamos que para o mesmo ensino e mesmo estado, o gasto do governo é de cerca de R$ 3.6 bilhões, em um universo aproximado de 230 mil alunos. Assim, cada aluno de escola pública custa aos cofres do Estado cerca de R$ 16 mil ao ano, mais ou menos R$ 1.3 mil ao mês. Praticamente o dobro!

Se analisarmos os resultados obtidos pelos alunos de escolas particulares em exames como o ENEM, certamente encontraremos índices absurdamente melhores que os de escolas públicas. É fácil, portanto, concluir que, se o Estado transferisse a mesma soma de dinheiro para o setor privado (financiando os estudos dos alunos da rede pública), não só garantiria melhor qualidade de educação como também atenderia a praticamente o dobro de alunos. Pergunte a qualquer pai ou mãe de estudante de escola pública se gostariam que seu filho(a) estudasse em uma instituição privada.

O Brasil investe de 5% a 5.5% do PIB em educação. É dinheiro pra chuchu! Mais que o Chile, por exemplo, apenas para comparar com um outro país sul-americano. Não há o menor sentido em o Estado ser dono de escola se não consegue oferecer um serviço ao menos equivalente ao da iniciativa privada. Por quê, então, manter uma rede gigantesca de escolas perdulárias, ineficientes e até mesmo corruptas? Por que não trazer ao ensino básico o mesmo princípio do ProUni e deixar o setor privado operar com mais qualidade?

Tal realidade não difere no sistema de saúde. Um amigo do setor, importante executivo de um hospital enorme, me disse praticamente o mesmo. Se o governo transferisse à iniciativa privada 2/3 (reparem: 2/3) do gasto atual, não haveria déficit de vaga hospitalar e certamente a população teria um nível de atendimento infinitamente superior. Mas isso é assunto para um outro post. Por ora, nos concentremos em acabar com mais este cartório do funcionalismo público, onde nosso dinheiro vai e o serviço não vem.

Leiam mais.

86 thoughts to “As escolas públicas têm que acabar”

  1. Para o próximo blog: Em 2008, Aécio Neves criou a FARMÁCIA DE MINAS, com medicamentos de atenção primária, de alto custo e estratégicos, instalada em todos os municípios mineiros. Em 2016, Pimentel como sempre fez o PT, alterou o nome para FARMÁCIA DE TODOS. A troca de cada placa custou média de R$ 4.000,00, exclusivamente para ter a cor vermelha na palavra “todos”. Esses valores dariam para comprar diversos medicamentos. Hoje, na maioria das unidades faltam até medicamentos de atenção primária.

    1. Impressionante que algum Mineiro ainda defenda o bandidaço do Aecinho do PÓ, acabou com o Estado, roubou, entregou, tudo que podia, só não esta preso por ter o Gilmar Mendes no supremo. Depois da casa arrombada é muito facil colocar a culpa em, quem acabou de entrar, antes do PSDB assumir o estado, disputavamos com o Rio de janeiro o segundo lugar de estado mais rico da união, olha onde estamos hoje, não foi o PT que quebrou o estado, foram estes pilantras que estão a decadas no poder dilapidando nosso estado. Ja aviso aos doentes de ódio, Não sou do PT , sou somente um eleitor realista.

      1. O problema é que Aécio, Pimentel, Anastasia e o FDP que vier depois vai continuar tudo igual… não há um plano sequencial. Ninguém dá continuidade ao que funciona ou procura melhorar. Mudar, exatamente pra que? Pra alimentar a vaidade pessoal e pagar os compromissos de campanha pq, ao se trocar uma mísera placa, com R$4.000,00, R$1.000,00 vai pro bolso do político, R$1.000,00 pro partido, R$1.000,00 pra quem indicou e os outros R$1.000,00 pra quem fez a placa. Ricardo, se você fosse um educador ou alguém do Governo que entrasse com essa ideia, certamente arrumariam um jeito de te encostar, queimar seu filme pois, não interessa aos políticos a instrução do povo. Mas, como você não é, a sua ideia por melhor que seja(apesar de não conclusiva, é claro que seriam precisos ajustes e melhorias) enfim, se perderá no tempo. Amanhã, você mesmo terá que falar de outra mazela política e isso cairá no esquecimento.

    2. Nilson,
      Pegando carona no assunto do texto, faltou você citar que nas gestões Aécio/Anastasia, crianças de “programas inclusivos” na escola (aquelas com algum déficit de aprendizado) eram mandadas de volta pra casa em dias de aplicação de provas de avaliação nacional. Motivo? Porque este(s) que você defendeu não queriam que as médias das notas de MG caíssem. Isto eu fiquei sabendo de 3 pessoas diferentes, todas do ensino educacional estadual, de diferentes escolas e regiões de BH. Tudo maquiado, do jeito que eles queriam.
      Abs.

    1. Bom esse custo foi informado aqui, por um comentarista, não quer dizer que seja verdadeiro, digamos que ele pode ter acrescentado dois zeros, mas… de qualquer forma, mesmo considerando que todos os políticos fazem isso… concordo, não há necessidade de mudar certas coisas por vaidade ou por imposição ideológica. Eu sou petista, sou esquerdista, continuo votando no PT, mas condeno esse tipo de atitude. Mas… finalizando só pra lembrar, Temer derrubou a Dilma e mudou todos os slogans e todos os moveis do palácio, incluindo decoração mas ai… ninguém fala nada.

      1. Ohhh! Acabei de dizer isso para o Nilson! Sinceramente, desqualificar ou caluniar só por não concordar não é honesto. Nunca vamos evoluir politicamente se os discursos continuarem polarizados.

  2. Ô Ricardo, num boa, olha bem o que você está ‘propondo’.
    Qual a chance disso acontecer? Nenhuma. Mas eu entendo, tem um turminha por ai, que adora escutar coisas impossíveis de serem realizadas e acreditar em quem diz isso.
    Desde quando algum desses desgovernos que tivemos, se preocupa com a educação?
    Quando é que vão deixar superfaturar merenda, entre outras práticas e fazer o repasse para que o cidadão pague uma escola privada para o filho? Nunca. Utopia.
    Em outros países, as escolas pública funcionam bem, na verdade, até temos algumas por aqui também, mas são pouquíssimas. Se as mesmas não são bem administradas, não significa que devemos ter melhores administradores, para que ela seja melhor gerida, ao invés de acabar com elas? Utopia também, certo?
    Políticos querem pessoas instruídas? Não. Fato.

    Vamos falar de algo mais sério relacionado a educação atualmente.

    Vou te dizer o que é a reforma do ensino médio, de forma bem objetiva:

    1 – A escolha privada continuará com todas as disciplinas;
    2 – A escola pública diminuirá as disciplinas;
    3 – O Enem ainda cobrará todas as disciplinas;
    4 – Quem vai ter acesso a universidade?

    Isso mesmo que você está pensando.

    1. Já vi comentários seus onde normalmente você critica o Ricardo pelos textos (excelentes) dele. Esse seu comentário agora parece ter essa mesma pretensão, mas ao final você faz 4 colocações que só reforçam o posicionamento defendido pelo autor.

      1. “Excelentes” por sempre estar certo ou “excelentes” por estarem bem escritos? Sinceramente, com esta apresentação:
        “Ricardo Kertzman nasceu em 1967. Um homem inquieto, irrequieto e inundado de sentimentos.”

        Onde inquieto e irrequieto parecem combinar mais é com hater!

  3. O objetivo de ‘serviços públicos’ é apenas justificar agressão contra terceiros para políticos poderem tomar dinheiro de pessoas honestas e transferirem para si.

    As pessoas tem que parar de acreditar que tudo isto é apenas uma falta de administração ou erro de administração. A lava-jato ai deixa mais que claro como funciona parte do esquema. O jogo é tomar dinheiro das pessoas, dizer que vai fazer algo, pagar as empresas do esquema que dizem que vão fazer e elas, simplesmente irão branquear o dinheiro e irão funcionar como uma conta corrente para políticos e partidos políticos.

    É só por isto que não funciona e nunca vai funcionar. O objetivo é justamente este.

    As pessoas conhecem a ideia de paraíso fiscal (que nada tem de ilegal), mas estão ignorando um esquema de geração superior de ocultação de patrimônio de terceiros usando falsas empresas ou falseando setores dentro de empresas. Elas figem que fazem ou fazem de qualquer jeito, enquanto o dinheiro vai para a contabilidade branqueada. Ngm vai estranhar uma Odebrecht com um caixa de 300 milhões, mas o que ngm sabe é que este dinheiro que foi roubado das pessoas via imposto, levado ao controle dos políticos, é movido das mais diversas formas legais (em geral, licitações que só estas empresas podem participar teiado por questões jurídicas), e ao receber o dinheiro, em alguns casos as empresas prestam um serviço qualquer ou fazem alguma coisa para não ficar tão evidente, mas o recurso principal vai para sua conta e fica lá a disposição dos políticos donos ou partidos.

    Uma reunião com Ministro da Fazenda é isto. É acertos a níveis de presidentes e contas de partidos políticos ou eles te caçam se vc pular do barco.

    A JBS não se tornou rica e ela não pertence a quem pertence. Ela é apenas uma conta corrente assim como várias outras. Este esquema é antigo, com décadas e as pessoas tem que entender que partidos políticos são gangues literalmente. Não é coincidência, além do esquema não estar limitado apenas ao brasil. Basta ouvir o que tiver de material aberto da lava-jato e o que afirmo será confirmado com mto mais detalhes e nomes.

    É tanto dinheiro, num roubo em tão grande escala, que não dá para acreditar facilmente. Infelizmente tbm passei por este processo.

    Excelente texto novamente e abraço a todos os milhões de leitores.

  4. Raciocínio interessantíssimo! Eu nunca havia pensado por este lado. Mas supondo que o governo optasse por “terceirizar” o ensino básico e o fundamental. As mensalidades das escolas particulares não seriam (super)inflacionadas assim como aconteceu com as mensalidades de faculdades particulares e também com preços de imóveis “populares” (levando o raciocínio para outro setor), simplesmente pela lei da oferta e da demanda?

    1. E dai se o governo deixar, com presos mais altos, novos concorrentes terão incentivos para entrar.

      E outra coisa. Estudo do ‘ensino formal’ não garante nada e é apenas para perder tempo. Mera processo de doutrinação. De tudo que se estuda, qse nada tem utilidade prática e só serve para perder tempo e prolongar a infância e a adolecencia das pessoas, para que elas não entrem logo no mercado de trabalho e acordem para a realidade.

      Assim fica mais fácil para políticos enganarem e venderem ideias que não tem sentido e só enganam que nunca trabalhou na vida mesmo.

    2. Se não ferir o princípio fundamental que é lecionar, talvez, funcionasse. Mas só uma pergunta hipotética para você: Caso você tivesse que optar em estudar em uma faculdade/Universidade particular, qual seria o seu critério para a escolha? Digo, você estudaria em uma cujo o objetivo principal é o lucro (praticamente pagou formou)? Acredito que a sua resposta seria não. Ou estou errado? Agora me explique como este demente do Ricardo Kestimererrtykagari (kkkkk) pode estar certo?

  5. Sr. Ricardo Kertzman, tenho seguido você é compartilhado seus artigos, por concordar com a sua opinião. Hoje não. Trabalhei no ensino público durante 30 Anos. Meus colegas professoras e professores, também trabalhavam em escolas particulares. Todos nós éramos ótimos. Nossos ex- alunos confirmam. Mas educação não é apenas professores repassando conhecimentos para alunos. É uma troca entre alunos e professores, alunos e alunos. Numa escola particular, os alunos têm hábitos que os da escola pública não têm. Se você inunda uma escola particular de alunos com hábitos diferente, tudo muda. A massa crítica, o número maior se sobrepõe ao menor. Não há professor que consiga mudar isso. Acredito que muita coisa tenha mudado depois que me aposentei. Acredito que a formação dos professores não seja tão boa, afinal eles passaram por reformas e sistemas equivocados, como a promoção automática. Eles enfrentam a ECA, que impede uma disciplina mais rígida. Existe desvio nas verbas da educação, na merenda escolar e as escolas públicas parecem sucateadas. Tudo isso atrapalha os resultados. Mas, inevitavelmente, o homem é um produto do meio, com algumas exceções.

      1. Sério mesmo? Esta é a sua solução para justificar as suas ideias propostas neste texto? Ricardo, você não tem culhões para explanar sobre Educação/Ensino, o que dirá sobre política! Este seu blog, textos ou coluna é digno de um hater! Iris, queria ter tido a oportunidade de trabalhar com você. Atenciosamente.

        1. “Esta é a sua solução para justificar as suas ideias propostas neste texto?”

          Chama o Lula pra traduzir essa bagaça, aí. por favor.

          Ah, e não tenho “culhões” mesmo, seja lá o que é isso. Mas tenho “colhões”!

          Viu, como até para xingar você tem de ser minimamente letrado?

    1. Perfeito!! Tem muita coisa errada, fato, mas o que foi colocado é uma visão simplista da realidade, semelhante a diversas comparações que são realizadas no dia a dia onde se compara uns poucos pontos e se cria uma” verdade”.

  6. Não fale asneira, pois as escolas publicas oferecem merenda escolar aos alunos de graça, .Meus filhos estudaram em escola particular e eu sei os gastos totais . Não é bandeira partidária em jogo, é os milhões de crianças e adolescentes que vão para escola sem ao menos tomar um café decente . O senhor precisa conversar mais com pessoas humildes, não só aquelas das periferias , mas todas para saber qual o dinheiro que entra em suas casas e como vivem.

      1. Sobre o seu comentário Ricardo, o discurso satisfaz somente economistas que olham os números e infelizmente você desconsidera o lado humano. Carece de mais dados para me convencer que se deve acabar com o ensino público. Gostaria de saber a média salarial dos pais dos alunos do ensino público se eles teriam condições de arcar com o lanche dos seus filhos. Faça uma conta básica, são em média 220 dias letivos ao ano a diferença entre o aluno da escola privada e pública é R$550,00 segundo seus dados, dá R$2,50 por dia a merenda oferecida pela escola, muito irrisório no meu entendimento.

    1. Concordo com tudo o que disse. Mas o ponto principal é o ENSINO, e não o café/lanche/almoço que as escolas fornecem. De fato, o problema da educação é muito mais amplo que somente estudar. Mas enquanto houver essa máxima que o aluno vai SÓ pra comer, que ‘tem comida, então tá bom’, nada vai mudar. Aliás, faz com que as famílias mais humildes sejam ainda mais dependentes do Estado. A meu ver, alimentar pode ser considerada uma função secundária da escola, mas não podemos esquecer de sua principal função: ENSINAR.

    2. Ricardo,por favor seja sensato, todos os paises do mundo desenvolvido subsidiam seus pobres e não será diferente no BRASIL. Pesquise o PIB dos paises desenvolvidos e compare com sua população, verá que nós somos muito pobres. Prá finalizar, na minha opinião o problema do ensino não é público e nem privado e sim dos aluno, pais, que deixam os filhos a deriva.Se você não sabe, existe escola particular que deixam muito a desejar e escolas públicas que são exemplos de ensino. Acima eu questionei não foi o ensino, mas os valores colocados na comparação.

  7. A bem da verdade, nenhum governo, seja qual for sua cor ou bandeira, terá como plano de governo ou o mínimo de interesse possível na reformulação ou melhoria na qualidade de ensino. Quanto menos conhecimento, menos instrução, mais fácil a manipulação e o controle. Mandatos eletivos hoje são apenas fonte de enriquecimento ilícito e sem causa, são raros os que ainda pensam que o sol não nasceu apenas para eles. FHC e seus antecessores não se importaram em melhorar a qualidade do ensinos básico e fundamental no país, assim como seus sucessores também não o pretendem. O que Temer, por exemplo, ganharia com isso?! Privatizem o ensino público e todos os deputados federais e senadores darão o jeitinho de abrirem suas escolas. Nunca será conveniente para quem quer ter o poder de ditar as regras num país como o Brasil, porque um povo mal esclarecido será sempre um povo bem manipulado.

    1. Tatiana, me permita um reparo: a despeito de tudo, o governo FHC foi um primor na Educação. Paulo Renato, o ministro da época, morto em 2011, foi reconhecido mundialmente por seu trabalho. O que não significa que resolveu, né?

      Abrs

      1. Com certeza esses dados não batem, como em um estado que só a capital possui mais de 10 milhões de habitantes pode haver apenas 230 mil alunos no ensino fundamental I? aposto que o colunista não pesquisou esses dados direito.

        1. sério? Quer apostar como? Quanto? Deixe de me confundir com suas negas, rapaz! Vá no site do Fundeb e leia. Mas ante coma toda a alfafa, senão não conseguirá nem encontrar o www

  8. Parabens blogueiro, mais uma vez você brilhou em um comentario, unindo o país contra o “cancer” politico e de uma leveza e embassamento estraordinarias.
    Você devia virar politico, parece precisar de um “up” financeiro.

  9. A sua raiva com relação as universidades públicas é fruto de sua incompetência intelectual em obter uma vaga.

    Além disso, percebe-se o complexo de que quem não possui um curso superior.

    Por fim, o senhor inquieto, São Paulo não é referência em nada, apenas para pessoas suburbanas.

    1. Esse aí é tão burro, mas tão burro, que conseguiu ler universidade pública onde está escrito escola pública. De resto, só inveja dos paulistas

      1. Claro que sabia, que era muito difícil para o senhor, que possui uma demência intelectual e um carácter xucro, entender que a crítica refere-se ao seu posicionamento como um todo e não em relação especificamente ao seu Texto.

        Inveja de Paulista, não senhor. Para que teria inveja de um cidade feia, violenta e cheia de problemas sociais?

        Como já dito, a cidade de São Paulo é venerada por pessoas, como o senhor, que apesar da baixa escolaridade conseguem um subemprego.

        Agora me chamar de burro??? Eu, inquieto????? Talvez o senhor seja o único aluno do Santo Antônio que não possui curso superior. É verdade que aquele colégio decadente de classe média não era grandes coisas, mas sem curso superior????? E eu que sou burro????

        O senhor inquieto sua vida seria bem melhor se entendesse suas limitações.

        1. “É verdade que aquele colégio decadente de classe média não era grandes coisas”

          “O senhor inquieto sua vida seria bem melhor se entendesse suas limitações.”

          “refere-se ao seu posicionamento como um todo e não em relação especificamente ao seu Texto.”

          “Para que teria inveja de um cidade feia, violenta e cheia de problemas sociais?”

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. TEM RAZÃO!!! NÃO É BURRO. NÃO. É ANALFABETO MESMO!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  10. Achei super interessante seu texto. Fiquei me perguntando como eu nunca havia pensado nisso.
    Infelizmente, porém, nossa classe política atual não tem interesse algum no público propriamente dito, especialmente na educação. E isso, por dois motivos:
    1- quanto mais ignorante e dependente a população, melhor. Ela sempre será subornável com pouco
    2- a máquina administrativa, por si só, é extremamente benéfica à corrupção. Explico: se eu tenho 10 reais e somente vou ao supermercado, ao final do dia ou o dinheiro estará comigo, ou estará com o supermercado. Agora, se eu tenho 10 reais e vou ao supermercado, à farmácia, pego ônibus, vou ao médico, ao trabalho e volto de novo de ônibus para casa, é dificílimo eu conseguir identificar onde o dinheiro foi parar. Com as verbas públicas é o mesmo: quanto mais confuso for o processo e a burocracia, mais fácil de se fazer o dinheiro ‘sumir’.

  11. Olá Ricardo, boa tarde. Critiquei seu texto, do post da brincadeira do Thiago Neves e te parabenizo por o texto deste post. A educação pública em nosso país é uma vergonha. A forma como ela é desenhada é péssima. Concordo com você.

  12. Perfeito! Contra fatos e dados não há argumentos a não ser os dos “vermeios”: cusparada, xingamentos, defecação pública, objetos enfiados nos orifícios anais, regurgitação e por aí vai.

  13. Belo texto?
    Pensamento simplista, igual ao de um aluno de “escola pública que não ensina”!
    Pior que tem cabeça de bagre que achou que a roda foi inventado com “essa grande descoberta”, em pleno sec XXI, de que 1+1=2
    Só atacou o problema, sem uma solução real, REAL, REAL, e não raivosa.

    1. A solução tá lá, ué!! Tô achando que você estudou em escola pública — ou ainda estuda — haja vista a incapacidade de compreensão

  14. Você como um bando de desinformados vem mais uma vez colocar a culpa do fracasso na educação em cima dos educadores. Que resultado positivo a educação vai ter com salas superlotadas, alunos desinteressados, falta de apoio da sociedade. Pesquise sobre o valor per capita direcionado para o aluno da escola pública e você vai ver que são valores irrisórios. A violência que tem surgido no seio da sociedade está adentrando para o espaço escolar. Portanto caro blogueiro por discordar do seu texto não quer dizer que sou vermelho amarelo, de partido A ou B simplesmente acredito que ao expor alum assunto de tamanha relevância, vsa deveria pesquisar mais e procurar entender o que está ocorrendo. Você está sendo irresponsável em discutir um assunto sem ter nenhum conhecimento para tal. Na realidade nenhum dirigente tem levado a sério investimentos em educação. Os professores além dos baixos salários, lecionam com péssimas condições de trabalho… sugestão pesquise mais… investigue mais sobre o assunto…

      1. ” As suas publicações se perdem em seriedade por que tudo de Vsa remetem a politica partidária”… Ou seja não existem nenhuma publicação sua que direciona a neutralidade, não existem nenhuma preocupação com a veracidade dos fatos e sim como toda a imprensa sensacionalista, apenas chamar atenção… O quanto o jornalismo brasileiro está cada vez mais pobre em conteúdo.

  15. Perfeito. Escola pública tem que ser reformulada. Minha opinião é a seguinte: manter poucas escolas centrais de tempo integral com super estrutura e investir em transporte escolar gratuito. O conceito que temos hoje é o contrário, expandir as escolas para locais precários, sem estrutura, dominadas pelo tráfico. Isso em cidades ou distritos que sejam vantajoso manter uma ou algumas escolas CENTRAIS. Em determinados lugares compensaria pagar bolsa em escolas particulares mesmo.

  16. Neste país nada funciona como pensado. Seria uma ideia interessante, mas o empresário brasileiro é por si só um driblador, um equilibrista, um “jeitoso” que faz de tudo pra se dar bem. Há poucas semanas o Sr. Presidente da República inundou o bolso do deputado Bonifácio de Andrada com 11 milhões de reais para que o mesmo saneasse suas faculdades e o afastasse de ser julgado pelo STF. Acho que por aí já podemos fazer uma ideia do que seria uma educação completamente privada. Hoje falta dinheiro para a educação, para a segurança, para a saúde, para tudo e para todos, menos para os amigos do fuorilegge.

    1. Uia!!! Então essa é a treta dos 11 milhões e esse é o tal Bonifácio que assombra suas noites?

      Agora tindi! Bastava ter explicado e eu até poderia escrever a respeito.

  17. Prezado,
    O problema do Brasil não é ter ou não ter escolas públicas, é ter ou não ter hospitais públicos. O problema maior é a corrupção, os desvios de dinheiro e o caráter dos nossos políticos. Pois se acabarem com as escolas e hospitais públicos e o Governo repassar a verba para as escolas e hospitais particulares, você pode ter certeza de que esses valores citados sofrerão um aumento significativo, pois os nossos governantes terão que receber a propina dos empresários para repassar essa verba. com superfaturamento, pode ter certeza disto! A solução é acabar com a impunidade deste País, aprovando leis que possam punir quaisquer tipos de corrupção, com leis mais rígidas. O problema é como aprovar esse tipo de lei, com a quase totalidade do Congresso Nacional comprovadamente corrupta. Também temos outro agravante, as regiões onde não são interessantes financeiramente ter escolas e hospitais, as populações seriam seriamente prejudicados…

  18. não sou petista, mas acho esse racíocinio sem lógica. Tem é que reformular a educação no país, e não acabar. Como os governos não interessam em educação, danou-se. A classe mais pobre brasileira, vai é deixar a escola, pque não teria interesse algum em colocar o filho na escola. Mais um gasto? este blogueiro gosta é de aparecer, e mostrar sua garrinhas de direita. ACORDA BRASIL, vamos acabar com esta bandidagem de políticos.

  19. O problema da má administração apresentado é uma característica geral do governo. Admito até em falar que isto é uma característica geral do brasileiro e não afeta apenas os que possuem baixa escolarização.
    A falta/deficiência de gestão acontece em todas esferas e áreas do Governo.
    Posso citar diversos exemplos em diversas áreas:

    Polícia: Até hoje não se chegou a um concesso se é melhor o efetivo ficar no quartel ou colocá-lo na rua. Se não colocar ninguém na rua para patrulhar o bandido sabe que poderá cometer o crime e que o efetivo irá demorar algum tempo antes que alguém da polícia chegue para verificar o que ocorreu. Também temos o caso de colocarem o efetivo na rua, mas estes ficam plantados em um único local (exemplo Praça Sete) e o bandido se sente a vontade para cometer suas infrações a algums metros dali (Shopping Cidade). Eu acho que este esquema das bases móveis pode dar certo, mas frequentemente vejos só as vans com dois policiais. Onde estão as motos fazendo a patrulha? Estou certo de que se ela existem estas devem estar fazendo a ronda, não paradas, mas o problema é este. Pode-se rodar numa região inteira que não as verá.

    Saúde: O governo distribui e subsidia remédios baratos, mas quando aparecem demandas por tratamentos ou terapias caras o governo tira o corpo (exemplo do garoto Matheus que precisou de um transplante de intestino nos EUA). Sou contra o governo bancar remédio de R$10 enquanto ele se negar a pagar um tratamento de R$2 milhões.

    Administração pública: O Brasil possui 5.570 municípios sendo que mais 70% destes não arrecadam o mínimo para pagar as despesas da administração pública, ou seja, não possuem dinheiro para pagar uma auxiliar de serviços gerais em um posto de saúde, mas possuem prefeito, secretários, vereadores e assessores. Munícipios que não arrecadam o mínimo para pagar a administração nem deveriam existir, pois pegam o dinheiro que poderia ir para educação, saúde e segurança e, é dirececionado para a administração “política”.

    No caso da educação sou contra a “privatização” do ensino fundamental e médio e totalmente a favor do ensino superior. O problema do esquecimento deste setor é por motivo político. Pessoas bem escolarizadas não aceitariam Aécio, Lula e Temer. A educação básica é um item de soberania nacional. É de responsabilidade do Estado conduzir a educação do seu povo, pois os interesses externos são contrários a uma boa educação. Como exemplo temos os EUA onde 90% da população frequenta escolas básicas públicas.

    Boa parte de todas as mazelas dos serviços públicos também é por culpa do próprio funcionarismo público. Por que os servidores concursados aceitam que os cargos mais altos de cada pasta sejam ocupados por indicação política? E que muitos destes cargos são ocupados por pessoas que não possuem formação adequada para exercê-lo. Nunca vi servidor público reivindicar melhores condições de trabalho sem ter a questão salarial no meio. Na verdade o funcionário público coloca as condições de trabalho em segundo plano e, por isto que temos professor tomando soco no olho e ninguém aparece para demonstrar indignação.

  20. “Vejam: a média das mensalidades cobradas por escolas particulares no estado de São de Paulo é de R$ 750, para o Ensino Fundamental I. Através do FUNDEB, verificamos que para o mesmo ensino e mesmo estado, o gasto do governo é de cerca de R$ 3.6 bilhões, em um universo aproximado de 230 mil alunos. Assim, cada aluno de escola pública custa aos cofres do Estado cerca de R$ 16 mil ao ano, mais ou menos R$ 1.3 mil ao mês. Praticamente o dobro!”

    O autor compara mamão com laranja. Ele não explica que o custo da escola pública inclui a merenda e material escolar. Se a escolar particular oferecesse o mesmo, o custo aumentaria.

    1. E para comparar mamão com mamão você saberia dizer qual a diferença, qual o aumento do custo? Acho que não, né! Então tá. Inté amanhã

  21. Até concordo com vc, em certo momento, mas teria que ter um estudo bem elaborado, como alimentação e outras coisa tmb, o negocio é que o brasil tem que acabar com empresas publicas, tipo petrobras, cef, bb e entre outras, tem que capitalizar tudo, quando as linhas de telefone era do governo, quanto que custava? uns R$ 3.000,00, depois que passou para o setor privado, ninguem mais quer pq agora é uma coisa banal, faz a mesma coisa com as demais, de repente a gasolina abaixa um pouco mais.

  22. Você como sempre vomitando suas soluções simplistas. Só tem uma vantagem na sua proposta. Ganharemos mais um primeiro lugar: O único país do mundo sem escolas públicas.
    Nossos problemas não são as escolas públicas, e você sabe muito bem disso. Nossos problemas fazem nosso atendimento na saúde ser muito ruim (para seu governo, atendimento público ou privado), nossa segurança ser péssima, nossa infra estrutura ser horrível e por aí vai. E outra, isso é antigo e só tem piorado, mas sua viseira ou talvez um daltonismo predominante para o vermelho só consegue achar um culpado.
    “A Finlândia tem a melhor educação do mundo. Lá todas as crianças tem direito ao mesmo ensino, seja o filho do empresário ou o filho do garçom. Todas as escolas são públicas-estatais, eficientes, profissionalizadas”.
    Não precisa desenhar. Precisa?

  23. O que tem que acabar é este “congresso” ineficiente e bandido! Estes altos salários do judiciário e outra regalias a militares. Fim da aposentadoria de políticos e redução de regalias dos mesmos, político não é funcionário!

  24. Bom, e o que o autor faria se ganhasse um salário mínimo por mês para pagar as contas mais alimentação, vestuário de uma família de 4 a 5 pessoas? Com que dinheiro pagaria a “escola particular” dos filhos, por mais que fosse bem mais barata?

    Em algumas áreas, como na educação básica, a lógica da privatização simplesmente não funciona, porque a sociedade paga impostos para que o estado redistribua a riqueza de modo a obter uma sociedade um pouco mais igualitária.

    O raciocínio do autor é muito bonito na teoria dos números. Agora vai explicar isso pro pai de família que ganha menos do que 3 salários mínimos, para o pai desempregado.

    Não sei se o autor da matéria sabe, mas tem família que manda a criança para a escola a contragosto (é um a menos para trazer renda) para que possa se alimentar.

    A questão da justiça social não tem nada a ver com esquerda ou direita. O que interessa é que parte da sociedade é explorada por outra que se beneficia e as políticas públicas são meios para equilibrar a balança.

    Existem alguns setores que devem mesmo ser privatizados, pois não deveriam ser gerenciados pelo estado: Ex: eletricidade, telefonia, etc. Serviços em que até seria bom serem privatizados, pois a livre concorrência estimularia o desenvolvimento e faria pressão sobre os custos. Até concordo que o ensino superior poderia ser privatizado.

    Porém, este não é o caso da educação básica, pois é justamente aqui que aqueles que tem pouca ou nenhuma oportunidade podem obter alguma perspectiva para o futuro.

    É muito fácil falar quando se está do lado que se beneficia. Se coloca no lugar do pai ou da mãe que não tem condição de pagar nada para por os filhos na escola.

    E não me venha com essa de que a iniciativa privada financiaria esses alunos. A iniciativa privada no Brasil equivale ao outro lado da escória da humanidade (o primeiro lado é o dos petistas fanáticos): busca o lucro exorbitante, tem zero consciência social. Você acha mesmo que esse empresariado aí iria financiar aqueles que para a sociedade não representam nenhum valor presente? Se realmente pensa assim… acho que a cigana te enganou, viu?

  25. Eu gosto muito dos posts desse fera ! quem sabe com uma intervenção militar depois de prenderem todos os bandidos, acabar com as mamatas …mas antes o exército teria de investir no sistema carcerário para trancafiar todos os ladrões …quem sabe não poderemos sonhar com algo assim …boa ideia !

  26. Prezado. O problema é que a iniciativa privada está dominada por grandes grupos de investimentos, também chamados Private Equity. Têm compromisso apenas em gerar retorno para os investidores. Não têm compromisso com legado. O que falta no Brasil é a regulamentação. Veja o caso da privatização das teles. Hoje estamos na mão de 04 operadoras (Claro, Vivo, Tim, OI) e nos EUA são mais de 50. Negar que está errado é ler apenas o que defende e desta forma o debate fica enfraquecido.
    Darci Ribeiro, há 30 anos dizia que se não construíssemos escolas (naquela época), no futuro (hoje) não teremos dinheiro para construir presídios. As UMEIS de BH são grandes exemplos de Estado que dá certo. É só os “João Dória” da vida não querer adotar o uso de ração humana para os alunos…
    Abraço.

  27. Quem defende o modelo, na educação e na saúde, são as corporações de funcionários públicos, sindicatos, associações, centrais sindicais, etc. O negócio delas é garantir os empregos, não o atendimento.

  28. Opinião simplória, tal qual o de costume. Dessa vez mostrou claramente a pobreza de espirito de um discurso enviesado de quem sobe em cima de não sei o que para fazer julgamentos tão rasos. Falar de educação exige uma entendimento muito mais amplo de vários contextos, nesse momento o senhor perdeu a chance de ficar calado, aliás, me parece que pensar antes de escrever não é o forte de quem assina esse blog. Se o senhor soubesse o mínimo sobre educação, entenderia o quanto esse processo tem se tornado estratégico para os estados e o quanto os grandes pólos de excelência de estudo e pioneirismo tecnológico estão abarrotados de estudantes advindos de sistemas de ensino públicos europeus (norte) e escolas asiáticas. Modelos não só mais bem geridos como disruptores, focados não em criar mão de obra, mas, recurso humano capaz de absorver e transformar estruturas sociais em todos os aspectos. Lugares em que no funcionalismo público, que aqui é ingenuamente avaliado, o professor é a posição mais valorizada. Isso interfere não só nos índices de IDH como no processo que torna o pais estruturado para o recente e agressivo mercado da indústria 4.0. Nesse fórum, e digo de quem corrobora com opinião tão inútil e e sem relevância, me parece que não se enxerga além do discursinho polarizado de política, de quem enxerga vilão e não é capaz de uma avaliação mais ampla.

      1. Resposta de nível idiota. Fala de coisa que não sabe e não tem condições de formar um argumento razoável. Faz um post medíocre sem o menor sentido pra quê? Pra aparecer, mesmo que de maneira tão patética. Fique nesse lero lero de política e candidato fajuto seu aí mesmo que pra isso basta ler notícia de jornal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.