Todos eles querem tomar o seu dinheiro

E o modus operandi do Socialismo de Estado, que não funciona em país decente algum do mundo, segue reinando neste Brasil acéfalo e anestesiado

O peso de um Estado obeso, incapaz e corrupto

Os sindicatos querem mais dinheiro do trabalhador, é o que se noticia hoje no país. Após o fim do imposto sindical, uma nova contribuição — que de contribuição não tem nada, já que obrigatória — será instituída contra o bolso do trabalhador. E será uma tunga ainda maior! Sabem como é, né? Os sindicalistas precisam viver, pô. Vocês acham que é fácil sustentarem a si próprios e vários dos familiares? Acham que os congressos idiotas que frequentam ao redor do mundo são baratos? E as festas de final de ano? Vão querer agora que os caras não bebam Black Label?

Outra notícia de hoje é sobre o vai-e-vem do aumento da gasolina, ou melhor, do imposto sobre a gasolina. O governo, ao conceder aumentos indiscriminados aos seus funcionários no começo do ano, aumentou ainda mais o rombo nas próprias contas. Resultado: precisa de mais dinheiro. Solução: tirar do nosso bolso, como sempre. Para que mesmo? Para construir estradas, hospitais e escolas? Que nada. Para encher ainda mais o bolso de quem já recebe cinco vezes a média dos salários do país. Para garantir casa, comida, carro, plano de saúde, previdência especial, passagem aérea e toda sorte de benesses para a elite governamental.

Acabou? Sem chance! A equipe econômica irá instituir uma nova alíquota de Imposto de Renda. A facada será no bolso de quem recebe mais de R$ 20 mil. A tunga saltará de 27.5% para até 35%. É justo? Claro que não, né? Mesmo sendo quem mais ganha — por conta do próprio esforço e trabalho, aliás — já é quem mais paga, pois é a faixa que consome mais (em quantidade) e com qualidade (alto valor agregado), onde impostos altíssimos já estão embutidos nos preços. Além disso, estes trabalhadores ainda pagam escola particular, plano de saúde, segurança, transporte, etc. Ou seja, o governo, que já lhes rouba uma fortuna, os obriga a gastar dobrado. O discurso fácil, que os ricos pagam pouco imposto no Brasil, só serve para fazer a alegria dos arrecadadores (funcionários públicos que aumentam os próprios salários) e dos populistas de esquerda, que vivem justamente do dinheiro dos… ricos! Certo, Lula e Cia?

A lógica que impera neste escangalho de país é sempre a mesma, entra governo e sai governo. Os Três Poderes gastam à vontade e espetam a conta no lombo dos outros, de quem trabalha e produz. O mesmo ocorre com sindicatos, ONGS e toda esta parafernália imunda que orbita em torno do dinheiro alheio. Ninguém quer saber de trabalhar, apenas arrecadar, tirando do bolso dos outros aquilo que não produz: dinheiro. Até porque, convenhamos, é como tirar doce de criança! Fazem isso sempre e ninguém verdadeiramente move uma palha contra. Apenas uma meia dúzia de textos como este ou algumas declarações mais fortes nos microfones. Como diz o ótimo Skank: “a nossa indignação é uma mosca sem asas; não ultrapassa as janelas de nossas casas”. Sem trocadilho: na mosca!

Enquanto a sociedade brasileira não parar de acreditar no Estado, como gestor de tudo, e nos messiânicos que surgem a cada eleição, e permitir que se mantenha esta lógica burra, onde todos pagam muito para poucos, e poucos trabalham quase nada para muitos — e quando trabalham, trabalham mal — continuaremos fazendo a festa dos servidores públicos de todas as esferas e poderes, e dos chupins que se alimentam das sobras do butim. É transferência de dinheiro na veia! Sai do seu bolso diretamente para pagar os salários deles. O que sobra, custeia a previdência… deles! E o que já falta, vai para os juros. Investimento em infraestrutura e prestação de serviços à população? Zero!

E pensar que ainda tem babaca que acredita que o Brasil é um país capitalista… Sinceramente, viu?!?

P.S.: Servidor público que trabalha muito e bem, e que ganha pouco, por favor não me venha encher o saco, ok?, com esta ladainha. Primeiro porque, mesmo ganhando pouco, ganha muito mais que qualquer um do setor privado. Segundo porque o texto não se refere a você, mas àqueles que você sabe muito bem quem são, e que detesta também. Assim, use o seu tempo para reclamar, como eu, deles. Não de mim, que não lhe devo nada. Ao contrário, aliás!!

Leia mais.

 

4 thoughts to “Todos eles querem tomar o seu dinheiro”

  1. Gosto dos seus posts, mas esse daqui não cola. A alíquota de 35% para valores acima de $20 mil é totalmente justificável, muito mas razoável do que a tungada no imposto da gasolina, que gerou muito menos gritaria e penalizou a todos, ricos e pobres, igualmente. Dizer que os ricos pagam mais imposto não é verdade (em proporção ao salário), e uma grande diferença é que enquanto os mais pobres pagam no consumo de itens essenciais, os ricos são mais atingidos no consumo de supérfluos. Já está mais do que na hora de rever a distribuição tributária, onerando mais a renda e reduzindo no consumo. Renda acima de $20 mil chega a 1% da população, mas como todos os nossos congressistas (e auditores fiscais, diga-se de passagem) aí se incluem, a gritaria vem alta em defesa dos seus próprios bolsos (já que, por outro lado, a gasolina deles é paga pelos ingênuos cidadãos).
    Fora isso, assino embaixo no restante do texto.

  2. Ricardo, essa não cola, meu caro. Por exemplo, digo que tem uma massa de funcionários públicos , como os professores, que ganham mal mal para o seu sustento, e olha lá. Claro, que os funcionários públicos de alto escalão, como Juizes, promotores, auditores fiscais, delegados e policiais federais e outros privilegiados, ganham muito, e muitos deles não só ganham muito, como fura o teto. Quer um exemplo,? Nosso bravo juiz Moro, ganha em média mais de 60 mil por mês, nos últimos contra-cheques desse magistrado, e da maioria deles, a soma dos salários ultrapassavam ou ultrapassam a módica quantia de cem mil reais. Ricardo, mas esses graúdos, vc não tem como enfrentar , e, por isso, sai em cima dos funcionários públicos mais fracos que ganham uma marreca, a maioria deles. Quanto aos rico, meu caro, Ricardo, não pagam imposts, , rapinam o país e levam os despojos para Liechtenstein, ilhas virgens, Panamá e outros paraísos fiscais. Por outro lado, pegam empréstimos nos bancos do governo sem pagar juros, e quando o negócio não vai bem, como é o caso, da Oi Telemar, o governo e que paga a conta, ou melhor, o povo, os mais pobres. Ricardinho, a China, sem praticar essa rapinagem que se pratica no Brasil, e que chamam de liberalismo econômico, ou selvageria financeira, vai muito bem obrigado. Portanto, Ricardinho, o desenvolvimento, passa longe de todos “ismos” que alguns judeus querem vender por 30 moedas de prata como o elixir para resolver todos os males da humanidade.

  3. Excelente texto. Parabéns por apresentar a verdade classe dominante. Os políticos.
    Só não pode esquecer de todo o esquema de cumpadre junto com falsos capitalista, ditos empresários, que são apenas coorporativista, que usam da força do estado, via políticos, para impedir a concorrencia e lhes garantir privilégios ou monopólios.
    Da mesma forma, não ignorar a classe propaganda, que divulga e mantém todos preso desta ilusão de liberdade inexistente. Vc não é dono nem da sua casa/apto/carro. Vc no máximo é dono de parte de acordo e deve ainda pagar seu político para poder permanecendo sendo dono desta parte.

    Por propaganda entender mídia e ensino formal. Sim, infelizmente o professor não consciente de ser uma peça do esquema o é pelo simples controle regulamental que os políticos fizeram e determinam quais inutilidades devem ser ensinadas e que nunca serão utilizadas para nada, ou existe alguém aqui que conseguiu dar utilidade prática no dia a dia a pelo menos 30% do que aprendeu na escola?

    Funcionários públicos não são funcionários públicos como acham. São os executores de ordens de seus donos e para colaborarem, tem que gozar de privilégios, afinal, como uma masse minúscula conseguiria dominar milhões se não tivesse uma massa de executores, grande parte alienada. Agora entende o porque dos “altos salários”? Além de estar recebendo dinheiro oriundo de roubo de trabalhadores, para que os políticos e seus amigos consigam ficar com a maioria, é preciso ter os melhores lutando por algo e mantê-los focados nisto, enquanto executam de uma forma ou outra as ações necessárias para manter toda a engrenagem de roubo dos cidadões funcionando. E por roubo, não digo corrupção. Digo do imposto, afinal, vc acha que é contribuição? Só se for para o bem de seu político e dos corporativistas amigos.

    E seu político é modo de dizer. São eles donos de você e não você deles. Conceito muito mais avançando, mas citarei apenas para que um dia aqueles que se aprofundarem e descobrirem mais da realidade que Democracia = Escravidão. Mas entender isto já é um pouco demais para quem não se aprofundar mto em estudos e reflexões.

    Mas se já entender que nunca viveu e nunca viu o livre mercado e que não existe nenhum sistema Capitalista no mundo, por mais que lhe mentiram, apenas níveis diferentes de socialismo em diferentes país, já estará milhares de anos luz a frente do gado humano pertencente aos políticos fazendeiros, produzindo e entrengando tudo que os fazendeiros querem extrair da massa.

    Parabéns! Excelente texto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.