O Brasil deveria chamar-se Maluflândia

Quem se recorda da folclórica — e estúpida — fala do malandro Paulo Maluf, clamando aos estupradores pouparem suas vítimas? Pois é. Tá na moda outra vez

Estupra, mas não mata, pô!

No começo deste ano, o ministro do STF Marco Aurélio Mello mandou soltar o facínora esquartejador Bruno, ex-goleiro do Atlético e Flamengo. Legalidades à parte, a dúvida que ficou foi a seguinte: Fosse a vítima sua própria filha, Marco Aurélio agiria assim?

Há alguns poucos meses, o STJ determinou que Adriana Ancelmo, esposa e cúmplice do ladrão e ex-governador fluminense Sérgio Cabral, um canalha que surrupiou ao menos R$ 350 milhões dos cofres do estado do Rio de Janeiro, cumprisse sua prisão em casa, no Leblon, por conta dos dois filhos menores. A dúvida que ficou foi a seguinte: E as outras mães de filhos menores, presas Brasil afora, terão o mesmo benefício?

Ontem, nossa “Justiça” nos brindou com mais uma decisão digna da mais profunda dó (de nós mesmos): O médico estuprador Roger Abdelmassih, aquele asqueroso que se aproveitava das clientes sedadas, condenado a mais de cem anos de prisão, preso por apenas três, após ser capturado como fugitivo no Paraguai, foi posto em prisão domiciliar, em sua luxuosa mansão. Imagino que o juiz que lhe concedeu tal benefício seja adepto da frase malufiana.

Ainda esta semana, fomos informados que o filho do cirurgião Ivo Pitanguy, que atropelou e matou um pedestre dirigindo completamente bêbado, recebeu como pena sete horas semanais de trabalhos comunitários. Notem que estamos falando de crimes absurdamente sérios, leitores amigos. E não meros casos menores.

Todos sabem que 60 mil assassinatos ocorrem todos os anos no país. Todos sabem que menos de 3% dos assassinos são presos, julgados e condenados. Todos sabem, também, que mais de 50 mil pessoas morrem vítimas da violência no trânsito anualmente. E cansamos de assistir, semana, sim, semana, não, a selvagens matarem-se nas arquibancadas e estádios Brasil afora. E a coisa pode ser ainda muito pior, já que estima-se que boa parte dos casos sequer são registrados, principalmente os estupros.

“O exemplo vem de cima”. Esta frase é basilar. Pois bem. Num país onde mafiosos são presidentes; partidos políticos são quadrilhas; juízes são seus cúmplices, o que esperar de uma sociedade senão omissão ou conivência, quando não o mais puro eco mesmo? Por que Lula pode roubar, mentir, difamar, destruir e manter-se livre e o Zé da Esquina não? Seguramente é um raciocínio — ou reflexo — que passa pela cabeça dos delinquentes. Na verdade, uma espécie de troco, no sentido de vingança.

O crime impera onde não há lei e punição rigorosa, isso é lógico. No Brasil, a coisa é ainda mais séria, pois também nos falta o mínimo ímpeto de reação, de indignação real. Como dito na excelente música, do não menos excelente conjunto mineiro Skank (alô, Henrique Portugal!), “a nossa indignação é uma mosca sem asas; não ultrapassa as janelas das nossas casas”. Perfeito! Somos indignados de sofá. Conseguimos enxotar uma presidente inepta, incapaz e criminosa e pronto. Nos damos por satisfeitos. Voltamos para os nossos churrascos, para as nossas novelas, para os nossos sofás.

Assistimos, perplexos, a mais alta corte do país, em um conluio vergonhoso com o Ministério Público Federal, canonizar um grupo (JBS) que corrompeu mais de 1800 políticos, pagou por leis e medidas provisórias, abocanhou empréstimos bilionários, com juros subsidiados por todos os brasileiros, e conceder perdão judicial amplo, geral e irrestrito aos seus sócios e executivos criminosos. Reparem, senhores: A mais alta corte do país. A última fronteira entre a justiça e o crime. Aqueles senhores onde deveria repousar nossa mais estrita confiança. Ou seja, nada mais nos resta senão a desolação e o abatimento total. Algo visível nos olhos e no comportamento de todos.

Com 85 anos, um dos políticos mais sujos da história recente do país jamais foi preso. Finalmente recebeu, dias atrás, sua primeira condenação, mas, claro, o crime prescreveu. Não será preso. E se fosse, certamente seria em sua mansão nos Jardins. Renan Calheiros, Lula, Aécio, etc., terão o mesmo destino: Ou jamais serão presos ou cumprirão penas brandas. Eduardo Cunha, daqui a pouco, estará em casa. E Sérgio Cabral. E Palocci. Como já está Zé Dirceu. Como já está Eike Batista. E André Esteves. Como estará Dilma, Mantega e todos que roubaram e destruíram o Brasil. Como fez Collor, como fez Sarney. O crime compensa, sim. Sempre compensou. Joesley Batista não me deixa mentir. Nem Marcelo Odebrecht.

O Brasil não tem jeito. Jamais teve. Nossos avós enganaram nossos pais e lhes contaram esta mentira. Nossos pais nos enganaram e nos contaram esta mentira. Pessoalmente, nunca enganei minha filha e jamais lhe disse que teríamos jeito. Ao contrário. A preparo e a estimulo para ganhar o mundo, novos ares, novas paragens. Este pântano gosmento tende a ficar cada vez pior, mais inabitável. Só não enxerga quem não quer. Somos um pedaço de terra habitado por um amontoado de gente e só.

Nunca fomos uma nação; nunca fomos um povo. Jamais seremos… um Estado!

Leiam também.

31 thoughts to “O Brasil deveria chamar-se Maluflândia”

  1. Tenho notado que o blogueiro,que por sinal me incluo entre seus inúmeros admiradores,tem um comportamento diferenciado em relação à moderação e seleção dos comentários de seus leitores que serão publicados ou não, no Blog: aqueles comentários que procuram validar o que é publicado pelo Blog são flagrantemente preteridos em detrimento daqueles comentários que, de maneira muitas vezes grosseira, agressiva estúpida e até fora de proposito, que discordam veementemente do Autor. Fiz um rápido levantamento e constatei a proporção de 1:5,ou seja,hum comentário positivo publicado para cinco comentários que tentam desqualificar o que foi dito pelo Blogueiro publicados.Será que tal fato se deve ao fato de que, tais comentários proporcionam ao Blogueiro ter seus momentos de prazer ao liberar seus mais baixos instintos em suas respostas à essas manifestações de seus leitores ? Falo isso por experiencia própria, ao ver negada a publicação de vários cometários que ousei fazer.Fica aberta a questão.

    1. A senhora está completamente enganada! Publico todos os comentários que me chegam, desde que não contenham palavrões muito feios ou ofensas muito pesadas, a mim ou a terceiros. Às vezes, por causa de certos filtros que coloco, alguns comentários normais seguem direto para a lixeira, junto com algumas porcarias. De vez em quando visito a esgotosfera e resgato estes comentários indevidamente excluídos.

      Este blog possui hoje quase 1.5 milhões de leitores únicos. Já publiquei mais de 17 mil comentários, em pouco mais de 10 meses, sozinho. O fato de perceber muito mais ofensa que elogio não é exclusividade minha. Ao contrário! Infelizmente, a internet tornou-se palco para — como eu os chamo — carneirinhos mansos, na vida real, exercitarem a valentia que não possuem frente a frente.

      Além disso, veja seu próprio exemplo: gosta do que escrevo, mas não encontrei comentário seu anterior, seja elogiando ou criticando. E é assim mesmo! Quem gosta me lê porque concorda e sente-se identificado com o que penso, mas via de regra não comenta. Nem minha própria família, hehe!!

      Já os raivosos não comentam porque discordam. Comentam para agredir! Para exorcizar alguns demônios pessoais, sejam profissionais, financeiros, etc. Tem um, que se eu disser que o Papa Francisco é legal, comentará que digo isso porque moro na Zona Sul de BH. Um outro, se eu elogiar a Madre Tereza, dirá que não falo do Aécio, e por aí vai…

      Mas numa coisa você tem toda razão: adoro as tretas com os pangarés!!!!

      Obrigado pelo comentário, viu?

  2. Nações se constroem. E não é fácil.
    É certo que o sistema político brasileiro é dos mais corruptos. Também é certo que os meios de combate e controle aos desvios tem se intensificado nas últimas décadas.
    A sujeira pelo menos está sendo explicitada e se tem buscado, minimamente a punição. O importante é que este processo não tenha cara na capa e sim conteúdo. Doa a quem doer.
    Com imprensa plural, Ministério Público independente, Judiciário prestando contas, algum chance teremos de dar um jeito.
    A sociedade está cada vez mais atenta, inclusive contra aqueles que profetizam o caos e negam os valores da democracia.

  3. Concordo com vc , Ricardo. O Brasil devia chamar Malufrandia. Aliás, para quem estudou um pouquinho de história e literatura, poderíamos ir mais longe e chamar o Brasil de uma Cabralandia, posto que o roubo, a mentira, a rapinagem, tudo isso começo não na era desse Cabralzinho, mas no Cabral grande que se não for mais uma grande mentira, descobriu o nosso país. Quem já leu as cartas portuguesas enviadas por Caminha, a obra de Gregório de Mattos Guerra, Machado de Assis , os relatos de Darwin quando passou pelo Brasil, Graciliano Ramos , Darcy Ribeiro e outros grandes escritores não tem dificuldade nenhuma que o sistema de apadrinhamento, rapinagem, roubalheira, pouca vergonha, começou muito antes de Maluf. Hoje, vemos isso mais facilmente, porque graças a Deus, estamos na era da informação, e quem não tem preguiça mental , pode vasculhar o passado e o presente e valer da própria capacidade de fazer juízo de valor sem depender de nenhum guru que se propõe a ser o doutor em todas as áreas do conhecimento humano, inclusive, no campo da moralidade. Por outro lado, embora, alguns não queiram ver ou fingem não ver, temos evoluído em termos de leis e outros mecanismos criados, embora possa parecer contradição, na era do PT no governo, como o aparelhamento da PF, da autonomia do MP, a própria lei da delação premiada, a controlador ia. Com esses aparelhos criados e desenvolvidos e mais as facilidades de informações através da Internet, principalmente, foi que possibilitou ou possibilita uma pessoa comum como eu e qualquer outro, tomar conhecimento de como funcionou ou funciona a maioria das Instituições brasileiras. A verdade nua e crua é que agora que começamos a tomar consciência do tamanho do assalto e dos golpes que o Brasil foi vítima nos seus 517 anos de história. Eu só posso acreditar que o que explica o baixo desenvolvimento, o analfabetismo, as epidemias, a falta de dentes, a fome, e todos os males que nos afligem, nesse país rico de recursos naturais, imenso em extensão de terras, com fartura de água, florestas, só pode ser creditado não ao período do PT, que por sinal, até em termos comparativos, foi melhor que os anteriores, mas sim as elites que governaram esse País por mais de 500 anos e não conseguiram, apesar da grande quantidade de recursos naturais, tirar o Brasil do atraso, da fome, da zica, da dengue, de ser colônia de outras potências. Portanto, apesar de achar interessante e concordar em parte com a opniao do Ricardo, acho Maluf e outros citados, são apenas bodes expiatórios de um sistema, posto que o buraco é maior e mais em baixo. Do contrário, antes deles, os que governaram o Brasil, teria deixado a nossa pátria cimentada de prosperidade, riquezas e bem aventurancas a maioria do povo e não a alguns poucos privilegiados que detém tudo isso. A verdade é que como costuma dizer um cronista mineiro, somos um país grande e bobo. Para finalizar,digo, que a Malufrandia, é apenas um pedacinho de nada da Cabralandia.

  4. Olá Inundado, uma dúvida antiga: é um mal ufe ou má luf? De toda sorte é um sujeito sem nenhum constrangimento, quanto a vergonha então nem vou dizer. Certa feita foi recebido pelo General Figueiredo. Teve o desplante de sugerir ao Presidente da República que sorrise ao que o General retrucou: estou em minha casa, fico como quero, sorriso amarelo. Depois, na campanha de 1.989, durante o debate dos candidatos começou a propagar que era competente – com o sotaque caraterístico – ao que Lulinha Paz e Amor não deixou passar. “Sabe porque Maluf se diz tão competente? E respondeu, porque compete,m compete e nunca ganha”. Gargalhada estrondosa dos demais candidatos e dos jornalista e ele com sorriso amarelíssimo.
    Isso sem falar da Paulipetro que que a pretexto de perfurar a Baixa do Glicério, o topo de Cerqueira Cesar, a Alta Mojiana e o Pontal de Paranapanema seria canal de levar dinheiro para seu bolso. E mais o episódio de transferir a Capital Bandeirante para o vale do Ribeira, sim, ali entres os bananeiras de Registro, não muito distante da margem da Regis Bitencourt. Sujeitinho nefasto, mas muitos taxistas pensam diferente. Grato.

    1. Caro Sidrac (o inundado),
      O senhor se esqueceu que seu “lulinha paz e…” se aliou ao “má luf” para fixar um POSTE em São Paulo???????????????????

      1. Olá HJDAROZ, não esqueci, sou como Riobaldo Tatarana para quem esquecer é como perder dinheiro. Talvez desconheces, mas o sistema eleitoral e político de Pindorama impõe as coligações e acordos para apoio ao governo de todos os níveis. Outra coisa, Fernando Haddad é uma pessoa muito bem capacitada, que talvez não tenha tua simpatia, mas ele não é poste, é um brasileiro respeitado como administrador público e pela produção acadêmica. Grato.

  5. Ricardo,
    O mais absurdo no caso do Roger Abdelmassih é que foi uma JUÍZA que o liberou para a prisão domiciliar. Uma mulher que não foi solidária com as dezenas de mulheres vítimas deste infeliz.
    Sem falar que foi o Gilmar boca mole quem “deu” o Habeas Corpus para ele fugir para o Paraguai.
    Pode ter certeza que o Joesley vai ser pego mais a frente por outros crimes porque ele é criminoso profissional e não vai parar de cometer crimes. E o Roger estuprador já é um cadáver ambulante.
    O nosso consolo é que estes criminosos dos três poderes e os demais são, cedo ou tarde corroídos pelos vermes que estão dentro deles.
    Quanto a sermos passivos a tudo isto é graças a alienação do povão que tem preguiça de pensar, de estudar, de querer evoluir e se contenta com o circo oferecido pelos espertos como o futebol, o carnaval, os shows nos fins de semana e nos fins de ano, as igrejas evangélicas e outras enganações.
    Abraço,

  6. O seu comentário está aguardando moderação.

    Olá Inundado, uma dúvida antiga: é um mal ufe ou má luf? De toda sorte é um sujeito sem nenhum constrangimento, quanto a vergonha então nem vou dizer. Certa feita foi recebido pelo General Figueiredo. Teve o desplante de sugerir ao Presidente da República que sorrise ao que o General retrucou: estou em minha casa, fico como quero, sorriso amarelo. Depois, na campanha de 1.989, durante o debate dos candidatos começou a propagar que era competente – com o sotaque caraterístico – ao que Lulinha Paz e Amor não deixou passar. “Sabe porque Maluf se diz tão competente? E respondeu, porque compete,m compete e nunca ganha”. Gargalhada estrondosa dos demais candidatos e dos jornalista e ele com sorriso amarelíssimo.
    Isso sem falar da Paulipetro que que a pretexto de perfurar a Baixa do Glicério, o topo de Cerqueira Cesar, a Alta Mojiana e o Pontal de Paranapanema seria canal de levar dinheiro para seu bolso. E mais o episódio de transferir a Capital Bandeirante para o vale do Ribeira, sim, ali entres os bananeiras de Registro, não muito distante da margem da Regis Bitencourt. Sujeitinho nefasto, mas muitos taxistas pensam diferente. Grato. O texto aparece como escrito por anonimo, qual o motivo? Meu nome é Cidrac Pereira de Moraes

  7. Pode falar o que quiser, mas ainda temos justiça neste país. Em vez de ficar só postando mensagens negativas sobre a justiça, deveria equilibrar seu blog com notícias positivas também, pois, nem de longe a justiça é só negativa. Ao adotar a política de apenas atacar, o blog acaba se igualando a “justiça” que tanto critica, além do que, acaba contribuindo ainda mais para a generalização do fator negativo dessa instituição perante ao público.

  8. Escreveu bem, desta vez…
    Agora, Ricardo, responde-me uma coisa! Com tudo isto que voce colocou, concordo 100%, você ainda acha e continua defendendo que a solução deste país está nas reformas da CLT e da PREVIDÊNCIA?
    Sempre afirmei e continuo afirmando que o problema deste país é o POVO.
    E que este sistema de escolha de um candidato a PRESIDENTE DA REPUBLICA, “do pavo, pelo povo e para o povo” é uma furada…
    Abraços

  9. Interessante que este mesmo digníssimo blogueiro que está indignado com a decisão da justiça sobre o médico estuprador Roger Abdelmassih (que a propósito foi solto pela primeira vez pelo Gilmar PSDB Mendes), defendeu a nomeação do Alexandre de Moraes, amigo do Aécim, para o STF…. Ricardo, assuma logo que você é partidário, fica menos feio…

    1. gente, que raciocínio lógico!! minha indignação com a soltura do estuprador é interessante, pois Gilmar Mendes o solou lá atrás e eu considero Moraes um ótimo nome para o STF. Por isso, eu devo assumir que sou partidário, pois fica menos feio. Olha: eu não sei o que você usa no seu dia a dia, mas pqp, deve ser punk, viu?

  10. Estudos estimam que quando os portugueses aqui chegaram em 1500 tínhamos 3 milhões de índios vivendo nesta terra. E 517 anos depois nossos livros de história continuam dizendo “Descobrimento do Brasil”. Não precisam mudar para “Invasão do Brasil”, apesar de ser verdade, mas “chegada dos europeus” seria um começo. Pelo menos já não é mais feriado nacional.

    A história também já comprovou que Leif Erikson, europeu, chegou ao Canadá entre os anos 980-1000 e montou um assentamento em L’anse-aux-Meadows, e foi expulso de lá 50 anos depois pelos nativos da terra. Mais continuamos ensinando que Cristóvão Colombo DESCOBRIU a América em 1492.

    São coisas pequenas, mas que mostram a nossa preguiça mental. Não somos uma nação, nem um povo e, concordo com você Ricardo, nunca seremos um Estado.

    Abs

    1. Esqueci de comentar que até nossa NF é uma fraude. Um exemplo: você paga R$ 100 por um brinquedo e lá diz que o valor aproximado dos impostos é de R$ 40 (40%). Mentira. O imposto é de 66,67%, pois se R$ 40 são impostos, o brinquedo custa R$ 60. A conta correta é R$40 dividido por R$ 60, e não por R$ 100. Aqui o legislativo que escreveu a lei e o executivo que a sancionou deram mais uma “engalobada” no povão, ao fazer a conta dos impostos dividindo pelo total da compra COM impostos, para parecer que o imposto é menor do que realmente é. Uma vergonha.

  11. Ricardo me fez lembrar muitas coisas quando falou em Maluf. Parece que o Brasil não toma mesmo jeito. Cresci vendo falar em Paulo Maluf como sinônimo de corrupção, mas de lá para cá, ele continua na política, e nunca havia sido preso. Agora, depois que ele está com mais de 80 anos, eles resolveram condená-lo, pq sabem que ele não cumprirá mais de um ano de prisão. Isso só reforça a máxima popular de que cadeia no Brasil é para pobre, preto, e agora com o acréscimo de petistas. Quando a gente verá um magnata desses, ou dos ricos figurões da política serem condenados e cumprirem a pena como um preso comum do tipo fernandinho beira mar?

  12. Essa lei que está ai é uma piada. São leis de conveniência. Valem qnd interessa aos grandes políticos, juízes, empresários etc… Ou melhor, qnd são eles as leis não valem. Só valem qnd somos nós o cidadão comum.

    Aproveitando o momento Ricardo, olha que sorte teve o aecio: https://oglobo.globo.com/brasil/gilmar-mendes-sorteado-relator-de-inquerito-contra-aecio-21514394

    Te pergunto: as leis irão valer neste caso? O honestíssimo Gilmar Mendes irá cumprir a lei?

  13. Me lembro do Maluf quando foi candidato à presidência dizer durante a campanha(na tv):

    ‘EU NÃO PRECISO ROUBAR, EU JÁ SOU RICO’

    Analisem a frase e vejam as possíveis variáveis onde o ‘caráter’ é implícito, por exemplo:
    ‘não “preciso” roubar’ como se existissem casos em que é preciso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.